Os melhores apps Android da semana (13/2/2020)

Notícias ao Minuto

Você tem saudade da Alameda dos Anjos? Eu sim: até hoje, me lembro com orgulho de acompanhar o seriado Power Rangers pelas manhãs, quando a TV aberta ainda contava com uma programação infantil robusta. E quando, depois de adulto, vi que a série não apenas ganharia diversos jogos, mas um que reunisse todos os arcos — incluindo os que não assisti —, era óbvio que testaria o game no Android.

E veja só: é bom pacas!

Além disso, trouxemos um aplicativo que lhe permite contratar serviços domésticos de forma mais facilitada. Na falta de uma analogia melhor, pense no Uber, mas voltado a conseguir uma diarista, faxineira ou passadeira unindo o consumidor com a profissional de maneira rápida e prática.

Vamos à lista?

Zooba - Jogo de Batalha

Você já imaginou se os animais do zoológico de repente tivessem acesso a armas? Bom, a Wildlife Studios sim, e eles fizeram um jogo sobre isso. Em Zooba, você controla um entre três personagens (divididos em três atributos: um é forte, o outro é agressivo e o terceiro é balanceado) e deve percorrer cenários em busca de armas para enfrentar outros animais (jogadores) e também os guardas do zoológico.

É uma premissa bastante nonsense, afinal de contas, quais são as chances de uma raposa segurar uma escopeta? Mas o interessante do jogo é que, olhando além do visual cartunesco e das microtransações variadas, esconde-se um app que apela muito para o sucesso do gênero battle royale, salvo pela diferença de cada partida ter apenas uma ou duas dezenas de jogadores. Outros elementos inerentes do gênero, como um cenário que vai se fechando com o tempo, força você a repensar a sua estratégia, à medida que, quanto mais fechado o campo estiver, mais próximo dos inimigos você fica. Em pouco tempo, uma luta que prezava pela estratégia e armadilhas controladas vira um “pega-pra-capar” onde quem atirar antes, vence.

Adicione a isso os ingredientes de sempre — colecione cartas dos personagens para evoluí-los e gaste moedas (câmbio do jogo) ou joias (adquiríveis em missões ou gastando dinheiro real) para conseguir aquela vantagem que lhe salva a vida durante uma partida com um monte de animais querendo te matar.

(Montagem: Rafael Arbulu/Canaltech)

Power Rangers: Guerras Legacy

Sim, o nome é estranho e, por certo, um erro grosseiro de tradução (Legacy Wars é o nome original). Mas não deixe isso tirar o brilho do jogo criado pela nWay, com base no filme de 2017. Trata-se de um jogo de combate bem veloz, sem muitos comandos e bastante simples de se dominar, além de ser visualmente atraente e ter o apelo certo à nostalgia de várias gerações de fãs da saga.

O enredo segue o mesmo do filme: a vilã Rita Repulsa conseguiu infectar toda a “rede de morfagem”, corrompendo Rangers de várias gerações. Por causa disso, Zordon, o icônico gestor dos heróis em suas várias iterações, envia Jason Lee Scott, o Ranger Vermelho, para corrigir o problema. Com isso, você recruta vários Rangers de diversas gerações, enfrentando os vilões mais memoráveis da série ao melhor estilo Power Ranger de ser: descendo o braço no que estiver à frente.

O jogo é visualmente impressionante, e fiel às gerações de Rangers que retrata, além de trazer crossovers que, ainda que estranhos, adicionam mais à experiência, como a presença de personagens do jogo Street Fighter (com suas próprias “morfagens”, acredite se quiser).

(Montagem: Rafael Arbulu/Canaltech)

Parafuzo - Diaristas, Faxineiras e Passar Roupas

Está difícil arrumar uma diarista ou doméstica? Mesmo nos tempos atuais, encontrar uma profissional do tipo é uma tarefa hercúlea para a maioria das pessoas. Prova disso são os vários grupos nas redes sociais dedicados a trocar indicações e recomendar pessoas — isso, claro, quando o “patrão” paga o que elas merecem, convenhamos.

O Parafuzo vem para tentar facilitar isso: pensado da mesma forma que o Uber veio ao mercado, o app busca unir a demanda à entrega, pedindo que o usuário informe alguns dados gerais (se a limpeza é residencial ou para empresas, quantos cômodos etc.) e rodando uma busca por profissionais cadastradas, a fim de conseguir a melhor oferta.

O app em si é bem simples de mexer e não exige nenhum conhecimento técnico. Em alguns poucos cliques, você consegue encontrar a pessoa certa para a sua demanda, negociando o preço e mantendo a casa limpa e perfumada, sem injustiças, nem erros.

(Montagem: Rafael Arbulu/Canaltech)

Star Walk 2

Um app voltado aos entusiastas da astronomia, o Star Walk utiliza a sua geolocalização e mapeia as estrelas no céu ao seu redor. O maior apelo aqui é o visual: nada de imagens granuladas ou engasgos de navegação — tudo aqui roda em alta definição, mostrando uma transição de lugares tão fluída que o Google Streetview sentiria inveja.

Ademais, o banco de dados dele é tão completo que você acaba descobrindo algumas estrelas e constelações que nem sabia existirem em primeiro lugar. Definitivamente, uma experiência visual deslumbrante para quem gosta do tema.

Há também uma versão paga, sem anúncios e com alguns recursos extras, mas a versão gratuita é igualmente completa, ainda que com os “merchans” aparecendo de tempos em tempos.

(Montagem: Rafael Arbulu/Canaltech)

Ingred

Farmacêuticos, curiosos da Química ou mesmo aquelas pessoas que cuidam de idosos e gente que sofre de alguma necessidade especial de remédios vão apreciar a função principal do Ingred: trata-se de um aplicativo que explica, sem apelar ao jargão do mercado, o que é cada ingrediente encontrado em diversos tipos de medicamentos.

Somente por abrir o app, você já tem acesso a uma robusta base de dados, com ingredientes alinhados em ordem alfabética. Mas, para o público leigo, os ingredientes em si de nada servem, e é aí que o Ingram brilha mais: com você concedendo acesso do app à sua câmera, é possível tirar uma foto da bula dentro da embalagem de cada remédio, e o próprio app cuida-se de identificar os ingredientes, permitindo que você saiba exatamente o que cada um faz, seus efeitos positivos e negativos, e em quais casos ele é mais ou menos recomendado (se algum componente dele lhe causa uma reação alérgica, por exemplo).

Claro, em nenhum caso o Ingram substitui a necessidade de se consultar com um médico, mas pense no quanto a sua consulta pode ser mais proveitosa e, seu tratamento, mais aprofundado e certeiro, quando ambos os lados estão munidos de boa informação?

(Montagem: Rafael Arbulu/Canaltech)
Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.