SAIU O RESULTADO DO SORTEIO DO PRÊMIO CANALTECH!CONFERIR
Publicidade

Windows 12 | O que sabemos sobre possível sucessor do Windows 11

Por| Editado por Douglas Ciriaco | 06 de Novembro de 2023 às 12h45

Link copiado!

Douglas Ciriaco/Canaltech
Douglas Ciriaco/Canaltech

O Windows 12 ainda não foi confirmado pela Microsoft, mas seu lançamento é uma grande possibilidade para 2024. Rumores e conversas de executivos do mercado levantam a hipótese da chegada de um novo sistema operacional para computadores, que entraria em cena para suceder o Windows 11, lançado em 2021.

A Microsoft lançou a grande atualização de 2023 (23H2) do Windows 11 no fim de outubro, mas não revelou muitos planos para 2024, o que pode reforçar a ideia de uma "atualização de número". Com isso em mente, o Canaltech separou as principais informações que envolvem o possível novo sistema.

Quando o Windows 12 deve ser lançado?

Continua após a publicidade

Tudo o que nos resta em relação a isso são fortes rumores apontando para um lançamento no próximo ano: um executivo da Intel mencionou uma “renovação do Windows” prevista para 2024 — o mesmo termo já foi usado em outras ocasiões para mencionar grandes mudanças no sistema.

Outro boato reforça que a Intel já estaria desenvolvendo uma linha de processadores compatíveis com o novo sistema operacional, mais um sinal de que as mudanças estão a caminho para o SO.

Caso isso se confirme, representaria uma volta às origens da Microsoft: antigamente, a empresa lançava uma nova versão do Windows a cada três anos, mas interrompeu o ciclo entre o XP (2001) e o Vista (2007). O intervalo voltou no Windows 7 (2012) e durou até o 10 (2015).

Continua após a publicidade

Portanto, a janela de 2024 faria algum sentido, apesar de a Microsoft não ter confirmado o retorno ao ciclo antigo e até já ter mencionado o suporte de cinco anos para os seus sistemas anteriormente.

Apesar disso, a história mostra que a Gigante de Redmond já voltou atrás em alguns planos: basta lembrar que o Windows 10 foi lançado como uma “versão definitiva” do sistema e seria abastecido apenas com atualizações pontuais — uma delas, entretanto, virou o Windows 11.

Como já foi mencionado, o Windows 11 ainda segue vivo: o sistema recebeu diversos novos recursos em 2023, como a IA do Copilot como carro-chefe e outras novidades que podem dar um gás novo ao sistema e mantê-lo "renovado" por mais alguns anos. Além disso, o suporte oficial da empresa à versão 22H2 dura até 2025 (e deve ser prolongado com a chegada do novo update).

Windows 12 será pago?

Continua após a publicidade

Um dos boatos mais marcantes sobre o sistema é a possibilidade de que a migração para o Windows 12 será paga, inclusive com versão por assinatura. O vazamento que tratava disso, proém, envolvia  um produto voltado para empresa, então ainda é possível "sonhar" com a migração gratuita.

Vale lembrar que por muito tempo a atualização de versões antigas para o Windows 11 foi totalmente gratuita, por isso há a expectativa de que a MS mantenha essa característica em um futuro lançamento. Porém, nada de oficial ainda foi revelado também a respeito de possíveis preços para uma futura atualização.

O que é oficial sobre o Windows 12?

Até o momento, nada, nem mesmo o nome — "Windows 12" seguiria com o padrão da empresa nos últimos anos, além de ser a nomenclatura usada por outros veículos especializados e nomes do mercado, mas tudo pode acontecer.

Continua após a publicidade

É provável que a empresa programe eventos especiais para falar sobre mudanças no sistema operacional, principalmente com a virada do ano, mas ainda não há nada agendado. Algumas notícias apontam que o sistema já estaria em desenvolvimento sob o codinome interno “Next Valley”, mas isso também não tem qualquer confirmação oficial.

Novos recursos que devem chegar com o Windows 12

Todas as novidades antecipadas são frutos de rumores ou comentários de outras pessoas associadas ao mercado de computadores, ou seja, ainda não há confirmação oficial da Microsoft ou de empresas relacionadas.

IA em todo lugar

Continua após a publicidade

A inteligência artificial generativa virou praticamente uma certeza para qualquer produto novo ou atualizado da Microsoft. Para contextualizar: apenas em 2023 a empresa já introduziu o Bing Chat com IA (e o colocou até em teclado de celular), lançou o Copilot e integrou o serviço a Microsoft 365, Windows 11 e outros softwares, como Teams e Outlook.

Além disso, a empresa é uma das investidoras da OpenAI, responsável pelo ChatGPT, e teria investido centenas de milhões de dólares no desenvolvimento de um supercomputador para comportar a tecnologia. Por fim, o CEO Satya Nadella já reforçou publicamente como a IA pode ser revolucionária, algo comparável até ao impacto da internet nos anos 90 e à chegada dos celulares.

Portanto, a inteligência artificial deve ser protagonista em novos sistemas desenvolvidos em Redmond. A chegada do Copilot pode ser apenas um pontapé inicial para integrar a tecnologia a um número cada vez maior de funções no computador.

Continua após a publicidade

Versão na nuvem

A Microsoft tem planos para converter o Windows em um sistema em nuvem — nesse caso, todos os recursos do SO poderiam ser acessados em qualquer dispositivo com conexão à internet, como já é feito com o Windows 365. O novo sucessor também poderia adotar estrutura semelhante, principalmente na versão Home, para uso pessoal.

Além disso, outro rumor aponta para uma versão web criada para rivalizar com o Chrome OS na categoria de computadores com pouca potência de hardware. O conjunto seria vendido como uma versão separada das opções Home e Pro. Não fica claro ainda se as duas iniciativas "na nuvem" seriam o mesmo produto.

Nova barra de tarefas

Continua após a publicidade

A Microsoft tem o costume de soltar alguns spoilers com pistas novas versões em prévias do sistema operacional. Durante a apresentação de uma build neste ano, a empresa mostrou um print sobre uma “nova geração do Windows”, o que deixou muitas pessoas curiosas sobre um possível sucessor.

Uma opção escondida na prévia do Windows 11 indica a criação de uma nova barra de tarefas suspensa, com a opção de remover itens como o relógio e a bandeja de notificações. Essas informações seriam transferidas para a parte superior da tela e o resultado lembraria muito a interface do Dock, do macOS.

Além da barra suspensa, uma pista do mesmo evento sugere uma estrutura mais modular, com a opção de adicionar widgets.

Continua após a publicidade

5 coisas que gostaríamos de ver no Windows 12

Além das opções ventiladas para o sistema, o Canaltech pensou em alguns recursos que seriam muito bem-vindos aos computadores com o sistema da Microsoft:

5. Atualização gratuita e acessível

O Windows 11 foi anunciado como uma atualização gratuita para quem já possuía a versão anterior, e seria interessante se a empresa continuasse com os mesmos planos. 

Continua após a publicidade

Além disso, a provável versão na nuvem poderia ajudar a expandir o novo sistema para mais computadores, incluindo modelos mais antigos. Vale lembrar que o Windows 10 ainda é a versão mais usada no mundo, presente em 70% dos dispositivos, e alguns requisitos de atualização pesam a favor do SO mais antigo.

4. Maior personalização da interface

Sim, o Windows já tem algumas opções de customização na parte visual, mas seria legal ver a Microsoft expandir os limites atuais. Para isso, poderia até revisitar alguns recursos de versões anteriores, como os widgets no Windows 7 e a possibilidade de modificar a posição da Barra de tarefas, outro clássico do sistema.

3. Suporte a chips Arm

Continua após a publicidade

A Microsoft já está de olho no desenvolvimento de softwares adaptados para chips Arm e isso poderia ser um diferencial para o Windows 12. Essa categoria de processadores ainda caminha a passos lentos no mercado de computadores, mas pode aumentar nos próximos anos com a entrada de nomes como Nvidia e AMD. A estrutura do componente permite menor consumo de energia e já foi adotada pela rival Apple.

2. Rotinas personalizadas

É comum que os assistentes de IA para celulares ofereçam a opção de criar rotinas no aparelho, com modos adaptados para trabalho, foco e descanso, entre outras opções. O novo sistema operacional poderia adotar algo parecido: imagine a possibilidade de criar uma pré-configuração para destacar apenas os apps usados no trabalho ou ajustar o Windows rapidamente para um modo de entretenimento ao consumir streamings, por exemplo.

1. Menos bloatware

A instalação do Windows é pesada e conta com muitos bloatwares — nome dado aos aplicativos e plugins instalados na configuração de fábrica. A empresa já oferece opções para remover alguns apps nativos, mas poderia aumentar as opções de personalização, principalmente antes da configuração inicial do sistema.

Entre especulações e desejos sobre o que pode pintar no Windows 12, fato é que a Microsoft ainda não deu qualquer nota oficial a respeito. Então, resta apenas esperar e ver o que vem por aí.