Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Snapdragon 7+ Gen 3 herda recursos do 8 Gen 3 em pacote mais acessível

Por| Editado por Wallace Moté | 21 de Março de 2024 às 07h30

Link copiado!

(Imagem: Divulgação/Qualcomm)
(Imagem: Divulgação/Qualcomm)
Tudo sobre Qualcomm

Menos de uma semana depois da estreia do Snapdragon 8s Gen 3, a Qualcomm revelou nesta quinta-feira (21) mais uma novidade para o segmento de smartphones premium mais acessíveis: o Snapdragon 7 Plus Gen 3. Seguindo os passos do "irmão" mais avançado, o lançamento mescla elementos de chips como o flagship Snapdragon 8 Gen 3 e o mais simples Snapdragon 7 Gen 3 para buscar oferecer experiências avançadas em um pacote de menor custo, incluindo recursos inéditos para a série 7.

Quando foi lançado em março do ano passado, o Snapdragon 7 Plus Gen 2 chamou muita atenção por trazer a celulares intermediários premium boa parte dos recursos da família Snapdragon 8. Com exceção dos gráficos, além da ausência de algumas funcionalidades mais avançadas, o componente entregou alta potência, que chegava a rivalizar com o Snapdragon 8 Plus Gen 1, atraindo até mesmo o público mais entusiasta.

Continua após a publicidade

A Qualcomm parece querer repetir a fórmula com o novo Snapdragon 7 Plus Gen 3, combinando novamente o foco em celulares mais acessíveis com algumas das tecnologias mais avançadas da série 8. Enquanto herda a arquitetura de CPU, funções de IA, conectividade e processamento de imagem dos avançados 8 Gen 3 e 8s Gen 3, a solução aposta em certas tecnologias do "irmão menor" 7 Gen 3 para manter os custos sob controle.

Snapdragon 7+ Gen 3 foca no entretenimento

Durante a apresentação da plataforma, a Qualcomm enfatizou como o usuário médio passa uma parcela notável do dia utilizando o smartphone e, dentro desse período, boa parte dele envolve entretenimento, incluindo consumo de mídia e games. Para atender melhor a esse público, a gigante projetou então o Snapdragon 7 Plus Gen 3, com ganhos consideráveis de performance frente ao 7 Plus Gen 2.

Assim como na geração anterior, sua CPU possui oito núcleos em configuração de 1 + 4 + 3, mas há uso da mesma arquitetura do 8 Gen 3: a distribuição conta com um Cortex-X4 de máxima performance rodando a até 2,8 GHz, quatro Cortex-A720 de alto desempenho operando a até 2,6 GHz e três Cortex-A520 de alta eficiência trabalhando a 1,9 GHz. Apesar das similaridades com o recente 8s Gen 3, as frequências de operação são mais baixas. O conjunto garantiria 15% melhor desempenho frente ao 7 Plus Gen 2.

A GPU Adreno recebeu poucos detalhes, mas promete um avanço significativo de 45% em performance — segundo os vazamentos, estamos diante da Adreno 732. Foram ainda adicionados novos recursos da suíte Snapdragon Elite Gaming, incluindo mais efeitos de pós-processamento para jogos (bloom, profundidade de campo, borrão de movimento) inéditos na série 7, e a segunda geração do Adreno Frame Motion Engine, que interpola quadros para aumentar a fluidez.

Com os números fornecidos pela Qualcomm, é possível fazer algumas estimativas, para tentarmos posicionar melhor o lançamento no portfólio da companhia. Sendo 15% mais potente, a CPU poderia atingir 1.955 pontos em single-core e 5.095 pontos em multi-core no teste do Geekbench 6, por exemplo. Já para a GPU, se aplicarmos os avanços de 45% no 3DMark Wild Life, obtemos pouco mais de 11 mil pontos — em ambos os casos, o 7 Plus Gen 3 praticamente encosta no 8 Gen 2.

Continua após a publicidade

É importante ter em mente que essas são apenas estimativas não oficiais, e podem não representar a realidade. Vai ser preciso aguardar a estreia dos celulares equipados com o novo chip para sabermos suas verdadeiras capacidades. Ainda assim, é plausível vê-lo no patamar do topo de linha da Qualcomm do ano passado, considerando que o 7 Plus Gen 2 entregou uma experiência próxima ao flagship do ano anterior. Caso os números se confirmem, as promessas de "foco em entretenimento" devem mesmo ser atendidas.

Ambas as melhorias são acompanhadas de aprimoramentos significativos nas memórias, com a chegada de suporte a até 24 GB de RAM LPDDR5X a 4.200 MT/s (contra até 16 GB LPDDR5 a 3.200 MT/s da geração passada) e ao armazenamento UFS 4.0 (contra UFS 3.1 do 7 Plus Gen 2), garantindo velocidades de transferência muito mais altas e consequentemente auxiliando nos ganhos de desempenho.

IA generativa chega à série 7

No anúncio do 8s Gen 3, a gigante destacou como pretende "democratizar a IA" ao trazer aos poucos o poder de processamento e os recursos necessários para reproduzir Grandes Modelos de Linguagem (LLMs) aos segmentos mais acessíveis. O Snapdragon 7 Plus Gen 3 inicia essa jornada ao ser o primeiro chipset da série 7 a embarcar uma NPU pensada para os LLMs, ainda que dados como a velocidade de processamento (medida em tokens por segundo) e o limite de tamanho dos modelos não tenham sido revelados.

Continua após a publicidade

Entre os exemplos dados como compatíveis estão assistentes virtuais e soluções de geração de imagens. Compatibilidade com modelos multimodais (que recebem comandos e emitem respostas de texto, áudio e vídeo simultaneamente) não é citada, mas tudo indica que o lançamento poderá lidar com esse tipo de tecnologia, ao já estar otimizado para o Gemini Nano do Google, Llama 2 da Meta e outros LLMs similares.

Câmeras aprimoradas por IA

Os avanços de Inteligência Artificial também chegaram às câmeras, com a adição do processamento com segmentação semântica. Vista antes apenas nos chips Snapdragon 8, essa tecnologia possibilita a divisão da cena que será fotografada em áreas (rosto de pessoa, animal de estimação, cenário, etc.) para que diferentes algoritmos de pós-processamento possam ser aplicados em cada uma delas. Na prática, isso deve proporcionar qualidade de imagem superior, equilibrando melhor o HDR e reproduzindo cores com maior precisão.

Continua após a publicidade

O restante do sistema de câmeras é quase o mesmo visto na geração anterior, com algumas novidades: há três processadores de sinal de imagem (ISP) dedicados para agilizar a renderização das fotos ao processá-las simultaneamente, com suporte a dados em 18-bit e sensores de até 200 MP. O limite de gravações de vídeo é de 4K a 60 FPS, e é possível realizar capturas em HDR nos padrões HDR10+, Dolby Vision e HLG.

As modificações estão no suporte ao formato de fotos Ultra HDR do Google, que aplica metadados de HDR para entregar brilho e cores mais intensos ao exibir as fotos na galeria de um dispositivo compatível, e em aprimoramentos nas gravações noturnas e em ambientes pouco iluminados com o algoritmo Snapdragon Low Light Vision (LLV).

Conectividade de topo de linha

Continua após a publicidade

O DNA de topo de linha premium do Snapdragon 7 Plus Gen 3 se mostra também no departamento de conectividade, com a adoção do modem FastConnect 7800, a mesma solução presente no Snapdragon 8 Gen 3. Com isso, donos de celulares com o novo processador terão acesso às tecnologias mais modernas de Wi-Fi e Bluetooth, incluindo Wi-Fi 7, Bluetooth 5.4 e LE Audio com Auracast, para transmissão simultânea de uma mesma fonte para diferentes dispositivos de áudio.

A proposta de ecossistema da Qualcomm, o Snapdragon Seamless, também foi adicionado, permitindo que os smartphones munidos do 7 Plus Gen 3 possam conversar com outros celulares, notebooks, TVs, smartwatches e até carros que possuam chips Snapdragon para habilitar experiências mais integradas.

Além disso, o lançamento agora é capaz de emitir sinal de vídeo a até 8K a 30 Hz ou 1080P a 240 Hz para monitores externos via USB-C 3.1 Gen 2 (com velocidade de 10 Gbps), mantendo a compatibilidade com telas dos celulares a até 4K a 60 Hz ou Quad HD+ a 120 Hz.

Continua após a publicidade
Snapdragon 7 Plus Gen 3Snapdragon 7 Plus Gen 2Snapdragon 8s Gen 3
CPU

1x Cortex-X4 (máxima performance) a 2,8 GHz

4x Cortex-A720 (alto desempenho) a 2,6 GHz

3x Cortex-A520 (alta eficiência) a 1,9 GHz

1x Cortex-X2 (máxima performance) a 2,91 GHz

3x Cortex-A710 (alto desempenho) a 2,49 GHz

4x Cortex-A510 (alta eficiência) a 1,8 GHz

1x Cortex-X4 (máxima performance) a 3,0 GHz

4x Cortex-A720 (alto desempenho) a 2,8 GHz

3x Cortex-A520 (alta eficiência) a 2,0 GHz

GPUAdreno 732Adreno 725Adreno 735
Memória

LPDDR5X-4200

Até 24 GB

Armazenamento UFS 4.0

LPDDR5-3200

Até 16 GB

Armazenamento UFS 3.1

LPDDR5X-4200

Até 24 GB

Armazenamento UFS 4.0

Modem

Snapdragon X63 5G

Download de até 4,2 Gbps

Snapdragon X62 5G

Download de até 4,4 Gbps

Snapdragon X70 5G

Download de até 5 Gbps

Câmeras108 MP única
64 MP + 36 MP dupla
36 MP + 36 MP + 36 MP tripla
Foto de até 200 MP
108 MP única
64 MP+36 MP dupla
32 MP+32 MP+32 MP tripla
Foto de até 200 MP
108 MP única
64 MP + 36 MP dupla
36 MP + 36 MP + 36 MP tripla
Foto de até 200 MP
Bluetooth + Wi-Fi

FastConnect 7800

(Bluetooth 5.4 + Wi-Fi 7)

FastConnect 6900

(Bluetooth 5.3 + Wi-Fi 6E)

FastConnect 7800

(Bluetooth 5.4 + Wi-Fi 7)

Litografia4 nm (TSMC)4 nm (TSMC)4 nm (TSMC)

Dito isso, há cortes voltados para reduzir os custos, com o uso de um modem 5G mais simples, o Snapdragon X63. Presente no Snapdragon 7 Gen 3 padrão, o componente não deixa de ser uma evolução frente ao X62 usado no Snapdragon 7 Plus Gen 2 por integrar melhorias de eficiência e desempenho do pacote Release 17 da 3GPP (o consórcio responsável por definir os rumos das redes móveis), apesar de curiosamente ter diminuido as velocidades de download para até 4,2 Gbps, contra 4,4 Gbps da geração passada.

Disponível globalmente, ainda que a chegada a países específicos (como o Brasil) dependa das fabricantes de celulares, o Snapdragon 7 Plus Gen 3 estreia ainda neste mês em dispositivos da OnePlus — que confirmou o uso da novidade no OnePlus Ace 3V — e da Sharp, com mais marcas previstas para revelar aparelhos que utilizam o chipset nos próximos meses.