O que é CPU?

Por Redação
photo_camera Divulgação

CPU é a sigla para Central Process Unit, ou Unidade Central de Processamento. Ele é o principal item de hardware do computador, que também é conhecido como processador. A CPU é responsável por calcular e realizar tarefas determinadas pelo usuário e é considerado o cérebro do PC.

Muitos erram ao confundir a CPU com o que na verdade é o gabinete do equipamento. O gabinete é apenas a estrutura de sustentação e proteção dos componentes internos da máquina - basicamente uma carcaça. O processador, por outro lado, é uma das peças internas.

As características da CPU influenciam diretamente na velocidade com que seus programas vão rodar na máquina. Existem vários tipos de processadores no mercado: de 32 e 64-bits, com um ou múltiplos núcleos, e compatíveis com diferentes placas-mãe. As principais fabricantes são a Intel e a AMD. A CPU é ligada à placa mãe por meio de um soquete, um dispositivo que permite ao processador receber energia para comandar as atividades do computador. Também existem vários tipos de soquetes no mercado e sua escolha limita a lista de CPUs compatíveis com a máquina.

Desempenho da CPU

Embora existam processadores de 32-bits e 64-bits, as versões de 32-bits praticamente não são mais vendidas, uma vez que os modelos de 64-bits permitem que o processador possa trabalhar com uma quantidade maior de dados por vez, além de suportar mais memória RAM. Para efeito de comparação, enquanto os processadores de 32-bits não reconhecem memórias maiores que 4 GB, os de 64-bits suportam até 168 GB. É importante ressaltar que mesmo que a CPU seja de 64-bits, seu Windows pode ser de 32-bits, e isso também limita os dados trabalhados pela máquina.

A quantidade de núcleos influencia na capacidade do seu processador em desempenhar atividades multitarefas. Quanto maior for o número de núcleos, maior é a capacidade do seu computador em lidar com vários programas abertos ao mesmo tempo.

As CPUs single core, com apenas um núcleo, são as mais antigas, e podem operar apenas uma tarefa de cada vez. Como elas não possibilitavam o bom desempenho de mais de uma tarefa (a cada nova operação iniciada, o computador ficava mais lento), logo surgiram as CPUs dual-core, que duplicaram o desempenho dos processadores e permitiram trabalhar com atividades multitarefa com muito mais eficiência.

Os processadores quad-core são ainda mais eficientes porque têm quatro núcleos, possibilitando que a máquina opere ainda mais funções sem perder desempenho e dê conta de programas mais pesados com maior velocidade. No entanto, vale lembrar que nem todos os programas conseguem usar todos os núcleos do PC. Grande parte deles é otimizada para usar dois ou até quatro núcleos. Por isso, processadores com mais de quatro núcleos ainda são úteis para poucas pessoas. Em geral, apenas alguns editores de imagem e vídeo são capazes de usar mais de quatro núcleos.

Além da quantidade de núcleos a velocidade do processador, medida em megahertz ou gigahertz, também faz diferença na rapidez com que os programas são rodados. A velocidade descreve o número máximo de cálculos por segundo que o processador pode executar. Quanto maior o número, mais rápido e potente é o processador.