O que é memória RAM?

O que é memória RAM?

Por Kris Gaiato | Editado por Bruno Salutes | 15 de Julho de 2021 às 10h30
(Imagem: Reprodução/Harrison Broadbent/Unsplash)

A memória RAM é um termo cotidiano no universo da informática. De modo geral, trata-se de um componente que está presente em computadores, celulares e videogames. Embora sua presença seja notável, muitos usuários não sabem o que é ou ainda para que serve a memória RAM. Se você faz parte desse grupo, o Canaltech vai te ajudar.

O conceito pode ser extraído do próprio nome "memória RAM". A sigla, originada da língua inglesa, significa random access memory— que, no bom português, quer dizer memória de acesso aleatório. A tradução literal entrega pistas sobre a função do componente, mas não é o suficiente para conceituá-lo.

O que é memória RAM?

Atualmente, os programas exigem bastante espaço na memória RAM, portanto tenha cuidado ao adquirir um dispositivo com pouco espaço de armazenamento temporário. (Imagem: Reprodução/Harrison Broadbent/Unsplash)

A memória RAM é responsável pelo armazenamento de informações necessárias para a execução de aplicativos em uso e para o funcionamento do próprio sistema operacional. Essa peça, inclusive, facilita o trabalho do processador que pode acessar os dados essenciais mais rapidamente.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

A partir disso, podemos classificar a memória RAM como um espaço temporário de trabalho já que, após a conclusão de uma tarefa, os arquivos são transferidos para o HD ou SSD, que são essencialmente mais lentos e possuem aplicações a longo prazo no sistema. O armazenamento feito pelo hardware, aliás, ocorre de acordo com a atividade do usuário, isto é, de modo não-sequencial — daí vem o nome "memória de acesso aleatório".

Em termos práticos, a memória RAM determina quantos aplicativos o usuário pode acessar simultaneamente, bem como a velocidade de carregamento de páginas e arquivos. Assim, quanto mais espaço o dispositivo possui, mais fluida será a execução de programas.

Como funciona?

A capacidade dessa memória é medida pelo fluxo de bits suportados nas operações, representada pela quantidade de megabites ou gigabites exibida nas configurações do dispositivo. Gradualmente, os programas se tornaram mais pesados e, com isso, passaram a exigir espaços maiores no sistema.

Mas, afinal, como a memória RAM processa as informações? Composta por milhões de transistores e capacitores, ela se assemelha a um micro-processador. Quando os capacitores, que armazenam elétrons, estão carregados, o sistema consegue ler o código binário de zeros e uns. Cada leitura representa um bit de informação. Dessa forma, a quantidade de megabites ou gigabites se relaciona diretamente com a capacidade de processamento de dados.

Largura e velocidade de barramento

O funcionamento da memória RAM, contudo, não pára por aí: a sua capacidade de processamento também está ligada à largura e velocidade de barramento, um conjunto de “fios” responsáveis pela conexão do hardware com outros componentes.

Enquanto a largura refere-se ao número de bits que podem ser enviados ao CPU simultaneamente, a velocidade (também chamada de frequência ou clock) relaciona-se ao número de vezes que esses dados são encaminhados a cada segundo. Uma memória RAM de 100MHz e 32bits, então, pode enviar 32bits de dados 100 milhões de vezes por segundo.

Vale observar que nesse processo pode estar presente a famosa e temida latência, efeito que atrasa a taxa de transferência de dados após o envio do primeiro bit.

DDR: o que é?

DDR é uma sigla que acompanha alguns modelos de memória RAM. Originada do inglês, a abreviação significa double data rate ou dupla taxa de transferência.

Como o próprio nome sugere, a presença de DDR indica que o componente transfere o dobro de informações por ciclo de clock. Existem inúmeras gerações da tecnologia e, claro, as mais recentes possuem taxas de transferências maiores. Nessa lógica, quanto maior o número que acompanha a sigla DDR, mais potente será a memória RAM.

O que considerar ao escolher uma memória RAM?

De modo geral, é preciso se atentar a três fatores principais na hora de comprar uma memória RAM:

  • Capacidade: que é medida em gigabytes (GB) e, como explicado anteriormente, indica quantos arquivos o modelo pode armazenar ao mesmo tempo;
  • Clock de memória ou frequência: medido em megahertz (MHz), se refere à velocidade de processamento dos dados;
  • DDR: indica a geração da placa de memória RAM.
É importante observar a memória RAM na hora de adquirir celulares, notebooks e videogames ou ainda durante a construção de um setup. (Imagem: Reprodução/Possessed Photography/Unsplash)

Ao comprar uma nova memória RAM para a sua máquina, é preciso levar em conta o seu perfil de usuário. Se você utiliza o dispositivo apenas para tarefas simples, um modelo mais simples te atenderá bem. Nessa hipótese, é recomendável ter uma memória RAM de pelo menos 8GB, que proporcionará fluidez ao sistema.

Existem opções de 4GB no mercado, contudo, elas costumam ser insuficientes até mesmo para configurações mais simples. Alguns computadores e notebooks são equipados com 6GB (através da união de modelos e 4GB e 2GB). Isso, no entanto, é bastante raro.

Caso você use programas mais pesados, como editores de imagens e vídeos ou jogos, será necessário investir em um hardware de no mínimo 16GB. Essa quantidade de memória já é suficiente para montar um setup de respeito, mas se quiser ir além, adquira um modelo de 32GB.

No momento de comprar uma nova memória RAM, lembre-se de levar em conta a geração do modelo e sua compatibilidade com o sistema, que poderá limitar a taxa de transferência.

Fonte: Digital Trends, CNET

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.