Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Snapdragon 7 Plus Gen 2 estreia com ganhos de desempenho de até 100%

Por| Editado por Wallace Moté | 17 de Março de 2023 às 09h59

Link copiado!

Divulgação/Qualcomm
Divulgação/Qualcomm
Tudo sobre Qualcomm

Como havia confirmado na semana passada, a Qualcomm anunciou nesta sexta-feira (17) o Snapdragon 7 Plus Gen 2, novo chipset intermediário premium da gigante que promete entregar ganhos massivos de desempenho frente ao 7 Gen 1. Apesar do nome diferente do que apontavam os rumores, a plataforma atende ao que era esperado ao ser basicamente uma versão simplificada do Snapdragon 8 Gen 1, devendo turbinar os smartphones avançados mais acessíveis de 2023.

Snapdragon 8 Gen 1 com novo nome

Como havia sido especulado, o novo processador da série 7 possui especificações quase idênticas ao 8 Gen 1, sendo o primeiro da linha intermediária premium a contar com um núcleo Cortex-X de máxima performance. Assim sendo, o componente é embarcado com 8 núcleos, sendo 1 Cortex-X2 de máxima performance rodando a até 2,91 GHz, 3 Cortex-A710 de alto desempenho trabalhando a até 2,49 GHz e 4 Cortex-A510 operando a 1,8 GHz. A única diferença para o flagship do ano passado é a redução de até 100 MHz nos clocks.

Continua após a publicidade

A GPU Adreno ainda não teve o nome confirmado, mas tudo indica se tratar da Adreno 730, enquanto o sistema FastConnect 6900 — o mesmo do 8 Gen 1 — fornece acesso ao Bluetooth 5.3 e Wi-Fi 6E. Curiosamente, foi mantido o modem 5G do 7 Gen 1, o Snapdragon X62, mais simples que o X65 e X70 das plataformas premium da empresa, mas que ainda oferece suporte ao 5G mmWave, velocidade de 4,4 Gbps e uma novidade: a tecnologia 5G DSDA (Dual SIM Dual Active), em que ambos os SIM têm acesso ao 5G ao mesmo tempo.

A principal mudança, que deve garantir um avanço significativo de eficiência energética, é o uso da litografia de 4 nm da TSMC, em vez dos 4 nm da Samsung adotados no Snapdragon 7 Gen 1. Como o próprio Snapdragon 8 Plus Gen 1 provou, a tecnologia da fundição taiwanesa é superior à da gigante sul-coreana, e deve garantir que o nível de aquecimento seja baixo e o desempenho prometido seja mantido mesmo sob estresse, sem impactar a bateria de maneira significativa.

Por falar no desempenho, a Qualcomm promete avanços massivos de performance em todos os departamentos: a CPU seria 50% superior à da geração anterior, enquanto a GPU seria nada menos que 2 vezes mais veloz. O processamento de Inteligência Artificial também apresentaria 100% de melhorias graças à nova Qualcomm AI Engine, enquanto a eficiência é 13% maior e a performance por Watt subiria em 40%, o que deve garantir que a autonomia não seja prejudicada drasticamente, mesmo com os enormes aprimoramentos.

Fechando o pacote de processamento está o suporte às memórias LPDDR5 rodando a até 6400 Mbps, o que deve proporcionar largura de banda de até 25,6 GB/s — as significativamente mais velozes LPDDR5X ficaram de fora. Isso deve estressar mais o sistema de cache do processador, considerando as melhorias de performance da CPU e GPU, mas se observarmos a boa performance do 8 Gen 1 (e especificamente do 8 Plus Gen 1) e levarmos em conta que este é um chip intermediário, esse aspecto não deve ser um problema.

Câmera de 200 MP e mais recursos premium

A experiência mais acessível de topo de linha também é encontrada nas câmeras. O chip traz um processador de sinal de imagem (ISP) Qualcomm Spectra triplo, com capacidade de realizar gravações em 4K HDR com profundidade de cor de 18-bit, além de 4K a 60 FPS, upgrade significativo do limite de 30 FPS do Snapdragon 7 Gen 1. Fora isso, há compatibilidade com câmeras de até 200 MP, o que deve ajudar a popularizar os novos sensores de altíssima resolução de marcas como a Samsung.

Continua após a publicidade

Fora isso, a suíte de recursos premium de áudio e games da empresa estão por aqui, incluindo o Snapdragon Sound para som de alta definição e o Snapdragon Elite Gaming, com tecnologias como o Adreno Frame Motion Engine, capaz de gerar quadros adicionais para aumentar o FPS dos jogos, e o Auto VRS (Variable Rate Shading), que diminui dinamicamente o nível de detalhes de áreas menos visíveis dos games para aprimorar o desempenho.

A característica mais interessante e bem-vinda do Snapdragon 7 Plus Gen 2 é a faixa de preço dos smartphones que a plataforma deve equipar: falando ao Android Authority, a Qualcomm confirmou que espera que o chip deve ser encontrado em telefones que custem entre US$ 400 (~R$ 2.100) e US$ 600 (~R$ 3.150), muito menos que os US$ 800 (~R$ 4.200) a US$ 1.000 (~R$ 5.250) em que víamos o Snapdragon 8 Gen 1.

Continua após a publicidade

Isso simboliza que os intermediários de 2023 devem oferecer uma experiência muito mais robusta que os modelos de anos anteriores, próxima aos de flagships do ano passado, sem pesar tanto na carteira do consumidor, além de se tornar uma opção atraente para entusiastas que não querem ter de investir verdadeiras fortunas para ter alta performance. Além disso, o Snapdragon 7 Plus Gen 2 coloca mais pressão na MediaTek, considerando que seu rival direto, o Dimensity 8200, traz uma ficha mais simples.

Os primeiros celulares equipados com a novidade chegam ainda em março e, conforme apontam rumores, devem estar na lista o Redmi Note 12 Turbo e o Realme GT Neo 5 SE. Há ainda uma vaga possibilidade de vermos o suposto Galaxy S23 FE adotando a novidade.

Fonte: WCCFTech