O que esperar da linha Redmi Note 11

O que esperar da linha Redmi Note 11

Por Eduardo Moncken | Editado por Wallace Moté | 25 de Outubro de 2021 às 10h40
Xiaomi

Após uma atualização geracional morna com os Redmi Note 9, a Xiaomi incrementou bastante os recursos da família com a chegada dos Redmi Note 10. Foram muitas variantes que, dentre seus diferenciais, ofereceram tela AMOLED, altas taxas de atualização, câmeras versáteis, e carregamento rápido para as baterias grandes dos produtos.

Alguns modelos ofertam conectividade 5G, por isso as expectativas para a linha Redmi note 11 são grandes. Rumores já buscaram antecipar o que os consumidores podem esperar, e a Xiaomi irá anunciar os primeiros modelos no próximo dia 28 de outubro.

Sendo assim, o que deverá ser oficializado em breve, para o usuário que procura um novo celular intermediário da Xiaomi para chamar de seu?

Onde assistir o lançamento do Redmi Note 11

O evento terá transmissão nas mídias sociais da marca para o público chinês, sendo este primeiro evento focado no país. Ainda assim, é esperada pelo menos a presença de legendas em inglês, algo comum nas conferências da Xiaomi. O evento acontecerá no próximo dia 28 de outubro, quinta-feira, às 19h do horário local, ou 8h da manhã de Brasília.

Atualização de processador

(Imagem: Divulgação/MediaTek)

De início os insiders se dividiam se a Xiaomi iria adotar soluções da Qualcomm ou da MediaTek. Benchmarks, porém, cravam que a chinesa irá abarcar os SoCs Dimensity nos próximos produtos.

O Redmi note 11 mais básico poderá abarcar um MediaTek Dimensity 810, enquanto o Redmi Note 11 Pro poderia oferecer o Dimensity 920. Se fala ainda em um modelo Pro Plus que pode repetir este último chip, mas que curiosamente vem pontuando melhor no Geekbench.

Quanto à memória, haveria poucas mudanças em relação aos Redmi Note 10. Haveria opções de 6 ou 8 GB de memória RAM, com capacidades nativas de armazenamento de até 256 GB.

Design revisitado e som da JBL

(Imagem: Divulgação/Xiaomi)

A série Redmi Note 10 trouxe um novo design para a linha ao mudar o layout das câmeras traseiras. Tudo indica que o sistema fotográfico também virá posicionado à margem esquerda do celular com a próxima geração, mas sua construção trocará materiais e alguns detalhes.

A traseira do Redmi Note 11 deve adotar acabamento fosco graças a um acabamento em vidro. Para além de adicionar um elemento mais sofisticado que o plástico, essa mudança deve se traduzir em menos marcas de dedos e arranhados visíveis na carcaça do celular.

Algo que deverá agradar parte dos usuários seria a angulação reta de cantos, algo que a Apple fez com a linha iPhone 12 sendo elogiado. É uma solução pouco utilizada pela indústria, e pode conferir aos aparelhos visual ainda mais diferenciado.

Por último, o som seria assinado pela JBL. Isso é algo que vem se tornando até comum em intermediários competitivos, e traz uma espécie de atestado de credibilidade para quem utiliza os alto-falantes nativos para assistir vídeos no YouTube ou para consumir música via streaming.

AMOLED e mais taxa de atualização

(Imagem: Divulgação/Xiaomi)

Algo que chamou atenção na geração Redmi Note 10 foi a adoção em larga escala de telas AMOLED. Esse tipo de painel oferece pixels pretos realmente apagados, apresentando duas vantagens: visualização mais fiel de tons escuros, e uma leve economia de energia em apps e temas noturnos.

Para a próxima geração, informações de bastidores apontavam que ao menos versões mais básicas, como o Redmi Note 11, poderão trazer painel LCD. Porém, a própria Xiaomi, em teasers, já pontuou que a linha deve manter os painéis dos RN10, produzidos pela Samsung.

Outra ótima notícia é que esse modelo pode chegar já com taxa de atualização de 120 Hz, o que é um avanço frente ao Redmi Note 10 mais simples, que oferece apenas 60 Hz.

O Redmi Note 11 Pro, por sua vez, também traria 120 Hz. O tamanho desses aparelhos ainda é desconhecido, mas por histórico modelos Pro trazem painel maior.

Mais modelos com 5G

Na linha Redmi Note 10 os modelos com a nova conectividade de redes eram específicos e levavam 5G no nome. Agora mais popularizada lá fora, a tecnologia começa a chegar de forma mais linear a novos celulares.

Com isso, mesmo o Redmi Note 11 deve embutir 5G. Isso porque o Dimensity 810 traz suporte à quinta geração da rede móvel. O mesmo aconteceria com os modelos Pro e Pro Plus, já que há suporte no Dimensity 920.

Se a Xiaomi confirmar 5G nesses três primeiros lançamentos, certamente veríamos mais variantes do Redmi Note 11 com esse suporte. Afinal, ao longo do ciclo de vida dos Redmi, a marca lança novos modelos com características distintas, conforme observamos com a família Note 10.

Câmeras revisadas

(Imagem: Divulgação/Xiaomi)

Se você já possui um Redmi Note 10, talvez a atualização de câmeras dos Redmi Note 11 não represente um upgrade tão considerável assim para a migração. Mas as revisões que poderiam ser feitas devem representar um salto de recursos maior em comparação com um Redmi Note mais antigo.

O Note 11 pode trazer uma nova lente principal de 50 MP ainda não especificada, substituindo o sensor de 48 MP do Redmi Note 10. Os outros sensores ainda não foram contemplados por vazamentos, mas a empresa deve manter ao menos uma lente ultrawide, e talvez sensor macro e de profundidade. Não é esperada a adoção de câmera com zoom óptico na versão base da linha.

Já o Redmi Note 11 Pro deve seguir com uma câmera principal de 108 MP, mas não se sabe ainda se será o mesmo sensor do Redmi Note 10 Pro. A troca do componente poderia melhorar os registros em diversos aspectos, especialmente caso a Xiaomi adote uma abertura maior para as lentes ou estabilização óptica de imagens. Mas é incerto o que a fabricante fará aqui.

Sobre câmeras frontais, o modelo básico poderá chegar com um sensor de 13 MP, enquanto a versão mais avançada poderia oferecer 16 MP.

Até agora os vazamentos contemplaram pouco os aspectos de câmera da linha, e por isto elas devem ser a maior surpresa da empresa para o evento oficial. Como supostamente haverá um Redmi Note 11 Pro Plus, a expectativa para que o conjunto fotográfico seja surpreendente é alta.

Carregamento ainda mais rápido

(Imagem: Divulgação/Xiaomi)

Um mérito da linha Redmi Note 10 foi oferecer carregamento rápido mesmo nas suas versões mais básicas. Até hoje tem top de linha que não alcança os 33 W largamente usados pela Xiaomi, enquanto variantes mais caras da família alcançam, inclusive, 67 W.

E com a nova geração não deve ser diferente: estamos ouvindo falar de um modelo avançado que alcançaria 120 W de potência na tomada — algo que só o Mi 10 Ultra11T Pro e Xiaomi Mi Mix 4 atingem atualmente.

Mesmo que os modelos mais baratos incluam os atuais 33 W, ainda estariam em uma posição privilegiada no mercado de smartphones intermediários. Mas se fala que o Redmi Note 11 poderá ser anunciado já com 67 W, figurando em uma posição rara de mercado, ao lado, por exemplo, do Realme 7 Pro.

O Redmi Note 11 Pro poderá ser um dos modelos com essa recarga ultra veloz, mas apostas mais conservadores apontam que os 120 W serão alcançados apenas pela variante Pro Plus. Esta traria uma bateria de célula dupla, como forma de otimizar a receptividade de carga e conservar a autonomia.

A Xiaomi, inclusive, deve lançar um acessório para estatísticas da recarga rápida, buscando tranquilizar os usuários preocupados com o desgaste da bateria. Informações de bastidores apontam que a chinesa procurou embutir certificações de renome no mercado para assegurar que o usuário levará para casa um celular eficiente energeticamente — e seguro para trabalhar com recarga tão sofisticada.

Preço competitivo

Fabricantes chinesas foram as primeiras a investir em intermediários robustos a preços realmente competitivos. Isso se mostrou efetivo, dado o crescimento delas em curtos períodos.

O mercado sofre com a escassez de chips, mas insiders apontam que a Xiaomi deverá conseguir manter um valor equilibrado para seus próximos Redmi Note 11. Eles poderiam custar a partir de R$ 1.070 (pelo Redmi Note 11, em conversão direta), R$ 1.400 (Redmi Note 11 Pro) e R$ 1.960 (Redmi Note 11 Pro Plus).

A Xiaomi tem investido no mercado brasileiro, e dada a quantidade de Redmi Note 10 que chegou por aqui, é bastante provável que os Note 11 venham também. Mas tenha em mente que o preço nacional é mais elevado — dada as homologações e certificações de garantia envolvendo os aparelhos.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

Ofertas Redmi Note 11

  • Smartphone Xiaomi Redmi Note 11 64GB 4GB Twilight Blue (Azul)
    Cell Digital
    Smartphone Xiaomi Redmi Note 11 64GB 4GB Twilight Blue (Azul)
    R$ 1.185,24
  • Smartphone Xiaomi Note 11 64GB 4GB RAM Global e Desbloqueado Graphite Gray (Cinza)
    SuperDig*
    Smartphone Xiaomi Note 11 64GB 4GB RAM Global e Desbloqueado Graphite Gray (Cinza)
    R$ 1.185,34
  • Xiaomi Redmi Note 11 azul 64gb 4gb Ram
    Amazon
    Xiaomi Redmi Note 11 azul 64gb 4gb Ram
    R$ 1.229,90