Siga o @canaltech no instagram

B2B or not 2B | Resumo semanal do mundo corporativo

Por Stephanie Kohn | 29 de Março de 2019 às 14h12
Felipe Ribeiro

Bem-vindo ao nosso resumo semanal do mundo corporativo. Toda sexta-feira selecionamos as principais notícias que rolaram nos últimos dias para você ficar por dentro dos assuntos mais relevantes do momento. De estratégias de negócios até problemas judiciais, aqui você se atualiza em poucos minutos. Confira!

Queridinha

O Google é a empresa mais influente do Brasil pelo quarto ano seguido, segundo estudo The Most Influential Brands (As marcas mais influentes), divulgado pela consultoria de pesquisa de mercado Ipsos. A pesquisa avalia as marcas e seu poder de influência no cotidiano e no comportamento dos consumidores.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A Samsung aparece em segundo lugar, seguida por nomes como Facebook e YouTube. Os resultados mostram a força das empresas de tecnologia no Brasil, pois o ranking ainda inclui duas outras gigantes de tecnologia: Microsoft (6º lugar) e Netflix (9º lugar). As demais empresas são do setor de bens de consumo: Nestlé (5º), Colgate (7º), Johnson & Johnson (8º) e Omo (10º).

Ainda maior

A Uber expandiu ainda mais o seu domínio no Oriente Médio. A empresa anunciou a aquisição de sua principal concorrente na região, a Careem, por US$ 3,1 bilhões, sendo US$ 1,7 bilhão em títulos de dívida convertíveis em ações da empresa. O acordo é considerado o maior realizado entre empresas de tecnologia naquela região.

Com o negócio, a Uber consegue um significativo acesso à população de 600 milhões de pessoas que moram ali. A maior parte dos habitantes tem menos de 30 anos e vive em centros urbanos. A notícia é ainda mais positiva para a Uber porque a empresa está prestes a lançar sua oferta inicial de ações (IPO) para se tornar uma companhia de capital aberto.

Facilidade

O PagSeguro e a Visa anunciaram o lançamento de um cartão exclusivo para os empreendedores que recebem pagamentos por meio das máquinas da plataforma. O cartão, que começa a ser emitido em abril, poderá ser utilizado para compras e saques, funcionando por aproximação e nem mesmo exigindo o uso do chip em máquinas que sejam compatíveis com a tecnologia.

Para compras de até R$ 50, o processo acontecerá sem a necessidade de senha. Além de permitir compras em terminais físicos, o cartão também permite que os usuários façam compras online, pagando serviços ou adquirindo produtos por meio da internet, usando o saldo de sua conta digital.

A ideia das empresas é dar mais agilidade e segurança aos usuários das maquininhas do PagSeguro, que agora poderão movimentar suas contas diretamente. Mais do que os benefícios para os empreendedores da plataforma, a empresa afirma que a iniciativa gera inclusão financeira e evita riscos, com os clientes não mais precisando realizar saques para depositar a renda obtida com suas vendas em uma conta bancária tradicional.

No more dates

Preocupações relacionadas à privacidade e proteção de dados estão fazendo com que um comitê especial do governo dos Estados Unidos (“Comitê de Investimento Estrangeiro dos EUA”, ou simplesmente “CFIUS”) pressione a empresa chinesa Kunlun Tech a vender o Grindr, primeiro aplicativo de encontros e relacionamento dedicado exclusivamente ao público gay, queer, bissexual e transsexual.

A empresa, segundo a Reuters, já estaria buscando uma firma de investimentos estadunidense para oferecer a sua propriedade no aplicativo, ou para algum de seus concorrentes diretos. Antes desse caso vir à tona, a empresa buscava um IPO para o app.

A Kunlun Tech, além do Grindr, também é dona de parte do navegador Opera. O escrutínio a empresas da nação asiática se dá pelo acesso que eles teriam a informações pessoais, e pode trazer relações com o crescente atrito do governo com empresas de telecomunicação chinesas, como Huawei e ZTE.

Sinergia

A Adobe e a Microsoft anunciaram uma parceria para impulsionar seus produtos de software de vendas e marketing. A informação foi confirmada durante o evento Adobe Summit em Las Vegas, nos Estados Unidos.

As empresas compartilharão dados entre suas plataformas para fechar vendas consideradas mais complexas. A parceria pode até facilitar o processo dos usuários do software de marketing da Adobe em encontrar e direcionar equipes de potenciais clientes a produtos corporativos no LinkedIn, rede social de propriedade da Microsoft.

Oferta Pública Inicial

A startup de videoconferência Zoom entrou com pedido de IPO para se tornar uma empresa de capital aberto e negociar suas ações na Nasdaq.

A empresa havia sido avaliada em US$ 1 bilhão em 2017. Agora, passa a fazer parte da crescente lista de unicórnios tecnológicos que estão se arriscando a entrar no mercado de ações, mas ela se destaca por uma razão: a startup é realmente lucrativa.

Fundada em 2011 por Eric Yuan, a Zoom registrou receita de US$ 330 milhões no ano encerrado em janeiro de 2019. Desde que foi fundada, a startup vem dobrando sua receita ano a ano, com lucro atual de US$ 269,5 milhões.

Será o fim?

De acordo com uma decisão da corte dos Estados Unidos, a Apple infringiu uma patente pertencente a Qualcomm, e por isso alguns modelos de iPhones poderão ter a venda bloqueada no país.

No caso julgado pela juíza Mary Joan McNamara, foi reconhecido que os iPhones que utilizam chips de modem da Intel infringiram duas patentes da Qualcomm, relacionadas à melhoria da velocidade e qualidade dos downloads e à economia de energia pelo componente. A ação pede pelo bloqueio das vendas do iPhone 7 e também do iPhone 7 Plus, mas ainda não está claro se a decisão concerne apenas A decisão final é esperada para julho.

Cofre cheio

O Mercado Livre anunciou um investimento de R$ 3 bilhões dedicados às suas operações no Brasil. A companhia explica que grande parte desse capital será usada para incrementar a área logística, visando acelerar a velocidade de entregas das mercadorias, e para a expansão da oferta de serviços financeiros do Mercado Pago.

É interessante notar que o investimento equivale a 50% a mais do que foi realizado pela empresa ao longo de 2018 (R$ 2 bilhões), que já tinha sido duas vezes superior ao do ano de 2017 (R$ 1 bilhão).

De acordo com a Stelleo Tolda, diretor de operações da companhia, o Mercado Livre inicia uma nova etapa de investimentos no país, permitindo manter a liderança no setor além de ter “mais recursos para trabalhar no aprimoramento da experiência do cliente, seja na plataforma do Mercado Livre, seja na utilização dos serviços do Mercado Pago”.

Sucesso

A Lyft, principal concorrente da Uber nos Estados Unidos, foi avaliada em US$ 24,3 bilhões (R$ 95 bilhões, na cotação atual) em sua oferta pública inicial (IPO) — a primeira de uma startup de transportes — na quinta-feira (29). O resultado, segundo a empresa, foi acima do esperado, vencendo a desconfiança de parte dos investidores, que criticaram a estrutura acionária e também as estratégias para direção autônoma.

A Lyft levantou US$ 2,34 bilhões (R$ 13,2 bilhões) ofertando 32,5 milhões de ações, um pouco mais do que estava oferecendo originalmente, a US$ 72 (R$ 280) cada. A Lyft iniciou o seu road show para investidores no início deste mês, com um intervalo-alvo de US$ 62 (R$ 241) a US$ 68 (R$ 265) por ação.

Em alta

A Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) estima que o setor de e-commerce deve atingir um volume de vendas de R$ 79,9 bilhões em 2019, além de um ticket médio de R$ 301 e 265 milhões de pedidos efetuados pelos consumidores online até o final deste ano.

Segundo a divulgação, as empresas que atuam no comércio eletrônico nacional devem investir na melhoria de suas plataformas, adicionando recursos aos seus respectivos marketplaces, se ajustando ao dia a dia dos consumidores, que buscam velocidade e praticidade na hora de comprar um produto.

Mais além, lojistas estão buscando acordos comerciais com fornecedores nacionais e internacionais — alguns exclusivos — a fim de assegurar a preferência do consumidor, que costuma ter certas marcas como preferência, tornando-se natural a sua busca por lojas que as vendam.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.