SAIU O RESULTADO DO SORTEIO DO PRÊMIO CANALTECH!CONFERIR
Publicidade

O que é VRAM?

Por| Editado por Jones Oliveira | 10 de Setembro de 2023 às 20h00

Link copiado!

Reprodução/AMD
Reprodução/AMD

VRAM é a sigla para Video Random Access Memory, também conhecida como memória RAM da placa de vídeo ou simplesmente memória de vídeo. Essa estrutura está presente nas placas de vídeos para armazenar informações relacionadas com a geração de imagens. Isso significa que esse componente é indispensável para, literalmente, criar o site que você está lendo agora ou renderizar as texturas complexas de um game que você joga.

E sim, a VRAM é uma irmã da memória RAM tradicional do computador, mas seu funcionamento é bem mais específico e difere, sobretudo, em relação à velocidade do processamento e comunicação com outros componentes do PC. Além disso, fisicamente a VRAM está alocada em outro estrutura, bem diferente de onde ficam os pentes de memória RAM da máquina.

O que é a VRAM?

Continua após a publicidade

Utilizando uma explicação mais completa, a memória de vídeo é um componente que guarda todas as informações que a placa de vídeo precisa para gerar os quadros que compõem uma imagem. Em teoria, quanto mais VRAM uma placa de video tem, maior será sua capacidade de renderizar imagens complexas em menos tempo.

Para um uso normal, como navegação na internet, planilhas, documentos em PDF, trabalhos acadêmicos, etc, a memória de vídeo é pouco utilizada. Porém, não confunda pouco utilizada com a palavra inutilizada. Ainda que sejam tarefas simples, a VRAM atua na construção dessas imagens mais simples.

Todavia, a Video Random Acess Memory brilha quando o assunto são games, edição audiovisual, modelagem 3D e assim por diante. São essas tarefas que exigem mais processamento de dados que demandam mais da VRAM justamente pela necessidade de carregar texturas múltiplas vezes.

Continua após a publicidade

Como a VRAM funciona?

Computadores são máquinas complexas em que tudo funciona em números binários, ou seja: 0 e 1. Para renderizar a imagem de um jogo, por exemplo, o processador fará todos os cálculos lógicos e enviará essas informações "traduzidas" para a placa de vídeo. A GPU, por sua vez, vai ler essas informações, que ficarão guardadas na VRAM e serão passadas para que o chip e as demais estruturas criarem os quadros e as imagens vistas no monitor.

Em um exemplo prático, o processador pode detalhar o formato de um personagem que a memória de vídeo armazenará e, conforme a ordem da imagem surgir, o chip vai puxando essas informações da memória de vídeo para construir cada quadro até finalmente formar uma imagem completa. Mas o que exatamente a VRAM está guardando?

Ao instalar um game, uma pasta de arquivos ficará disponível no computador. Nessa pasta há milhares de outros arquivos que você não conseguirá abrir. Esses arquivos são a construção das imagens que vemos na tela. A textura de uma pedra em GTA V é, na verdade, uma imagem presente em um daqueles arquivos na pasta do jogo que a CPU vai interpretar onde e como deve estar e a VRAM vai guardar essa textura até que o chip decida que é hora desse quadro ser criado e enviado para o monitor quando estiver concluído.

Continua após a publicidade

Porém, perceba que, durante a jogatina, o jogador olhará aquela pedra várias vezes por diversos ângulos. Logo, a VRAM guarda diversas informações para a GPU acessá-la rapidamente, sem precisar ir até os arquivos do jogo buscar. Isso demandaria muito mais tempo e derrubaria a performance.

Tudo isso parece abstrato e lento demais, mas as coisas não funcionam dessa forma. O cálculo, acesso, interpretação e geração das imagens é um processo extremamente rápido, na casa dos microssegundos.

Barramento da memória e largura de banda

Continua após a publicidade

Além da VRAM, outros dois nomes que sempre aparecem na hora de escolher uma placa de vídeo é o barramento e a largura de banda. O barramento é geralmente referido como "192-bit", "256-bit", "384-bit" e assim por diante. Mas por que isso importa?

O barramento é um canal de comunicação entre a memória e o chip da placa de vídeo. Para que as texturas de um jogo sejam carregadas na VRAM e passadas para que o chip possa criar os quadros, os dados passam por esses canais.

Na teoria, quanto mais bits o barramento tiver, maior será a velocidade que a memória vai enviar dados para a GPU. No entanto, as frequências que esses dados são transferidos também importam, caso contrário o barramento não vai adiantar muito.

Continua após a publicidade

A multiplicação entre a frequência e o barramento da memória é igual à largura de banda daquela placa de vídeo. Esse número significa a taxa de transferência dos dados, ou seja, a velocidade em que as informações serão enviadas para o chip. Agora sim, seja na prática ou na teoria, quanto maior a largura de banda, mais desempenho uma placa de vídeo pode ter.

Pense o barramento como uma rodovia cheia de faixas diferentes para os carros (texturas) passarem. A largura de banda é como a velocidade desses carros em movimento até chegar ao seu destino.

Por que os jogos usam cada vez mais VRAM?

Essa pergunta é tópico de discussão na comunidade do hardware há alguns anos e ainda não há uma resposta correta. No entanto, a explicação mais plausível e sensata é que os games estão cada vez mais realistas conforme a evolução tecnológica, portanto necessitam de mais memória de vídeo.

Continua após a publicidade

Hoje, rodar títulos em Quad HD e, principalmente, 4K já é uma realidade para muitos. Além da indústria ter placas de vídeo potentes o suficiente para isso, tecnologias de redimensionamento de imagem como o DLSS e o FSR ajudam nesse processo. E como você já deve imaginar, games em 4K precisam de arquivos em 4K, como as texturas que ficam armazenadas na VRAM.

Quanto mais alta for a resolução do arquivo, mais gigabytes da VRAM serão necessários para armazenar esse conteúdo, assim como uma largura de banda maior para transferir tantos dados em tão pouco tempo. Além disso, os detalhes dessas texturas ficaram cada vez mais realistas, necessitando de implementações extras dentro dos jogos.

Por exemplo, um grande consumidor de memória de vídeo é a iluminação global, principalmente quando feita por Ray Tracing. A VRAM precisa alocar quantidades gigantescas de dados para que as ferramentas necessárias realizem os cálculos complexos dos pontos de luz, mesmo com o auxílio de IA e aprendizado de máquina.

Continua após a publicidade

Quanto de VRAM eu preciso para jogar?

Essa é outra pergunta que ainda não tem uma resposta exata, mas é possível se nortear em alguns parâmetros. Games mais leves funcionam bem com 4 GB de memória de vídeo, principalmente porque jogadores competitivos de Counter-Strike, Valorant, Call of Duty, etc utilizam configuração de qualidade baixa para aumentar a taxa de quadros.

Aliás, Call of Duty Warzone 2.0 é um caso a parte. Por conta do Battle Royale e o escopo maior, esse título adora consumir muita memória VRAM, chegando a até 11 GB em certas ocasiões e alocando até 16 GB em muitos cenários. Essa alocação de memória não significa que tudo isso está sendo consumido pela placa, mas sim que há 16 GB prontos para, eventualmente, serem utilizados se for preciso. Mas isso não chega a acontecer.

Os games de maior porte, chamados de AAA, como God of War, Spider-Man, Assassin's Creed, Dying Light 2 e Resident Evil 4 já consomem entre 6 GB e 8 GB de memória de vídeo. Isso varia de jogo para jogo, mas esses números são referentes a uma jogatina em Full HD (1920x1080).

Continua após a publicidade

O "meio de campo" ideal para consumidores que buscam o custo-benefício é se concentrar em placas entre 8 GB e 12 GB, pensando na longevidade. Esses modelos são ideais para os 1080p, mas também podem dar conta do Quad HD. É o caso das RTX 3060 Ti, Radeon RX 6700 XT, Radeon RX 6600 XT, RTX 3060, Intel Arc A750, Radeon RX 7600 e da RTX 4060.

Placas entre 12 GB e 16 GB já são recomendadas para Quad HD e 4K, enquanto os modelos com mais de 16 GB são aqueles voltados para entusiastas do hardware. Dessa forma, se você tiver alguma GPU com 8 GB ou mais já deve estar sossegado.

Como otimizar o uso da VRAM no computador?

Continua após a publicidade

Se você já está se perguntando se, assim como a memória RAM, é possível expandir a memória de vídeo, saiba que isso não é possível. Porém, há algumas formas simples de otimizar o uso da VRAM.

Em games, caso você sinta travadas e stuttering, um dos motivos pode ser a falta de memória de vídeo. Para monitorar o desempenho do PC, utilize softwares como o MSI Afterburner. Observe o quanto de VRAM está sendo consumida e compare com a quantidade disponível na sua placa de vídeo. Se o problema se confirmar, uma boa dica é diminuir a qualidade das texturas e iluminação global, reiniciar o game e testar novamente.

Também vale fechar todas as aplicações em segundo plano ao jogar um game. Embora isso retire carga do processador, certos softwares um pouco mais pesados podem estar consumindo a VRAM e afetando o desempenho da sua máquina.

Continua após a publicidade

Quanto de VRAM tem no seu computador?

Para saber a quantidade de VRAM presente na sua placa de vídeo, basta acessar a Ferramenta de Diagnóstico do DirectX no computador, sem a necessidade de instalar aplicativos.

  1. Na barra de pesquisa do Windows, digite o comando dxdiag;
  2. Clique na opção correspondente;
  3. Na janela que aparecer, vá até a opção Exibição;
  4. Lá, o sistema mostrará a quantidade de VRAM disponível para a sua placa de vídeo ou a memória total do sistema, caso se trate de um processador com gráficos integrados.

Com informações de NVIDIA e History Computer