Snapdragon 8 Gen 1 tem melhor GPU para celulares já feita

Snapdragon 8 Gen 1 tem melhor GPU para celulares já feita

Por Renan da Silva Dores | Editado por Wallace Moté | 07 de Dezembro de 2021 às 13h30
Qualcomm

A Qualcomm anunciou na semana passada, durante o Snapdragon Tech Summit, o aguardado Snapdragon 8 Gen 1, chipset premium da marca para celulares Android topo de linha de 2022. Com os detalhes revelados, a empresa realizou uma apresentação para exibir a potência do novo SoC, divulgando algumas das promessas e permitindo a realização de testes de benchmark com uma unidade de referência, além de apresentar números oficiais das principais plataformas.

Snapdragon 8 Gen 1 marca nova era para a Qualcomm

Antes de conferirmos os resultados, é válido relembrarmos as especificações do novo chip da Qualcomm, e conferirmos o conjunto oferecido pelo smartphone de referência da gigante. O Snapdragon 8 Gen 1 é o primeiro chipset da companhia a empregar a arquitetura ARMv9 e os novos núcleos derivados, em uma configuração de 8 núcleos, com fabricação da Samsung em litografia de 4 nm não especificada.

Esses núcleos estão dispostos em uma organização de 1 + 3 + 4, sendo 1 núcleo Cortex-X2 de máxima performance rodando a até 3,0 GHz, 3 Cortex-A710 de alto desempenho a 2,5 GHz e 4 Cortex-A510 de baixo consumo a 1,8 GHz, apoiados por 6 MB de cache L3 e 4 MB de cache do sistema. Segundo a fabricante, essa combinação oferece até 20% mais desempenho enquanto consome 30% menos energia quando comparado ao Snapdragon 888.

O Snapdragon 8 Gen 1 prometendo avanços significativos em desempenho, câmeras, Inteligência Artificial e games (Imagem: Qualcomm)

Junto ao desempenho, o lançamento dá destaque para outras três áreas: câmeras, com suporte a gravações em 8K com HDR, compatibilidade com sensores de 200 MP, capturas em RAW de 18-bit, e engines dedicadas para a lente ultrawide e o modo retrato; Inteligência Artificial, com 4 vezes mais poder de processamento de IA que o antecessor e recursos como o Vertex AI, em parceria com o Google Cloud; e games, com GPU Adreno recheada de novas funcionalidades para títulos premium.

A nova plataforma da Qualcomm também chama atenção pelo nome — o Snapdragon 8 Gen 1 marca uma nova era para a empresa de San Diego, que não apenas deu "independência" à marca Snapdragon, como ainda buscou simplificar o sistema de nomenclatura dos chips.

Abandonando o uso de três números dos anos anteriores, agora há 4 séries — série 8 para topos de linha, série 7 para intermediários premium, série 6 para intermediários e série 4 para smartphones de entrada — com cada novo processador representado pela geração à qual pertence.

Além de Snapdragon 8 Gen 1, o celular de referência da Qualcomm trazia tela AMOLED Full HD+ de 144 Hz, 8 GB de RAM LPDDR5 e 512 GB de armazenamento UFS 3.1 (Imagem: Wallace Moté/Canaltech)

Alimentando pelo Snapdragon 8 Gen 1, o celular utilizado nos testes realizados pelo editor Wallace Moté, diretamente do Snapdragon Tech Summit, trazia ainda 8 GB de RAM LPDDR5 e 512 GB de armazenamento UFS 3.1, além de tela AMOLED com resolução Full HD+ e taxa de atualização de 144 Hz.

Promessas e benchmarks oficiais

Partindo para os resultados, a Qualcomm exibiu presencialmente testes do novo Snapdragon no AnTuTu e no Geekbench, dois dos mais populares benchmarks para avaliar a performance geral dos chipset mobile e o poder de processamento da CPU, respectivamente. A empresa demonstrou ainda uma tabela com números de outros testes que avaliam gráficos, IA e navegação, trazendo uma média de 3 resultados.

No AnTuTu, o Snapdragon 8 Gen 1 superou com folga o antecessor e dois principais concorrentes — o Google Tensor do Pixel 6 Pro e, surpreendentemente, o A15 Bionic do iPhone 13 Pro. Com 1.016.444 pontos, o componente foi 24% superior ao Snapdragon 888 (823.681 pontos), 45% mais potente que o Tensor (701.948 pontos), e 30% melhor que o A15 Bionic (778.000 pontos).

O novo chip da Qualcomm mostra excelência no AnTuTu, com vantagens de até 45% — na imagem, da esq. para a dir.: Snapdragon Phone, Galaxy Z Fold 3, Pixel 6 Pro, iPhone 13 Pro e Snapdragon 8 Gen 1 (Imagem: Wallace Moté/Canaltech)

Dito isso, vale destacar que o AnTuTu costuma favorecer a arquitetura de chipsets utilizados em smartphones Android. Não é incomum ver chips da Apple performando abaixo de concorrentes no teste, mas se saindo muito melhor quando avaliado em outros benchmarks, ponto reforçado pelos resultados do Geekbench.

Nesse caso, o Snapdragon 8 conseguiu marcar 1.231 pontos em single-core, e 3.829 pontos em multi-core, resultados apenas 10% e 5% melhores frente ao Snapdragon 888, respectivamente, que marca 1.127 pontos em single-core e 3.639 pontos em multi-core no Smartphone for Snapdragon Insiders, aparelho da própria Qualcomm desenvolvido em parceria com a ASUS.

A solução mostra pouca evolução no Geekbench — na imagem, da esq. para a dir.: Snapdragon Phone, Galaxy Z Fold 3, Pixel 6 Pro, iPhone 13 Pro e Snapdragon 8 Gen 1 (Imagem: Wallace Moté/Canaltech)

Os números são mais desanimadores em comparação ao A15 Bionic: a nova plataforma passa longe do rival da Apple, que marca 1.721 pontos em single-core e 4.763 pontos em multi-core, sendo então 40% e 25% mais lento que a solução da gigante de Cupertino.

No entanto, é em GPU que o Snapdragon 8 Gen 1 realmente brilha: a Adreno 730, nome agora confirmado do chip gráfico da nova plataforma, entrega 446.305 pontos nos testes gráficos do AnTuTu.

A Adreno 730 é um dos maiores destaques do Snapdragon 8 Gen 1, atingindo pontuações mais de 30% superiores frente à antecessora e à rival do A15 Bionic (Imagem: Wallace Moté/Canaltech)

O resultado é bastante elevado e traz vantagens de 37% sobre a Adreno 660 do Snapdragon 888 (326.510 pontos), equipado em um Nubia Red Magic 6 com ventoinhas, e de 35% sobre a GPU de 6 núcleos utilizada no A15 Bionic do iPhone 13 Pro Max (332.122 pontos).

GFXBench, PCMark e outros testes

Os números esperados para outros testes, incluindo PCMark, Speedometer e GFXBench, podem ser conferidos com detalhes na tabela a seguir. O destaque mais uma vez vai para a GPU Adreno 730, que supera com enorme margem a própria antecessora, e consegue se posicionar acima também do chip gráfico presente no A15 Bionic da Apple, seja na versão de 5 núcleos do iPhone 13 e iPhone 13 Mini ou na versão de 6 núcleos utilizada no iPhone 13 Pro e iPhone 13 Pro Max.

Ainda não foi possível conferir o desempenho em uso prolongado, em que a perda de performance é inevitável em virtude do aumento das temperaturas. Testes mais profundos são necessários, algo que só será possível realizar quando os primeiros celulares com o novo chip forem lançados.

Outros resultados divulgados pela Qualcomm reforçam que a GPU deve ser um dos pontos mais fortes do Snapdragon 8 Gen 1 (Imagem: Wallace Moté/Canaltech)

Também é importante encarar os números divulgados pela Qualcomm com certo nível de ceticismo, considerando que os componentes são selecionados para mostrar o melhor da plataforma. O SoC só deve mostrar suas verdadeiras capacidades quando implementado no design de uma fabricante parceira, algo que deve acontecer já nas próximas semanas.

Além disso, ainda não temos números mais concretos de rivais do mundo Android, como o já anunciado Dimensity 9000 da MediaTek e o vindouro Exynos 2200 da Samsung, sendo justamente o componente da sul-coreana a grande aposta em termos de GPU para 2022 devido à parceria da marca com a AMD.

O Snapdragon 8 Gen 1 chega ao público ainda em 2021, em celulares de marcas como Motorola, Xiaomi e Oppo, que já anunciaram eventos de lançamento para dezembro.

O Editor Wallace Moté viajou ao Hawaii a convite da Qualcomm para cobrir o Snapdragon Tech Summit.

Fonte: AnTuTu, AnandTech

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.