Publicidade

O que é firmware?

Por| Editado por Jones Oliveira | 25 de Julho de 2023 às 17h30

Link copiado!

Adi Goldstein/Unplash
Adi Goldstein/Unplash

Presente em uma infinidade de aparelhos eletrônicos como smartphones, peças de computador, roteadores e TVs, o firmware é basicamente um software dentro de um hardware. Em termos mais simples, é um programa criado pelos desenvolvedores que fica dentro dos aparelhos ditando como eles devem funcionar corretamente.

O termo firmware foi citado pela primeira vez em 1967 na revista Datamation, no artigo Fourth-Generation Software, pelo cientista da computação Ascher Opler. A palavra foi usada para descrever um “microprograma intermediário entre o software e o hardware”.

Firmware e software são a mesma coisa?

Continua após a publicidade

Se um firmware é um tipo de programa e um software também é um programa, logo, os dois são o mesmo, certo? Na verdade isso é um equívoco. O firmware é uma espécie de programa para fazer peças físicas — o hardware — de algum aparelho funcionar. Ele dá as instruções para que um fone possa ser atualizado automaticamente e ter menos interferência na hora de se conectar via Bluetooth, por exemplo.

O software é um programa qualquer que pode ser baixado no Play Store ou App Store de um smartphone e através da internet nos PCs. O aplicativo da Netflix de uma Smart TV é um software, assim como o WhatsApp ou um aplicativo de edição de fotos, como o Adobe Photoshop. Esses aplicativos são muito úteis, mas eles não são essenciais para o hardware — a TV, o smartphone e PC — funcionar.

Por que o firmware é útil?

Continua após a publicidade

Sem o firmware, grande parte dos dispositivos eletrônicos não iria ligar. Imagine que você comprou um simples mouse e conectou o periférico no computador. Sem os dados de funcionamento embarcados ndo produto, o PC não conseguiria entender o mouse e nem o mouse conseguiria fazer a famosa “setinha” da tela se mexer e ajudar o usuário a navegar pelo sistema.

É interessante pensar o firmware como um manual de funcionamento para tudo. Os desenvolvedores do produto inserem esses códigos em um componente específico — geralmente pequenos chips de memória — e dizem o que precisa ser feito, como e quando. O firmware é uma grande receita de bolo que explica ao hardware a sua função.

Aplicações no firmware no dia a dia

Agora que a teoria foi explicada, é possível começar a entender o funcionamento do firmware nos aparelhos. Ao ligar o seu notebook ou computador de mesa pela primeira vez, você já deve ter notado que o logotipo da marca aparece antes de tudo. Caso não tenha nenhum Sistema Operacional (SO) instalado, como Windows ou macOS, uma tela parecida com esta é mostrada:

Continua após a publicidade

Essa famosa telinha do American Megatrends é basicamente o firmware da placa-mãe dos computadores. Esse firmware é o intermediário entre o apertar do botão de ligar até a inicialização completa do sistema operacional. Aliás, a BIOS (Basic Input Output System) dos computadores também é um firmware, pois mesmos sem um SO é possível utilizá-la e configurar diversos padrões de funcionamento para aquela máquina.

Ao utilizar um monitor ou TV e usar os botões para navegar e configurar alguns ajustes de cor, saturação e nitidez, o mesmo princípio é aplicado. O que está sendo utilizado é um firmware capaz de realizar essa ponte com o hardware e alterar seu funcionamento.

Até mesmo ao conectar um cabo HDMI para transmitir imagens é uma ação possibilitada pelo firmware. Nesse processo, os códigos vão codificar e decodificar as informações para que uma imagem possa ser gerada em alguma tela.

Continua após a publicidade

As atualizações de firmware

E tudo isso leva para as famosas atualizações de hardware que você já deve ter se deparado em algum momento. É muito comum nos smartphones receber notificações de “atualizações de firmware”. Elas são importantes, pois trazem novas funcionalidades para o aparelho, corrigem problemas ou adicionam algum tipo de suporte ou compatibilidade adicional.

É muito comum que placas-mãe de computadores recebam essas atualizações para serem compatíveis com novos processadores. Dessa forma, uma placa-mãe lançada em 2022 pode receber uma CPU de 2023 — caso sejam fisicamente compatíveis — e funcionar perfeitamente graças à atualização de firmware e de BIOS.

Continua após a publicidade

Nos celulares ou TVs é muito comum que os updates sejam referentes a algum tipo de segurança extra para proteger de ataques maliciosos ou falhas. Além disso, podem melhorar o desempenho e tornar a experiência mais agradável — ou pode piorar, caso seja uma atualização ruim. Não é o ideal, mas acontece.

Em dispositivos mais complexos, como smartphones, smart TVs, tablets e vídeogames, o procedimento é feito automaticamente. O usuário só precisar concordar com os termos e apertar o botão de aceite. Outros são feitos manualmente, como de câmeras fotográficas e certos componentes de computadores, como a BIOS. Para isso, procure a versão do update no site oficial da fabricante.

Cuidados importantes

Todavia, é extremamente importante que toda atualização de firmware seja feita no melhor cenário possível. Isso significa que o aparelho deve estar com bateria completa e preferencialmente conectado a uma tomada, que o tempo não esteja nublado nem com sinais de quedas de energia. Também não é recomendado utilizar o dispositivo no momento da atualização.

Continua após a publicidade

Todos esses cuidados têm fundamento. Caso haja algum problema na atualização, como uma queda de luz, e o firmware seja corrompido, é muito provável que esse aparelho fique inutilizável. Isso acontece porque é praticamente impossível reinstalar um firmware em chip de memória inacessível. Claro, não se pode generalizar, mas essas situações raramente têm um final feliz, portanto tenha cuidado.

Outro erro comum é instalar a atualização errada ou de um produto similar. Geralmente esses updates são automáticos, mas caso seja necessário procurar manualmente para baixar e instalar, certifique-se de encontrar a versão específica para o modelo do aparelho utilizado.

Se houver dúvidas no processo de atualização, procure o manual de instruções ou veja um vídeo de passo a passo no YouTube. Caso as dúvidas continuem, é interessante entrar em contato com o suporte técnico da marca.

Continua após a publicidade

Com informações Fortinet e AVG