Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Google Pixel Fold estreia para guiar o futuro dos dobráveis

Por| Editado por Wallace Moté | 10 de Maio de 2023 às 16h32

Link copiado!

(Imagem: Divulgação/Google)
(Imagem: Divulgação/Google)

Durante o Google I/O 2023, realizado nesta quarta-feira, o Google apresentou o aguardado Google Pixel Fold, primeiro celular dobrável da gigante das buscas. Revelado em um teaser na semana passada, e vazado por diversas vezes nos últimos meses, o aparelho foge do formato tradicional ao ser mais parecido com um pequeno livro e trazer aspectos um tanto datados, como as bordas ao redor da tela flexível, mas simboliza um marco importante para os dobráveis e deve atuar como um guia para o futuro da categoria e até mesmo do próprio Android.

Começando pela ficha técnica, temos hardware muito similar ao do Pixel 7, com o processamento ficando a cargo do Tensor G2, plataforma própria da companhia desenvolvida em parceria com a Samsung, junto de 12 GB de RAM e 256 GB ou 512 GB de armazenamento. Como de costume, não há expansão via cartões MicroSD — o usuário precisa lidar com a capacidade oferecida pela empresa, ou trabalhar com o backup do Google One.

Feito pelo Google, inspirado pela OPPO

Continua após a publicidade

As novidades importantes começam então pela dupla de telas: o display OLED externo possui 5,8 polegadas e resolução Full HD+ com taxa de atualização de 120 Hz, enquanto o painel interno de OLED flexível apresenta 7,6 polegadas, resolução de 2208 x 1840 pixels e taxa de atualização que também chega aos 120 Hz. Apesar das dimensões similares ao do Galaxy Z Fold da Samsung, o Google absorveu maior inspiração nos modelos chineses, como o Xiaomi Mix Fold 2 e, especialmente, o OPPO Find N2 para a construção.

A dobradiça fecha em formato de gota para reduzir o estresse no painel e assim evitar a formação de um vinco muito marcado, mas ainda consegue ser semiaberta em uma variedade de ângulos, permitindo que o usuário apoie o dispositivo na mesa para usos diversos. Como boa notícia, a gigante não precisou sacrificar a resistência à água, apresentando certificação IPX8, assim como o Galaxy Z Fold 4.

No design, a inspiração do Pixel Fold no concorrente da Oppo é ainda mais clara. O formato mais compacto que lembra um pequeno livro é uma proposta pioneira da família Find N, e é uma aposta mais certeira para os usuários aproveitarem melhor o espaço sem precisar rotacionar o telefone. Além disso, as proporções ficam mais próximas ao de celulares tradicionais (no caso do diplay externo) e de tablets, garantindo mais conforto.

Dito isso, o Google ousou na aparência ao utilizar o que são de longe as maiores bordas ao redor de uma tela dobrável. Mesmo que quase simétricas, essas bordas ocupam boa parte da região interna e forçam o painel dobrável a ser mais retangular horizontalmente. A empresa não explicou o motivo dessa escolha, mas há alguns "benefícios" se tentarmos olhar pelo lado positivo. Além de proporcionar mais área para apoiar os dedos, a câmera de selfies fica escondida no topo, evitando o uso de entalhes ou tecnologias que escondem o sensor sob o display, afetando a qualidade de imagem.

Outro destaque é o visual quase idêntico ao restante da família Pixel, com o acabamento apresentando laterais em alumínio e traseira em vidro brilhantes, acompanhado pela faixa de metal no módulo de câmeras, abrigando os três sensores traseiros. O Pixel Fold será oferecido em duas opções de cores: Chalk (preto) e Obsidian (branco/bege).

Câmeras sem sacrifícios

Continua após a publicidade

Não foi só na construção em que o Google se inspirou na OPPO e outras marcas asiáticas: mesmo com menos espaço para trabalhar, a companhia se empenhou a oferecer um conjunto de câmeras bastante robusto. Ainda que as especificações não sejam exatamente iguais às do Pixel 7 Pro, as lentes são caprichadas e, aliadas ao pós-processamento geralmente impecável da linha, devem garantir fotos e vídeos de ótima qualidade.

São três sensores no total: um principal de 48 MP, um ultrawide de 10,8 MP e um telefoto também de 10,8 MP, com zoom óptico de 5x e o zoom digital "sem perdas" aprimorado por IA de até 20x. Completam o grupo a lente de selfies externa de 9,5 MP, e o sensor interno de 8 MP.

Continua após a publicidade

Os recursos inteligentes são os mesmos vistos em outros Pixel, estando entre eles o Magic Eraser, para apagar objetos indesejados, o Photo Unblur, para evitar fotos borradas, capturas em longa exposição e o Real Tone, algoritmo que garante tons de pele precisos.

Uma das maiores baterias para dobráveis

A bateria surpreende por ser uma das maiores já oferecidas em um dobrável, conquista alcançada não apenas quando comparamos o Pixel Fold aos dobráveis da Samsung, como também frente aos modelos chineses, que já haviam superado a gigante sul-coreana com muita folga no último ano. O celular do Google traz 4.821 mAh e, segundo a companhia, poderia oferecer mais de 24 horas de uso, chegando às 72 horas no modo de economia extremo.

O histórico da família Pixel em relação à autonomia de bateria não é dos melhores, então será preciso aguardar pelos reviews para confirmarmos essas promessas. O que já está claro é que, infelizmente, o carregamento não seguiu a vantagem da capacidade e está limitado a, ao que tudo indica, 30 W com fio — o carregador compatível é vendido separadamente. Se não é mais lento que os 25 W do Galaxy Z Fold 4, a novidade está atrasada em relação à concorrência, já próxima dos 100 W.

Continua após a publicidade

Em contrapartida, o lançamento possui carregamento sem fio e chama atenção por ser "o dobrável mais fino disponível atualmente", nas palavras do Google, apresentando pouco mais de 5 mm de espessura quando aberto — mais uma vez, é preciso tirar os dobráveis chineses da conta, levando em conta que modelos como o Xiaomi Mix Fold 2 já atingiam os 5 mm de espessura.

O Android pensado para dobráveis

Ainda que tenha investido cada vez mais em hardware, o Google é primariamente uma empresa de software, e é nisso que a gigante aposta para fazer do Pixel Fold um sucesso. Além de ser o primeiro dobrável com uma interface mais limpa, assinada pela gigante das buscas, o aparelho terá diversas otimizações pensadas para tirar proveito do display flexível, seguindo o trabalho feito junto à Samsung para a família Galaxy Z.

Continua após a publicidade

Alguns dos recursos demonstrados incluem a adaptação da interface de apps para o modo semidobrado, separando controles e exibição de vídeos no YouTube, por exemplo; a possibilidade de tirar selfies com as câmeras traseiras usando a tela externa para enxergar; os gestos para entrar rapidamente em tela dividida e o dock de apps para acesso rápido inaugurado com o Android 12L.

Dito isso, há uma má notícia: certas funcionalidades, incluindo a tela dividida e o reconhecimento facial com a lente externa de selfies, só devem ser disponibilizadas com a chegada do Android 14 — o Pixel Fold sai de fábrica com Android 13. De toda forma, sendo um aparelho do Google, estão garantidos 3 grandes updates de sistema e 5 anos de atualizações de segurança, que devem levar o dispositivo ao Android 16.

Preço e disponibilidade

Continua após a publicidade

O Google Pixel Fold entra em pré-venda já nesta quarta-feira (10) com preço sugerido que parte de US$ 1.799, ou cerca de R$ 8.920 em conversão direta e sem impostos. Para amenizar o valor salgado, compradores do aparelho recebem um Pixel Watch (cujo custo unitário é de US$ 350, ou ~R$ 1.740), 6 meses de Google One com 2 TB de capacidade e 3 meses de YouTube Premium.

A ampla disponibilidade, nos mercados normalmente atendidos pela empresa, está prevista para junho. Da mesma forma que outros lançamentos da linha Pixel, não há qualquer expectativa para o dobrável ser trazido ao Brasil.

Google Pixel Fold: ficha técnica

Continua após a publicidade
  • Tela Interna: OLED de 7,6 polegadas, proporção 6:5, resolução de 2208 x 1840 pixels, taxa de atualização de 120 Hz, HDR com pico de 1.450 nits, Ultra Thing Glass (UTG)
  • Tela Externa: OLED de 5,8 polegadas, proporção 17,4:9, resolução de 2092 x 1080 pixels, taxa de atualização de 120 Hz, HDR com pico de 1.550 nits, Gorilla Glass Victus
  • Processador: Google Tensor G2
  • Memória RAM: 12 GB
  • Armazenamento interno: 256 GB ou 512 GB
  • Câmera traseira: 48 MP (Principal, f/1.7, OIS) + 10,8 MP (Ultrawide, f/2.2, 121°) + 10,8 MP (Telefoto, f/3.05, zoom óptico de 5x, híbrido de 20x)
  • Câmera frontal: 9,5 MP (externa, f/2.2), 8 MP (interna, f/2.0)
  • Dimensões: 139,7 x 158,7 x 5,8 mm (aberto), 139,7 x 79,5 x 12,1 mm (fechado)
  • Peso: 283 gramas
  • Bateria: 4.821 mAh com carregamento rápido (possivelmente 30 W)
  • Extras: 5G, Wi-Fi 6E, Bluetooth 5.2, NFC, leitor de digitais na lateral, USB-C 3.2 Gen 2 (10 Gbps), áudio estéreo, certificação IPX8, carregamento sem fio no padrão Qi, UWB, chip Titan M2 para segurança
    Cores disponíveis: Obsidian (preto) e Porcelain (bege)
  • Sistema operacional: Android 13