Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

O que é malware?

Por| Editado por Wallace Moté | 26 de Julho de 2023 às 15h47

Link copiado!

engin akyurt/Unsplash
engin akyurt/Unsplash

Popularmente conhecidos como “vírus”, os malwares são softwares maliciosos que contaminam dispositivos, sejam PCs, smartphones ou outros. Os objetivos variam, mas normalmente envolvem o roubo de dados pessoais ou financeiros, informações de cartão de crédito ou credenciais de acesso a e-mails e redes sociais.

Utilizados por cibercriminosos para os mais diversos fins, os malwares são distribuídos por e-mails de phishing, WhatsApp e outros aplicativos de comunicação, bem como plataformas como Facebook, Instagram e Twitter. Outro vetor comum são os softwares pirateados ou assuntos de alto interesse público, com os bandidos utilizando a busca por soluções gratuitas ou material impactante para disseminar seus vírus.

Pense nos malwares, ou vírus, como uma categoria geral, que engloba diferentes tipos de ameaças cibernéticas. Dentro desta definição estão, por exemplo, os ransomwares, que realizam o sequestro de dados em troca de resgate; mineradores de criptomoedas sem autorização do usuário; adwares, que inserem anúncios perigosos em sites e apps; ou os spywares, que são usados para espionar e capturar informações sigilosas.

Continua após a publicidade

Eles atingem todos os sistemas operacionais e dispositivos, com o Windows e o Android sendo os mais afetados entre computadores e smartphones devido à sua popularidade. Os vírus também apresentam formatos diferentes quando o ataque é contra uma empresa, onde dados confidenciais e o travamento de sistemas costumam ser as atividades principais, ou usuários comuns, onde a busca maior é por informações financeiras, credenciais e cartões de crédito.

Como saber se estou infectado por vírus?

Foi-se o tempo em que os malwares eram softwares criados para pregar peças, como travar computadores ou alterar ícones e papel de parede. Hoje, o principal objetivo dos cibercriminosos, que desenvolvem os softwares perigosos, é o ganho financeiro, seja na forma da venda de seus dados ou uso de suas informações financeiras. Para aumentar os lucros, eles tentam se manter escondidos pelo maior tempo possível.

Entre os principais sinais de que um computador ou celular está contaminado estão o surgimento de anúncios em excesso ou o desempenho mais lento do computador na inicialização ou abertura de programas. Desconfie, também, se o navegador estiver te direcionando a páginas que você não pretendia visitar ou se janelas são abertas sem que sejam solicitadas.

Avisos de tentativas de intrusão a e-mails e redes sociais ou invasões a perfis online também podem ser indícios de que seus dados foram comprometidos após uma infecção por vírus. Da mesma forma, um cartão clonado com frequência ou a aparição de transações não realizadas em extratos e faturas podem indicar que seu dispositivo está comprometido.

Ao detectar qualquer sinal de problemas, o ideal é interromper o uso e buscar ajuda especializada para a realização de varreduras com antivírus ou reinicialização dos aparelhos às configurações de fábrica. É importante, também, trocar senhas e bloquear cartões, adotando medidas de proteção adicional como a autenticação em duas etapas para evitar que um bandido acesse sua conta mesmo tendo a senha.

Continua após a publicidade

Como se proteger de malwares?

Para evitar contaminações por softwares maliciosos, o uso de antivírus é essencial. Instalados tanto no computador quanto no celular, eles ajudam a identificar arquivos perigosos e instalações suspeitas, que visem realizar tarefas criminosas nos dispositivos. Seus bancos de dados são atualizados com frequência para incluir novas assinaturas de pragas.

Tais soluções também costumam incluir extensões de segurança para navegadores, que ajudam a identificar os vetores comum de malware. Os antivírus podem ajudar a identificar um e-mail com anexo malicioso, um site fraudulento ou até uma instalação perigosa, caso o usuário faça um download acreditando estar diante de um aplicativo legítimo.

Continua após a publicidade

Além de ter esse tipo de tecnologia sempre atualizada e rodando no PC ou smartphone, o usuário também pode prestar atenção aos indicadores comum de malware. Fazer o download de apps apenas em lojas reconhecidas, como a Google Play Store ou marketplaces de fabricantes, ajuda na proteção, assim como manter a navegação restrita a sites reconhecidos e com boa reputação.

O ideal é evitar o download de conteúdos pirateados ou crackeados, assim como o uso de sistemas alternativos de streaming de conteúdo. Fique atento a e-mails com anexos ou pedidos para clicar em links, mesmo que venham de contatos conhecidos, se certificando de que a mensagem é real, assim como um eventual pedido de download ou preenchimento de dados, antes de seguir em frente com o acesso.