Publicidade

Como saber se seu celular foi clonado ou hackeado

Por| Editado por Douglas Ciriaco | 09 de Fevereiro de 2024 às 08h30

Link copiado!

msgrowth/Freepik
msgrowth/Freepik

Sinais, muitas vezes sutis, ajudam as pessoas a descobrirem se o celular foi clonado ou hackeado. Tais ataques acontecem a partir do download de vírus ou ação de terceiros, como parceiros ou colegas mal-intencionados, normalmente resultando na quebra da privacidade do usuário e na obtenção de informações confidenciais.

Existem diferentes maneiras de hackear um celular, seja a partir do próprio número ou com o uso de malwares. Da mesma forma, também existem vários indícios de que um ataque desse tipo está ocorrendo, como a perda repentina e inexplicada de sinal e internet móvel ou o consumo de recursos acima do normal, entre outros exemplos, que podem ser específicos para cada caso.

Como saber se o chip do meu celular foi clonado

Continua após a publicidade

O golpe da portabilidade, também conhecido como sim swapping em inglês, pode permitir que cibercriminosos tenham acesso a contas bancárias, e-mails ou perfis em redes sociais, entre outros. Para isso, eles usam as informações pessoais da vítima para entrar em contato com a operadora, solicitando a transferência do número de telefone para outra empresa de telefonia.

Com o cartão SIM clonado, os bandidos visam burlar sistemas de autenticação em duas etapas que utilizem mensagens de texto (SMS), uma alternativa considerada insegura por especialistas. Do lado da vítima, a perda imediata de sinal e dados móveis é o principal sinal de que o chip de celular foi clonado.

Ao perceber que não é capaz de fazer ligações, receber chamadas ou acessar a internet pelo 4G, o ideal é entrar em contato com a operadora imediatamente. Diante do aumento no número de casos, elas também preparam medidas para garantir maior proteção aos clientes, exigindo que os pedidos sejam feitos apenas pessoalmente ou com confirmações a partir do chip original.

Continua após a publicidade

Como descobrir se tem app espião instalado no celular

Os spywares são usados por cibercriminosos para roubo de dados pessoais e senhas de acesso a contas. A ameaça recebe ainda o nome de stalkerware quando isso é feito por por parceiros amorosos, colegas mal-intencionados e até superiores do trabalho, que visam monitorar o uso do celular.

A partir de aplicativos suspeitos, terceiros não autorizados podem espionar o WhatsApp, capturar a tela ou monitorar o que é digitado no teclado, por exemplo.

Como esses malwares estão sempre rodando em segundo plano, o consumo de processamento ou dados móveis acima do normal são sinais de que seu celular pode estar sendo monitorado. Os apps espiões também podem se disfarçar como componentes do sistema operacional, usando ícones de relógios, agendas ou elementos do Android.

Continua após a publicidade

Por outro lado, o cuidado no download de apps ajuda a escapar dos spywares; evite baixar softwares a partir de links enviados pelo WhatsApp ou mensagem de texto.

É importante, ainda, usar biometria e senhas seguras no celular, evitando deixar o smartphone desatendido, principalmente se estiver desbloqueado, já que essa brecha pode ser usada para a instalação de stalkerware.

Como saber se meu WhatsApp está sendo espionado

Continua após a publicidade

Além dos apps espiões, outra maneira de espionar o WhatsApp é validando o perfil em mais de um dispositivo. O app permite que uma mesma conta seja registrada em até quatro celulares, além de computadores, com as mensagens sendo sincronizadas automaticamente entre todos eles.

Isso também significa que se alguém tiver o seu WhatsApp vinculado, terá acesso às conversas e arquivos. Também será possível falar com os contatos se passando por você, enviar ou apagar dados e realizar alterações na conta.

A opção “Aparelhos conectados”, nas configurações do WhatsApp, permite verificar a lista de dispositivos autorizados para acessar as conversas do mensageiro. Caso veja um dispositivo desconhecido conectado à conta, clique em “Desconectar” para interromper o acesso de forma imediata.

Continua após a publicidade

Para evitar que sua conta seja vinculada a outros aparelhos de forma não autorizada, o ideal é não deixar o celular desatendido, principalmente quando desbloqueado. Novamente, vale a pena usar a biometria e senhas complexas para desbloqueio da tela, que não possam ser adivinhadas por terceiros.