Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Review Galaxy S23 Plus | Ótimo desempenho com mais bateria

Por| Editado por Léo Müller | 09 de Março de 2023 às 10h44

Link copiado!

Review Galaxy S23 Plus | Ótimo desempenho com mais bateria
Review Galaxy S23 Plus | Ótimo desempenho com mais bateria

Em fevereiro de 2023, a Samsung atualizou a sua linha de celulares e trouxe ao mercado três novos topos de linha: o Samsung Galaxy S23, Samsung Galaxy S23 Plus e Galaxy S23 Ultra. Os modelos foram anunciados no Brasil no mesmo dia do lançamento global e um dos grandes destaques é a presença de chip Qualcomm desenvolvido especialmente para a Samsung.

Recebi o Galaxy S23 Plus, que é o modelo “intermediário” entre os três apresentados, e ele se mostrou um sucessor de respeito para o modelo do ano passado, com alguns avanços singelos, mas importantes.

Será que realmente vale a pena comprar este celular ou é melhor optar por outros modelos da série ou até mesmo concorrentes? Aqui, trago a minha opinião sobre o Samsung Galaxy S23 Plus e tento te ajudar a decidir se vale a pena ou não comprá-lo.

Continua após a publicidade

Design e construção

  • Dimensões: 157,4 x 75,8 x 7,6 mm
  • Peso: 195 gramas
Continua após a publicidade

O Galaxy S23 Plus evoluiu bastante em relação ao seu antecessor sobre o visual. Apesar de as laterais seguirem a mesma estética, a parte traseira mudou e ficou mais “limpa”.

Agora, não há mais aquele quadro para o conjunto de câmeras. Em vez disso, os três sensores ficam soltos no canto superior esquerdo. Isso dá um aspecto mais minimalista ao aparelho. O painel traseiro é totalmente plano e torna o celular ainda mais bonito.

Todos os botões estão posicionados na lateral direita, assim como em praticamente todos os celulares da Samsung. Da mesma forma, o alto-falante, a gaveta de chip e o conector USB-C ficam na parte inferior, e não há entrada dedicada para fones de ouvido com plugue P2.

Continua após a publicidade

O acabamento é totalmente premium, como esperado de um topo de linha. Dessa forma, o S22 Plus tem proteção com o vidro Gorilla Glass Victus Plus tanto na tela quanto na traseira, enquanto as laterais são de metal.

Tela

O Galaxy S23 Plus conta com uma tela Dynamic AMOLED 2X de 6,6 polegadas com taxa de atualização de 120 Hz e resolução de 1.080 x 2.340 pixels. O painel é bem competente e oferece um contraste excelente e cores bem intensas.

O celular tem taxa de atualização adaptativa e ajusta a frequência entre 20 e 120 Hz de acordo com a necessidade, mas dá para fixar em 60 Hz para qualquer conteúdo caso queira poupar energia.

Continua após a publicidade

O display tem nível de brilho excelente e variação da iluminação bem alta, com um brilho mínimo que não incomoda durante a noite e um máximo que permite visualizar tudo bem claro mesmo sob uma luz solar muito forte.

Configuração e desempenho

Nessa geração, a Samsung se aliou à Qualcomm, e a fabricante de componentes desenvolveu um chipset especialmente para a sul-coreana: o Snapdragon 8 Gen 2 For Galaxy. Este é o hardware utilizado no Galaxy S23 Plus, assim como nos demais modelos da família.

Continua após a publicidade

Dessa forma, dá para esperar uma integração melhor entre hardware e software, para gerar um desempenho mais fluído. Na prática, o celular consegue realizar basicamente qualquer tarefa ou rodar jogos sem dificuldades.

Já não tinha muito o que evoluir do S22 Plus para o S23 Plus, mas ainda assim o chip oferece uma maior velocidade de processamento. Com isso, ele é extremamente rápido para abrir as aplicações ou cumprir suas funções.

Aliado ao processador, o S23 Plus tem ainda 8 GB de memória RAM, para executar vários aplicativos em multi-tarefas sem se preocupar com engasgos e com alternância bem suave entre eles. Apesar da ausência de suporte para cartão de memória, sua versão base tem 256 GB e pode chegar a 512 GB de armazenamento — o que já é mais do que suficiente para guardar muitos arquivos.

Continua após a publicidade

Só notei um problema — que costuma ser crônico entre os chipsets topos de linha da Qualcomm. O celular aquece bastante em algumas funções, como ao tirar fotos ou fazer filmagens por muito tempo. Ainda assim, não é tanto quanto na geração passada.

No nosso teste de desempenho padrão, o Galaxy S23 Plus fez 3.510 pontos na análise Wild Life Extreme Unlimited e 13.738 na Wild Life Unlimited do 3D Mark. Como comparação, esse número fica acima dos atuais flagships da Apple, o iPhone 14 Pro e 14 Pro Max, que têm média inferior a 12.500.

Já no Geekbench 6, os resultados foram de 1.754 e 4.688 nas análises single e multi-core, respectivamente, e de 8986 pontos no desempenho da placa gráfica.

Usabilidade

Continua após a publicidade

O Galaxy S23 Plus chega às lojas com a última versão do sistema operacional do Google, o Android 13, e da interface OneUI 5.1. Isso garante acesso às funcionalidades mais recentes dos softwares, como os novos widgets de bateria — que permitem ver a quantidade de energia restante em vários dispositivos conectados da sul-coreana.

Há também uma maior integração entre os aparelhos dentro do mesmo ecossistema. É possível conectar o mesmo fone de ouvido Galaxy Buds em vários aparelhos — como celular, notebook e tablet — e alternar rapidamente entre eles sem ir nas configurações.

A interface da Samsung é altamente customizada pela fabricante, um ponto positivo para quem está acostumado. Acho ela bem intuitiva e muito mais amigável do que o Android puro. Quem não está acostumado, no entanto, pode levar algum tempo para se adaptar, mas nada que atrapalhe o uso no geral.

Câmeras

Continua após a publicidade

O Galaxy S23 Plus conta com um conjunto de três câmeras traseiras — principal de 50 MP, ultrawide de 12 MP e telefoto de 10 MP — e uma frontal de 12 MP. Apesar da resolução mais baixa, ele é excelente e consegue tirar fotos com um nível bem alto de definição.

Conjunto traseiro

Cada uma das três lentes traseiras atende a um propósito: a principal, de 50 MP, é utilizada na maioria dos casos. Ela oferece um excelente nível de nitidez, com cores bem intensas.

A ultrawide é ativada quando você afasta a imagem e ativa a opção “0.6x” no zoom. Assim, ela tem um campo de visão bem maior. O nível de qualidade da foto é muito bom e bem parecido com o que é visto na câmera principal, apesar de perder definição quando aplicamos um zoom na imagem pós-processada.

Continua após a publicidade

Por fim, a terceira lente consiste na telefoto, de 10 MP. Esta é utilizada quando tiramos fotografias no modo retrato ou em uma foto com zoom a partir de 3x. Por falar nisso, a imagem aproximada só fica bem nítida até três vezes de zoom e, se você selecionar a partir de dez vezes, a textura começa a se perder. Ainda assim, é possível entender muito bem o que a fotografia quer mostrar.

Já as imagens feitas dentro do modo retrato mantém a boa qualidade vista no geral. As fotos são bem nítidas, e o recorte do fundo é quase perfeito. Somente em poucos cenários bem raros notei algumas falhas para destacar, principalmente ao redor do cabelo.

Câmera frontal

Continua após a publicidade

A câmera frontal é igualmente competente. Apesar de a definição ser pouca coisa menor, ela ainda consegue captar com perfeição todos os detalhes da pele, como marcas ou linhas de expressão.

Também há um modo retrato para as selfies, mas a imagem perde um pouco mais de nitidez e capta menos detalhes. Nada que chegue a comprometer a qualidade no geral. O recorte é bastante eficiente e destaca muito bem a pessoa na imagem.

Modo noturno

O modo noturno do Galaxy S23 Plus foi uma surpresa para mim, porque esperava algo bem parecido com o que estou acostumado a ver em outros celulares, mas o resultado foi um pouco diferente.

Para começar, as fotografias de noite não são clareadas de forma exagerada, ao ponto de deixar o céu com um tom acobreado. Em vez disso, o pós-processamento se concentra em tornar mais visível o que realmente importa, enquanto outros itens da foto permanecem mais escuros.

Dessa forma, a imagem fica mais realista e mostra com precisão o que nossos olhos veem, e não tão artificial.

Gravação de vídeo

A gravação de vídeo com o Galaxy S23 Plus oferece bastante estabilidade, tanto com a câmera frontal quanto com a traseira. Em ambos os casos, o nível de nitidez fica bem satisfatório, e o gerenciamento de luz é competente ao compensar a claridade para não estourar o branco.

Com a lente principal, ela filma em até 8K a 30 fps, mas dá para reduzir para 4K a 60 fps, o mesmo alcançado pela frontal.

Sistema de som

O Galaxy S23 Plus conta com um sistema de áudio estéreo com duas saídas de som: a principal na parte inferior e a secundária no alto-falante de ligações. A qualidade sonora não é das melhores e, se configurado no nível máximo, mal dá para notar os graves, enquanto as demais frequências ficam um pouco emboladas.

Por outro lado, se configurado em um nível entre o máximo e o intermediário, o volume já é bem baixo, mas melhora um pouco a sonoridade. De qualquer forma, não foge do comum para celulares.

Como de costume, ele não tem entrada dedicada para fone de ouvido, então você precisa conectar um acessório USB-C ou um Bluetooth.

Bateria e carregamento

O Galaxy S23 Plus conta com uma bateria de 4.700 mAh, um pequeno avanço em relação ao antecessor, que tinha 4.500. Essa diferença é refletida no desempenho da bateria. Quando testei o S22 Plus, a bateria chegava a um dia de uso, mas com um pouco de dificuldade.

Agora, o S23 Plus se mostrou mais competente para chegar a um dia de uso tranquilamente e ainda sobrar carga. Nós mudamos o nosso padrão de testes para refletir uma realidade melhor de uso, e ele se saiu muito bem para um topo de linha.

Após o uso de redes sociais, jogos, mensageiros e apps de streaming por mais de três horas, o consumo foi de apenas 28%. Dessa forma, estima-se que possa chegar a cerca de 13 horas. Vale frisar que este é o tempo de tela acesa e com o dispositivo em uso.

Quanto ao carregamento, a Samsung ainda insiste em um padrão mais lento. O Galaxy S23 Plus tem potência de 45W e leva cerca de uma hora para carregar de 0 a 100% — uma marca ruim, visto que há intermediários com metade do tempo ou até menos.

Vale destacar também que, dessa vez, a Samsung decidiu incluir o carregador na caixa, assim como o cabo USB-C, então você não precisará usar um que já tenha ou solicitar um para a marca.

Concorrentes diretos

O principal concorrente do Galaxy S23 Plus é o iPhone 14 Plus. Ainda assim, caso queira uma alternativa no mundo Android, podemos colocar o Motorola Edge 30 Ultra na briga.

A Motorola e a Apple oferecem um chip da geração passada nestes modelos, o Snapdragon 8 Gen 1 e o A15 Bionic, respectivamente, enquanto a Samsung já chega com um novo. Ainda assim, o desempenho dos três não é tão diferente na prática.

Quanto à memória RAM, o modelo da Moto sai na frente, com generosos 12 GB de RAM, contra 8 GB da Samsung e 6 GB da Apple. Esse salto de um aparelho para o outro não faz tanta diferença, e os três se saem bem em multi-tarefas.

Quanto à faixa de preços, o Galaxy S23 Plus fica na casa dos R$ 7.000 e ainda não há muita variação por ser um modelo mais recente. Já o Motorola Edge 30 Ultra custa entre R$ R$ 4.800 e R$ 5.300. O iPhone 14 Plus, por sua vez, fica entre R$ 6.600 e R$ 7.000.

Galaxy S23 Plus: o irmão do meio dos topos de linha da Samsung vale a pena?

O Galaxy S23 Plus é uma ótima escolha para quem quer comprar um novo topo de linha da Samsung, mas não deseja pagar o valor máximo por um Galaxy S23 Ultra. Ele traz o mesmo chipset e uma combinação generosa de memória e armazenamento, para ter excelente desempenho.

Seu conjunto de câmeras também agrada bastante fazendo imagens ótimas, tanto durante o dia quanto no modo noturno. Este, aliás, me surpreendeu bastante pela definição sem deixar a imagem artificial.

A bateria trouxe um avanço em relação ao modelo do ano passado, e agora o celular pode chegar mais tranquilamente a um dia de uso.

Em relação ao hardware, ele está acima dos principais concorrentes Android e briga lado a lado com os modelos mais recentes da Apple, então certamente não irá decepcionar.