Os 15 melhores jogos do PS4

Os 15 melhores jogos do PS4

Por Felipe Goldenboy | Editado por Bruna Penilhas | 08 de Março de 2022 às 15h10
PlayStation/Rockstar Games

Com mais de 116 milhões de unidades vendidas, o PlayStation 4 é um dos consoles mais bem sucedidos da Sony. Muito além do hardware poderoso, o videogame ficou marcado pelos seus grandes jogos, que ousaram em gráficos, narrativas e gameplay.

Nesta lista, o Canaltech seleciona os melhores games que você pode encontrar para o PS4. Todos eles são jogos que inovaram em seus respectivos gêneros e que, de alguma forma, deixaram sua marca na indústria. Consideramos tanto os jogos exclusivos quanto os multiplataforma.

Concorda com a nossa lista? Lembra de algum outro jogo que merecia ser mencionado? Compartilhe conosco através das redes sociais!

15. Death Stranding

Sim, o ator que interpreta Sam Bridges é Norman Reedus, que também participa de The Walking Dead (Foto: Divulgação/Sony Interactive Entertainment)

Alguns irão amar Death Stranding, e outros irão odiá-lo. O jogo foi a aposta mais ambiciosa e maluca de Hideo Kojima até então, famoso por títulos como Metal Gear Solid e P.T., por exemplo. O game é, basicamente, um simulador de caminhada e entrega por um mundo devastado, em que a chuva acelera o tempo — portanto, o envelhecimento — de qualquer ser ou objeto que toca. Além disso, criaturas invisíveis vagam pela terra, e só é possível perceber a presença delas com o equipamento certo (ou com os sentidos aguçados).

Você controla Sam Bridges, um entregador normal e sem grandes habilidades que ajuda as pessoas a sobreviverem neste caos. Para ajudá-lo, você conta com um bebê dentro de uma incubadora: ele está conectado ao mundo dos mortos e, por isso, tem mais sensibilidade a essas criaturas sobrenaturais. Só por essa explicação já deu para perceber o quão “diferentão” Death Stranding é, não?

14. Hades

Zagreu, Príncipe do Submundo e lindo de morrer (Foto: Divulgação/Supergiant Games)

Hades é um indie que chamou a atenção de todos quando foi lançado e foi um dos grandes vencedores do The Game Awards 2020. Trata-se de um RPG de ação e roguelike, ou seja, com fases geradas proceduralmente. Apesar de a morte ser algo constante (sim, você vai morrer muito e começar tudo de novo), cada jogatina é sempre uma experiência diferente, e você progride um pouco cada vez que volta à vida.

Você controla Zagreu, o Príncipe do Submundo que tenta fugir dos domínios do pai, o deus Hades. Para isso, você precisará enfrentar combates intensos, derrotar personagens carismáticos e melhorar seu personagem do jeito que melhor lhe agradar: são inúmeras opções de armas e habilidades para você construir a build perfeita para seu estilo de jogo.

13. Ghost of Tsushima

Ghost of Tsushima é um belíssimo jogo de mundo aberto que se inspira nos filmes de Akira Kurosawa (Foto: Divulgação/Sony Interactive Entertainment)

Este é um dos jogos mais bonitos do PS4, seja pelos cenários coloridos, seja pelas inspirações no trabalho do cineasta Akira Kurosawa, um dos mais influentes do Japão. O game foi o último exclusivo a ser lançado pelo console, e fez um excelente trabalho ao fechar a geração com chave de ouro.

A história acompanha o último samurai Jin Sakai viajando por Tsushima, uma região que foi vencida pela guerra contra os mongóis no século XIII. Nosso objetivo é libertar a região dos invasores, mas, para isso, precisaremos formar alianças e fazer escolhas que vão contra o código de ética dos samurais.

12. Marvel's Spider-Man

Marvel's Spider-Man é exclusivo de PlayStation (Foto: Divulgação/Sony Interactive Entertainment)

Exclusivo de PlayStation, o jogo do Homem-Aranha é indispensável mesmo para aqueles que não curtem muito filmes de super-heróis. Afinal, lançar teias e se balançar entre os arranha-céus de Nova York é uma experiência fluída e deliciosa — dá para perder boas horas apenas fazendo isso.

O jogo também tem uma boa história, gameplay divertido e, claro, ótimos vilões, como o Dr. Octopus, Senhor Negativo e até o Norman Osborn (mas ele não aparece como Duende Verde). Após jogar o game, experimente também Marvel's Spider-Man Miles Morales, que está disponível para PS4.

11. Persona 5 Royal

Persona 5 Royal corrige erros do Persona 5 base e adiciona mais conteúdo (Foto: Divulgação/SEGA)

Apesar de Persona 5 Royal ser um relançamento de Persona 5, de 2017, ele parece um jogo totalmente diferente. O título corrige erros e adiciona ainda mais conteúdo narrativo e personagens inéditos; por isso, mesmo que você já tenha jogado o game original, vale a pena testar a nova versão.

Este RPG japonês coloca o jogador no papel de um estudante cujo poder é remover a corrupção dos corações das pessoas e, consequentemente, mudar suas atitudes. O game conta com um divertido combate por turnos, marcado por magias e invocações, e a possibilidade de explorar a bela e colorida cidade de Tóquio, repleta de atividades e missões secundárias interessantes.

10. NieR: Automata

NieR:Automata acompanha os androides 2B, 9S e A2 (Foto: Divulgação/Square Enix)

NieR: Automata se passa em um futuro longínquo, em que máquinas alienígenas poderosas destruíram a humanidade. O que sobrou dela tenta recuperar o controle do planeta com uma força de soldados androides. Nós acompanhamos a história de três andróides, 2B, 9S e A2, os quais desvendam mistérios e motivações das máquinas.

Você poderia até pensar que se trata de “apenas mais uma história de invasão alienígena”. Porém, estamos falando de uma narrativa assinada pelo famoso diretor e roteirista Yoko Taro, que constrói um universo melancólico com temas filosóficos e existenciais. Há também diversos finais e pontos de vista; dessa forma, mesmo que você zere o jogo, terá conhecido apenas uma pequena parte da história. Junte isso ao viciante gameplay de hack’n’slash e ganhe um dos maiores RPGs de ação desta geração.

9. Final Fantasy VII Remake

História de Final Fantasy VII continua mais atual do que nunca (Foto: Divulgação/Square Enix)

Um dos melhores jogos da franquia e da geração PS1, Final Fantasy VII ganhou um remake de respeito em 2020, que brilha com seus gráficos, animações, trilha sonora e narrativa reformuladas. A história acompanha um grupo de rebeldes que luta contra uma megacorporação, a qual está sugando toda a energia vital do planeta.

Esta é apenas a primeira parte de Final Fantasy 7, ou seja, não conta a história completa do jogo original. A ideia do relançamento é expandir a narrativa clássica, com o primeiro game focando no trecho em que Cloud e seus aliados estão em Midgar — este trecho durava cerca de cinco horas no jogo clássico, mas acabou rendendo um game completo. A continuação do remake ainda não foi revelada pela Square Enix, mas espera-se que isso aconteça ainda em 2022.

8. Resident Evil 2 Remake

Resident Evil 2 recria o clássico de terror com gráficos, história e gameplay melhorados (Foto: Divulgação/CAPCOM)

Se você era criança entre o fim dos anos 1990 e o início dos anos 2000, provavelmente se borrava de medo com Resident Evil 2. Na época, o jogo impressionava pela história, qualidade gráfica, trilha sonora e, é claro, pelos sustos; no PS4, tudo foi reimaginado, tornando-o muito mais envolvente, bonito e assustador.

Este foi o game que introduziu uma dupla de personagens muito querida pelos fãs. Na trama, o policial Leon S. Kennedy chega atrasado logo no primeiro dia de trabalho, e encontra Claire Redfield em busca do seu irmão desaparecido Chris, um dos protagonistas do primeiro game. Juntos, eles sobrevivem ao desastre de Raccoon City e descobrem as barbáries feitas pela poderosa Umbrella Corporation.

7. Horizon Zero Dawn + Horizon Forbidden West

Aloy é uma jovem guerreira que busca desvendar os mistérios da Terra no futuro (Foto: Divulgação/Sony Interactive Entertainment)

Neste RPG de ação e aventura exclusivo de PlayStation, o mundo foi dominado por máquinas modernas, gigantescas… e violentas. Apesar da tecnologia, a humanidade se viu obrigada a viver em tribos para sobreviver, todas com seus tabus. Um desses conservadorismos afeta Aloy, uma criança exilada por não ter mãe. Nós a acompanhamos ao longo dos anos tentando ser aceita pela comunidade e buscando respostas sobre o que aconteceu com o mundo — e de quem ela é.

Ambos os jogos são marcados por histórias densas e cheias de camadas, mundos abertos vastos e belas paisagens e combate desafiador. O segundo jogo, Horizon Forbidden West, expande ainda mais o universo do game, levando Aloy ao Oeste Proibido a fim de acabar com uma praga que está destruindo os ecossistemas da Terra. Tanto o primeiro quanto o segundo game são escolhas imprescindíveis para donos de PS4.

6. Grand Theft Auto V

GTA V foi lançado em 2013 e continua firme e forte até hoje (Foto: Divulgação/Rockstar Games)

Este jogo poderia estar na lista de melhores títulos de PS3, PS4 e, em breve, PS5. Sim, Grand Theft Auto V é excelente, e os motivos são vários: temos três protagonistas carismáticos (Franklin, Michael e Trevor), um mundo aberto repleto de atividades e uma história ousada e satírica, marca registrada da franquia.

Outro fator importante para a longevidade do game é o modo multiplayer, o GTA Online. Não à toa, estamos falando do produto de mídia mais lucrativo de todos os tempos, com mais de 150 milhões de cópias vendidas até agosto de 2021. Nem precisamos dizer que nossas expectativas para GTA VI estão altíssimas, não é?

5. Bloodborne

Bloodborne, dos mesmos criadores da série Souls (Foto: Divulgação/Sony Interactive Entertainment)

Exclusivo para PlayStation, Bloodborne é produzido pelo game designer Hidetaka Miyazaki, da FromSoftware, o mesmo criador de Elden Ring e da série Souls — ou seja, espere um game muito desafiador. O jogador controla Hunter no antigo vilarejo de Yharnam, um lugar tomado por uma estranha doença endêmica que avassalou a população local com morte e loucura.

Apesar de não ser um jogo de terror, Bloodborne flerta com o gênero o tempo todo graças à sua atmosfera gótica e lovecraftiana, em vez do tradicional estilo medieval fantástico da FromSoftware. O combate também é mais ágil, obrigando o jogador a focar mais em atacar do que em defender.

4. Red Dead Redemption 2

Bangue-bangue no velho oeste (Foto: Divulgação/Rockstar Games)

Red Dead Redemption 2 é um game que não deixa barato para qualquer filme de Hollywood. Desenvolvido pela Rockstar Games, o título recria de maneira deslumbrante o velho oeste com seu mundo aberto gigantesco, visuais incríveis, missões profundas e incontáveis atividades para se fazer. A inteligência artificial dos NPCs (personagens não jogáveis) também merece destaque: eles têm uma vida própria naquele universo e conseguem perceber, por exemplo, se nossas roupas estão sujas ou manchadas de sangue, o que muda o comportamento deles para conosco.

Você controla Arthur Morgan, membro da gangue de Dutch Van der Linde, e precisa recuperar o prestígio do grupo enquanto lida com intrigas internas e as autoridades locais após um assalto dar errado. A história se passa antes dos eventos do primeiro game, lançado para PS3, portanto, não é preciso jogar o primeiro para se aventurar no segundo.

3. The Witcher 3: Wild Hunt

A melhor aventura do bruxão Geralt de Rívia (Foto: Divulgação/CD Projekt RED)

O bruxo Geralt de Rívia ainda ficou mais conhecido pela série da Netflix, mas sua história começou mesmo com os livros do escritor polonês Andrzej Sapkowski. The Witcher 3: Wild Hunt talvez seja a melhor aventura do personagem até então. O jogo foi criado pela CD Projekt RED, numa época em que o estúdio ainda era conhecido por lançar jogos excelentes — e não o desastroso Cyberpunk 2077.

Neste RPG, Geralt está em busca de Ciri, uma jovem poderosa que está sendo perseguida pela Caçada Selvagem. O game tem muitas histórias a serem contadas, as quais levam o jogador para diferentes caminhos dependendo das escolhas feitas/ e é claro, explorar o mundo aberto do game pode render surpresas a cada esquina. Se somarmos o jogo base com as expansões Hearts of Stone e Blood and Wine, temos um dos melhores games de todos os tempos.

2. God of War

God of War mostra um Kratos diferente e inicia outra mitologia — não à toa, é um jogo não numerado (Foto: Divulgação/Sony Interactive Entertainment)

Todos nós conhecemos Kratos como um personagem sanguinário e mulherengo. Em God of War, de 2018, tudo isso muda: vemos um Kratos cansado, arrependido e tentando ensinar seu filho, Atreus, a ser um homem melhor do que ele foi. Após a morte de sua esposa, os dois viajam até o pico mais alto da montanha para jogar as cinzas dela ao vento — mas eles encontram muitos obstáculos pelo caminho.

O jogo também traz novidades interessantes à franquia, como a ambientação na mitologia nórdica, um sistema de câmera livre sobre o ombro e uma jogabilidade mais puxada para ação. Além disso, o game é todo apresentado em plano sequência, ou seja, não há cortes nem telas de carregamento entre os trechos de gameplay e as cutscenes. Tamanho primor técnico e criativo renderam a God of War o prêmio de Jogo do Ano no The Game Awards 2018 — prêmio disputado com Red Dead Redemption 2, por exemplo.

1. The Last of Us (Partes 1 e 2)

Seria The Last of Us um simulador de pai triste? (Foto: Divulgação/Sony Interactive Entertainment)

Simplesmente não conseguimos nos decidir entre as partes 1 e 2 de The Last of Us. O primeiro jogo foca muito mais na relação entre Ellie e Joel em um futuro pós-apocalíptico, tomado por zumbis e pela desordem — quase um simulador de pai triste —, enquanto o segundo é uma jornada trágica por vingança e violência. São dois jogos que se complementam, mas que são completamente diferentes em termos narrativos.

Ambos os games apostam em uma história cinematográfica, com ótimos momentos de drama e aventura, além de pequenas pitadas de terror. A trilha sonora, composta por Gustavo Santaolalla, potencializa as histórias contadas. Jogá-los também pode ser uma boa preparação para a série de TV em produção pela HBO, assinada por Craig Mazin, o mesmo diretor de Chernobyl.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.