Rover Perseverance completa 1 ano em Marte. Relembre grandes momentos da missão!

Rover Perseverance completa 1 ano em Marte. Relembre grandes momentos da missão!

Por Danielle Cassita | Editado por Patrícia Gnipper | 21 de Fevereiro de 2022 às 14h53
NASA

O rover Perseverance pousou em Marte há um ano. Desde então, o simpático robô vem explorando a cratera Jezero em busca de possíveis sinais deixados por seres vivos que podem ter existido no passado do Planeta Vermelho, enquanto coleta amostras que devem ser trazidas para a Terra na próxima década, através de uma grande campanha conjunta da NASA e da Agência Espacial Europeia (ESA).

Tanto o rover quanto o helicóptero Ingenuity fazem parte da missão Mars 2020, lançada em julho de 2020 com destino a Marte. Foram necessários aproximadamente sete meses de viagem até a dupla chegar ao planeta, depois de outros sete minutos de tensão durante o pouso, conhecidos como “sete minutos do terror”. Depois disso, enfim veio o alívio: em 18 de fevereiro de 2021, às 17h56 (horário de Brasília), o rover Perseverance pousou na superfície marciana.

Desde então, o veículo vem explorando a cratera Jezero em busca de bioassinaturas na cratera Jezero. Claro que o local não foi escolhido por acaso: é que, há 3,5 bilhões de anos, houve ali o delta de um rio, que pode ter preservado sinais de seres vivos, caso tenham existido. Enquanto isso, o Perseverance — ou “Percy”, como é carinhosamente chamado — vem coletando amostras, que devem ser trazidas à Terra na próxima década.

Confira, abaixo, alguns destaques da missão do Perseverance:

Coleta das primeiras amostras de outro planeta

A primeira amostra de Marte coletada pelo rover Perseverance (Imagem: Reprodução/NASA/JPL-Caltech/ASU)

Um dos principais objetivos da missão do Perseverance é a coleta de amostras e, para isso, o Percy conta com mais de 40 tubos de titânio, que armazenam o material. Após uma tentativa inicial sem sucesso, a primeira coleta aconteceu em setembro do ano passado, e rendeu um núcleo rochoso com quase 6 cm de extensão; desde então, outras seis amostras já foram coletadas de rochas variadas e de grande interesse dos cientistas.

Embora o rover tenha equipamentos para analisar estes materiais, os laboratórios em nosso planeta estão muito melhor preparados para estudá-los e descobrir o que dizem sobre o passado de Marte. Assim, a NASA e a Agência Espacial Europeia pretendem trazer o material para a Terra na próxima década, através da campanha Mars Sample Return.

Uma base para o Ingenuity

Quando pousou em Marte, o rover não estava sozinho: preso à sua “barriga”, estava o helicóptero Ingenuity, uma demonstração de tecnologia criada para testar como uma aeronave se sai durante voos na atmosfera marciana. Após o pouso, o helicóptero ainda passou cerca de um mês preso ao rover, carregando suas baterias e se protegendo até o momento de voar. Tudo correu bem e o primeiro voo do Ingenuity aconteceu no dia 19 de abril de 2021.

Na verdade, a pequena aeronave foi projetada para voar apenas cinco vezes, mas mostrou desempenho tão satisfatório que a NASA estendeu sua missão; hoje, o Ingenuity segue firme e forte, e já chegou à marca dos 19 voos. Agora, ele vem trabalhando junto do Percy, identificando antecipadamente possíveis formações perigosas para o rover.

Produção de oxigênio em Marte

Componentes internos do experimento MOXIE (Imagem: Reprodução/NASA-JPL)

Outra grande conquista da missão do Perseverance ocorreu em abril do ano passado. Foi naquele mês que o robô conseguiu produzir cerca de 5 g de oxigênio a partir da atmosfera de Marte, rica em dióxido de carbono. O procedimento foi possível graças ao Mars Oxygen In-Situ Resource Utilization Experiment (MOXIE), um instrumento experimental com tamanho parecido com o de uma torradeira.

Para isso, o MOXIE separou os átomos de oxigênio das moléculas do dióxido de carbono, formado por um átomo de carbono e dois de oxigênio. Depois, o que sobra do processo é o monóxido de carbono, lançado à atmosfera. Durante esta primeira demonstração, os 5 g de oxigênio produzidos poderiam fornecer 10 minutos de oxigênio para um astronauta.

Os primeiros sons gravados pelo Perseverance

O instrumento SuperCam, antes de ser instalado no rover (Imagem: Reprodução/CNES)

Um dos instrumentos que equipam o Perseverance é a SuperCam, uma câmera capaz de capturar imagens em alta resolução e sons — e alguns deles foram revelados pela NASA no ano passado. A agência espacial divulgou gravações do microfone da câmera, que revelam os sons dos ventos que sopram na superfície marciana e até alguns estalos, gerados pelos disparos de laser do Perseverance em rochas.

Além de serem fascinantes, os áudios trazem informações importantes para os cientistas: há algumas variações neles, que podem ajudá-los a entender melhor as propriedades das estruturas das rochas marcianas, como a rigidez delas. “É incrível pensar que vamos fazer ciência com os primeiros sons já gravados na superfície de Marte!”, comemorou Naomi Murdoch, pesquisadora.

Recorde de distância percorrida

No dia 14 de fevereiro (ou o 351º sol da missão) de 2022, o rover quebrou o recorde de maior distância já percorrida por um rover em Marte em um único dia. Na ocasião, o Percy se deslocou por quase 320 metros em um só dia. O deslocamento aconteceu com o auxílio do AutoNav, um software de direção autônoma que permite que o robô consiga continuar se movendo mesmo com rochas e outros obstáculos à frente.

O sistema AutoNav produz mapas tridimensionais do terreno à frente do veículo, identifica obstáculos e cria uma rota para contornar possíveis obstáculos — tudo isso sem a necessidade de direções adicionais dos controladores na Terra. Junto de outros recursos, o AutoNav pode permitir que o Perseverance chegue à velocidade de 120 metros por hora — para comparação, considere que o rover o Curiosity está equipado com uma versão anterior do AutoNav, que permite cobrir alcançar apenas 20 metros por hora.

Fonte: NASA

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.