Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Review Fiat Fastback Audace | SUV coupé pode ser o Tempra da sua geração

Por| Editado por Jones Oliveira | 18 de Dezembro de 2022 às 09h00

Link copiado!

Review Fiat Fastback Audace | SUV coupé pode ser o Tempra da sua geração
Review Fiat Fastback Audace | SUV coupé pode ser o Tempra da sua geração

Desde quando o Fiat Fastback foi apresentado como um conceito no Salão do Automóvel de São Paulo em 2018, já sabíamos que a Fiat preparava uma nova guinada em sua linha de produtos no Brasil. Naquela oportunidade, com o sucesso da Fiat Toro e o surgimento do Argo, pouco se falava que a montadora fosse apostar em SUVs compactos, já que a Jeep, marca pertencente ao grupo Stellantis, estava bombando com o Renegade.

Na oportunidade, o que se viu foi uma versão SUV da própria Toro, com porte médio e que se colocaria como o carro “premium” da Fiat. A ideia não foi totalmente abandonada pela marca, mas o Fiat Fastback que veio à vida é derivado do Fiat Pulse e traz, consigo, uma ideia que já vimos lá atrás com o Fiat Tempra, porém adaptado aos dias atuais.

Continua após a publicidade

O Fiat Fastback vem para tentar mudar um pouco a cara da Fiat de ser uma montadora apenas de carros tidos como populares. Ao mesmo tempo, precisa agradar a massa do público, que pede por SUVs de porte compacto, mas precisam, também, de tecnologia, conforto e um certo nível de refinamento.

Ao passar um tempo com a versão de entrada do Fiat Fastback, a Audace, percebemos que o objetivo foi parcialmente alcançado, mas dentro de uma estratégia com a mentalidade “Stellantis” e não somente “Fiat”, dá para dizer que tudo foi bem encaixado, sem prejudicar outros produtos no grupo.

Conectividade e Segurança

A unidade do Fiat Fastback Audace emprestada ao Canaltech estava equipada com todos os opcionais disponíveis para essa versão, ou seja, o pacote com bancos em material sintético, que custa R$ 2.563; e o pack Connect Me, que agrega todos os serviços de conectividade ao carro por R$ 3.963 — e que é opcional em todas as versões —, totalizando R$ 6.526.

Considerando o que já vem de série da versão Audace, dá para dizer que o Fiat Fastback agrada muito quando pensamos em conectividade e segurança, mesmo com algumas faltas que não poderiam acontecer em um carro desse nível e valor.

O sistema ADAS, presente no Pulse somente nas versões mais caras, já está aqui no Fastback de entrada. Dando ao proprietário recursos como alerta de colisão frontal, frenagem automática de emergência, alerta de saída de faixa com correção e comutação automática do farol alto. Embora seja um pacote suficiente, a Fiat poderia ter incluído, ao menos, o alerta de ponto cego, algo que ajudaria com um carro de carroceria coupé e visibilidade prejudicada.

Continua após a publicidade

Em termos de segurança passiva, o SUV vem com quatro airbags, sendo duas bolsas frontais e duas laterais que cobrem cabeça e tronco. A falta aqui, claro, é a ausência das bolsas de cortina, algo presente até em carros mais baratos como item de série. Sinceramente, não entendemos o motivo de não ter.

Para o campo da conectividade, o Fastback dá show e traz tudo o que a Fiat tem de melhor nesse aspecto. Com o pack do Connect Me, a versão de entrada recebe a mesma central multimídia das variantes mais caras, a uConnect de 10,1 polegadas, que tem resolução HD e interface extremamente amigável. Mas não fica por aí.

Há, também, GPS nativo com atualização em tempo real, internet 4G (paga à parte), integração com Amazon Alexa, espelhamento com Android Auto e Apple CarPlay sem fio, e a conexão com o app Connect Me no celular, que permite que o usuário faça comandos remotos por lá, como dar a partida, monitorar o local do veículo e até traçar um perímetro de atuação.

Continua após a publicidade

Conviver com o Fiat Fastback e ter todos esses equipamentos à disposição entram naquilo que citamos acima; da ideia de trazer mais percepção de valor ao carro. Mesmo na versão de entrada, o SUV coupé da Fiat é bem completinho.

Os itens de segurança e conectividade do Fiat Fastback são complementados pelos controles de estabilidade e tração, tracionamento TC+, sistema ISOFIX, distribuição eletrônica da frenagem, freios ABS, alerta de cinto de segurança para todos os ocupantes e sistema follow me home.

Continua após a publicidade

Experiência de Uso e Conforto

Ao volante, o Fiat Fastback conseguiu ser diferente do seu irmão Pulse, e isso pode agradar ou desagradar, dependendo do perfil do usuário. Para o nosso gosto, tudo melhorou e vamos explicar.

O motor da versão de entrada é o 1.0 turbo de 130cv de potência e 20,4 kgf/m de torque, que se mostraram tão suficientes quanto para o SUV padrão. O que muda no Fastback, que pesa apenas 19kgs a mais do que o Pulse, é a carroceria coupé, que lhe dá um balanço diferente, bem parecido com de um sedan.

Continua após a publicidade

Além disso, a Fiat efetuou uma calibração diferente na suspensão e nos amortecedores do Fastback para deixá-lo um pouco mais firme. Isso, ao mesmo tempo que o tornou menos confortável em ruas esburacadas, lhe deu mais estabilidade na estrada e em curvas de velocidade um pouco maior. Em alguns exercícios, deu para sentir a traseira do carro nos levando pouco mais para o lado, mesmo com a eletrônica toda ligada. Muito interessante.

Em termos de consumo, mais boas notícias. Rodamos quase 1.000km com o Fastback e o resultado foi o seguinte:

Etanol:

  • 8,2 km/l na cidade
  • 12 km/l na estrada
Continua após a publicidade

Gasolina:

  • 9,5 km/l na cidade
  • 16,2 km/l na estrada

Isso foi possível, assim como no Pulse, pelo ótimo casamento com o câmbio CVT. Entendemos que se o câmbio fosse um automático convencional de seis marchas, ele poderia ter até mais desempenho (o 0 a 100 km/h é de 9,4s), mas o conjunto agrada demais, principalmente na estrada.

Continua após a publicidade

Espaço interno e comodidades

O grande destaque do Fiat Fastback quando falamos de sua construção e aproveitamento de espaço é o porta-malas. O comprimento de 4,42m lhe proporcionou um bagageiro de 516 litros, que, na prática, até parece mais. Sim, é bem grande.

Isso, porém, não deixou que a Fiat expandisse o entre-eixos do SUV, deixando com os mesmos 2,53m do Pulse. O espaço interno não é ruim, mas ao olhar o carro de fora, nutrimos uma expectativa maior com relação ao habitáculo que foi demovida em segundos quando entramos nele. Pessoas altas podem ficar um pouco apertadas nas pernas, mas nada de muito grave.

Continua após a publicidade

Apesar disso, a vida dentro do Fastback é cheia de mimos. O ar condicionado é digital e automático, com saídas para os ocupantes traseiros. O sistema de som agrada e a internet funciona bem para cinco passageiros quando utilizado o roteamento 4G nativo.

Há, de série, alguns itens que também impressionam por ser um carro de entrada na linha. Como por exemplo o carregador de celular por indução com ar condicionado embutido, que deixa seu aparelho geladinho mesmo com o carregamento rolando.

Temos, também, retrovisor interno eletrocrômico (alô, Hyundai Creta), sensor de chuva, sensor crepuscular, console central com compartimento removível, auxiliar de partida em rampa, função auto-hold, freio de mão eletrônico, sensor de estacionamento traseiro e câmera de ré de alta resolução.

Continua após a publicidade

Design e Acabamento

Podemos falar muita coisa do Fiat Fastback, mas o design é algo que, certamente, não vai passar despercebido por ninguém. Em 2022, esse talvez tenha sido o carro que mais tenha atraído olhares em nossos testes, seja para o bem, ou para o mal — no geral, os comentários foram bem positivos.

Há quem diga que não temos proporção na traseira coupé do Fastback, mas penso ser um tanto de preciosismo (com um pouco de má-vontade). Há, sim, harmonia, o carro não é desengonçado e as linhas foram bem executadas, mesmo que em determinadas cores, a coluna C, ou seja, o último terço do carro, possa parecer uma coisa só com a metade do bólido.

Continua após a publicidade

Na dianteira, temos mudanças com relação ao Pulse, como as novas entradas de ar e a grade reformulada, estratégia parecida com o que a empresa usou com a dupla Argo/Cronos.

Já no interior, temos mais mudanças com relação ao Pulse. A maior delas é no console central, que é mais alto e melhor aproveitado, com a inclusão de um porta-copos removível que esconde um enorme baú central.

Os materiais do painel agradam, mas os encaixes poderiam ser melhor executados, principalmente na tampa do porta-luvas, que segue misteriosamente desnivelada com o restante da peça.

O isolamento acústico também foi algo que incomodou e é uma bola fora dentro daquele conceito de “trazer valor” para o produto.

Concorrentes

Apesar de ser um SUV coupé, o Fiat Fastback é um modelo compacto e pode brigar nas vendas com vários modelos. Entretanto, considerando a categoria e a carroceria, seu principal rival passa a ser o Volkswagen Nivus, que custa entre R$ 130 mil e R$ 150 mil.

O Fiat Fastback Audace vale a pena?

Nós citamos o Fiat Tempra, lançado nos longínquos anos 1990 aqui no Brasil, para explicar a ideia do Fastback, porque quando o sedan chegou ao país naquela época, tinha basicamente a mesma proposta: elevar o patamar da montadora.

Ao passar um tempo com o Fiat Fastback Audace, dá para dizer que ele vale muito a pena, principalmente porque consegue realmente trazer uma sensação de maior valor agregado à marca, mas com um produto bem completo e atraente, porém, sem se descolar muito do que o mercado pede em termos de preços.

Penalidades à parte, como falhas de acabamento e ausência de alguns equipamentos, o Fiat Fastback pode, facilmente, competir dentro do voraz mercado de SUVs compactos. Bom desempenho, porta-malas e tecnologia para isso ele tem.

O Fiat Fastback Audace avaliado pelo Canaltech, com todos os opcionais e a cor Cinza Strato, pode ser adquirido por R$ 143.395,00. Os preços do Fastback, porém, partem de R$ 129.990.

O Fiat Fastback Audace foi avaliado pelo Canaltechgraças a uma unidade gentilmente cedida pela Stellantis.