Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Apple ameaçou tirar o Twitter da App Store, diz Elon Musk

Por| Editado por Douglas Ciriaco | 28 de Novembro de 2022 às 18h12

Link copiado!

Montagem Canaltech
Montagem Canaltech
Tudo sobre Twitter

A Apple ameaçou remover o Twitter da App Store sem apontar qualquer motivo para isso, acusou Elon Musk nesta segunda (28) em sua conta do Twitter. A notícia sinaliza que a tensão entre a rede social e a Maçã continua crescendo após as polêmicas decisões do bilionário à frente da plataforma.

O atrito entre o Twitter e a Apple se tornou evidente desde quando o chefe da App Store, Phil Schiller, apagou sua conta da rede social. A Apple não se manifestou publicamente sobre o assunto, mas a decisão do executivo sinalizou que a companhia estava descontente com a nova direção do Passarinho Azul.

"A Apple também ameaçou suspender o Twitter da App Store, mas não nos disse o motivo", disse o "Chief Twit".

Continua após a publicidade

Segundo o bilionário, a empresa também teria retirado boa parte dos anúncios do Twitter — outro indicador do descontentamento da nova gestão.

Decisões polêmicas e críticas

No comando do Twitter, Elon Musk foi responsável por uma série de mudanças no Passarinho Azul — várias delas, no mínimo, problemáticas. Além da introdução do problemático Twitter Blue com selo de verificado (suspenso por tempo indeterminado), o "Chief Twit" trouxe de volta contas banidas de personalidades controversas, como o ex-presidente dos EUA Donald Trump e o rapper Kanye West.

Continua após a publicidade

Outra vontade controversa de Musk também trazer de volta contas suspensas "que não violaram leis". A decisão foi tomada após a publicação de uma enquete no perfil pessoal do chefão do Twitter.

Contudo, numa ofensiva contra a Apple, o CEO e proprietário da rede dos 280 caracteres já reclamou da taxa de 30% na venda de itens dentro da loja — comissão que se aplica a cada assinatura do Twitter Blue. Apesar de já ter sido levada à justiça por conta da cobrança, a companhia de Tim Cook é bastante rigorosa quanto ao modelo.

Apple de olho no conteúdo

Apesar de não ser diretamente responsável pelo conteúdo que circula no Twitter, a Apple determina certas regras para aplicativos distribuídos pela App Store. Tais políticas fizeram apps como Discord e Tumblr a suspenderem (ou, pelo menos, mitigarem) a distribuição de pornografia.

Continua após a publicidade

Porém, a Apple também é contrária à "liberdade de expressão absoluta" — modelo que Elon Musk diz defender para o Twitter. Essa dinâmica foi implementada na rede social Parler que, pouco após o lançamento, foi suspensa da App Store por ter se tornado campo fértil para discursos de ódio, tendo voltado após reforçar a moderação de conteúdo.