Controversa rede social Parler volta a App Store após 5 meses de restrição

Controversa rede social Parler volta a App Store após 5 meses de restrição

Por Igor Almenara | Editado por Douglas Ciriaco | 17 de Maio de 2021 às 15h36
Igor Almenara/Canaltech

Nesta segunda-feira (17), o Parler volta a ficar disponível na App Store. A controversa rede social construída sobre o conceito da preservação absoluta da liberdade de expressão retorna à loja de apps da Apple um mês após a liberação da companhia.

Em janeiro, a fatídica invasão ao Capitólio dos Estados Unidos voltou a atenção para as plataformas que poderiam ter servido para articular o movimento — o Parler era uma das suspeitas. Criada como uma alternativa"contra uma suposta censura das principais rivais, a rede social foi acusada de ser um recinto para os grupos extremistas envolvidos no evento e por não ter medidas eficientes para conter a disseminação de discurso de ódio.

Cientes do problema, Apple e Google agiram para retirar o aplicativo de suas lojas de apps. A mesma deficiência também implicou na quebra do contrato com a AWS, serviço de hospedagem da Amazon, o que deixou a rede fora do ar por semanas até conseguir um serviço substituto.

Acatando ordens

A mais recente atualização do app inclui “melhores ferramentas para denúncia de ameaças e assédio”, correção de bugs e aprimoramento de estabilidade. Como as ferramentas funcionam ainda não está claro, contudo, de acordo com o Washington Post, é regida por inteligência artificial e com restrições exclusivas para iGadgets.

Segundo o veículo, publicações categorizadas pela inteligência artificial como “discurso de ódio” são inacessíveis a partir de dispositivos Apple. Usuários de PC, por sua vez, ainda poderão ver o conteúdo ao clicar na publicação.

“No Parler nós respeitamos a Primeira Emenda [da Constituição dos Estados Unidos], isso significa que a liberdade de expressão é garantida”, disse a diretora de políticas do Parler Amy Peikoff ao Washington Post. Portanto, a medida parece atender à exigência da Apple de forma categórica, impedindo que conteúdo nocivo apareça apenas em iPhones ou iPads.

Um truque antigo

Essa estratégia, por sua vez, não é inédita. O Discord, plataforma conhecida no meio gamer, estabeleceu a restrição de comunidades destinadas ao público adulto através de dispositivos Apple. A companhia não se manifestou sobre as causas da proibição, mas suspeita-se que foi um meio de evitar problemas com as normas da App Store.

Do lado Android, não se sabe se medidas semelhantes serão adotadas, tampouco se serão suficientes para convencer o Google. O Parler continua com download indisponível a partir da Play Store, mas o app pode ser baixado por meios alternativos.

O conteúdo nocivo ainda existe e, de acordo com o posicionamento de executivos da plataforma, deve continuar circulando na rede social. A Apple ainda não se manifestou publicamente sobre o assunto.

Fonte: CNET, The Washington Post

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.