7 grandes novidades anunciadas no Google I/O 2022

7 grandes novidades anunciadas no Google I/O 2022

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 11 de Maio de 2022 às 16h51
Reprodução/Google

O Google I/O trouxe as principais novidades para criadores de softwares e games para 2022. O evento foi iniciado nesta quarta-feira (11) e segue até amanhã (12) no Shoreline Amphitheatre, em San Francisco, nos Estados Unidos. A conferência pode ser acompanhada pela internet, mas também terá público presencial — pela primeira vez nos últimos três anos.

A palestra de abertura foi conduzida pelo CEO do Google, Sundar Pichai, oportunidade na qual a gigante das buscas mostrou suas principais tecnologias em desenvolvimento para os anos de 2022 e 2023. O foco são os desenvolvedores, portanto a empresa trouxe novidades sobre o Android 13 e sistemas relacionados.

Confira as sete principais novidades do Google I/O 2022:

7. Androids unificados

Google quer integrar os Androids em celulares, TVs, tablets, centrais multimídia e relógios (Imagem: Reprodução/Google)

Com cada vez mais aparelhos compatíveis com o Android, o Google trabalha para tentar unificar as tecnologias compatíveis com os mais de três bilhões de dispositivos ativos mensais no mundo. O telefone celular ainda é a forma mais popular do sistema, mas as pessoas já estão ligadas ao Android em TVs inteligentes, carros, relógios e outros acessórios.

Os criadores do sistema do Google tem trabalhado para lançar atualizações conjuntas para que todas as plataformas trabalhem em conjunto. Ainda não foram dados todos os detalhes sobre como isso ocorrerá, mas, por ser sido o primeiro anúncio do evento, dá para presumir a importância.

O Chromecast deve ser integrado a muitos dispositivos físicos para permitir o acesso à biblioteca de filmes, músicas e serviços de streaming no dispositivo. Na prática, significaria que a pessoa pode começar a ver um filme pelo celular no trajeto para o trabalho e terminá-lo na TV de casa, à noite. Esses recursos serão expandidos a novos parceiros e produtos, como o Chromebook e centrais de multimídia de carros, porém ainda sem uma revelação das empresas envolvidas.

A unificação deve abranger também as conexões. O Google promete um sistema rápido de alternância do áudio de fones de ouvidos de um tablet para o telefone, quando atender uma chamada. Além disso, será possível copiar uma URL ou imagem de um telefone e colar no tablet, sem precisar transferir os dados pela internet, chat ou e-mail, como as pessoas fazem hoje.

6. Novidades do Android 13

O Android 13 deve ser mais integrado em todos os aparelhos que rodam (Imagem: Reprodução/Google)

O Google liberou nesta quarta a segunda versão beta do Android 13. Assim como no antecessor, o Google deve voltar seus esforços em atualizações para privacidade e segurança do usuário.

Serão necessárias permissões distintas para acesso a arquivos diferentes: acessar fotos é uma coisa, acessar músicas é outra. Apesar do foco no novo sistema, o Google garante que versões anteriores também oferecerão maneira de manter conversas privadas, proteção da identidade digital e suporte a atividades do mundo físico.

A empresa pretende entregar uma experiência aprimorada para dispositivos de tela grande, como tablets e televisores, além de oferecer ainda mais opções de personalização — uma possível expansão do design Material You, principal novidade visual do Android 12. Os usuários também poderão definir as preferências de idioma para cada aplicativo, como colocar games em japonês, redes sociais em inglês e apps de bate-papo em português.

Novo protocolo para "torpedos"

Os famosos (e falecidos) "torpedos" — as mensagens de texto cobradas pelas companhias telefônicas — ficaram defasados quando aplicativos como o WhatsApp ganham a simpatia dos usuários. O Google anunciou que trabalha em conjunto com operadoras de telefonia e fabricantes de aparelhos do mundo inteiro para atualizar os protocolos SMS e MMS.

O formato novo é chamado RCS e permitirá o compartilhamento de fotos de alta qualidade, suporte ao envio por Wi-Fi, ver indicadores e melhor experiência de mensagens em grupos. Segundo o Google, mais de 500 milhões de usuários do aplicativo Mensagens podem usar o protocolo RCS, mas isso só deve ocorrer quando a segurança e a privacidade estiverem 100% funcionais.

Hoje, o programa do Google de troca de mensagens já oferece criptografia de ponta a ponta para conversas individuais, mas ainda não tem o recurso para os grupos. A previsão é que uma versão beta aberta seja liberada ainda em 2022, em uma clara tentativa de rivalizar com o iMessage, da Apple, e os mensageiros populares do mercado.

5. Nova Google Wallet

O usuário poderá pagar (e armazenar) o bilhete do trem ou ônibus com a carteira do Google (Imagem: Reprodução/Google)

No passado, o Google já teve um aplicativo chamado Wallet, mas ele foi descontinuado em prol do sistema de pagamentos do Google Pay. Agora, a gigante de Montain View decidiu ressuscitar a ideia de uma carteira digital, porém muito mais completa.

A nova Google Wallet no Android padronizará a forma como o usuário salva itens importantes do cotidiano, como cartões de crédito, chave de carro, registro de vacinas, tickets de transporte público, passagens de avião, cartões de fidelidade e até cupons de desconto.

Inicialmente, a Wallet chegará para o sistema móvel de relógios inteligentes, o Wear OS, e oferecerá suporte para cartões de crédito. Bastará aproximar seu smartwatch de uma maquinha de cartão para efetuar o pagamento sem contato.

Em breve, a empresa pretende expandir o aplicativo para salvar e acessar chaves de hotel e crachás de escritório no celular Android. Nos Estados Unidos, o documento de identidade das pessoas ficará guardado na Wallet com a carteira de motorista, cartão do plano de saúde e outros itens indispensáveis do cidadão.

O Google já anunciou que o modelo deve desembarcar em 38 países, incluindo o Brasil, mas é provável que nem todas as funcionalidades estejam disponíveis logo de cara. Mesmo assim, é uma novidade muito bem-vinda para reduzir a quantidade de documentos físicos que as pessoas precisam carregar por aí.

4. Emergências e alertas no WearOS

Chamadas de Emergência SOS chegarão para o Wear OS (Imagem: Reprodução/Google)

Uma coisa que a pandemia ensinou para as pessoas foi a adoção de boas prática de prevenção sobre saúde. Mesmo assim, nunca se sabe quando uma emergência médica pode ocorrer — e nem sempre a vítima conseguirá chamar o socorro. O Android quer ajudar as pessoas neste momento crítico, quando um atendimento rápido é o diferencial entre a vida e a morte.

O Google construiu uma infraestrutura para esses momentos chamada Emergency Location Services (ELS) (Serviços de Localização Emergenciais, em tradução livre) para ajudar socorristas a localizar pessoas quando elas pedem ajuda. O ELS foi lançado inicialmente na Arábia Saudita, Bulgária, Espanha e Paraguai, mas será liberada para mais de um bilhão de pessoas no planeta.

O ELS emite uma espécie de sinal mais preciso do que o GPS tradicional para bombeiros, policiais ou equipes de resgate possam localizar sua posição. Para isso, basta ter um celular ou relógio equipado com o Android. Os alertas de terremoto também estão atrelados ao sistema ELS e serão expandidos para outras regiões com elevada incidência de tremores.

Para este ano, o Google promete entregar o recurso SOS de Emergência para o Wear OS. A ideia é permitir ao usuário contatar um amigo ou familiar de confiança em caso de emergência. Será possível também automatizar a ligação para serviços públicos, como o SAMU, a Polícia Civil e o Corpo de Bombeiros.

Wear OS com mais apps e serviços

O Wear OS deve receber mais aplicativos para melhorar a experiência (Imagem: Reprodução/Google)

No ano passado, o Wear OS foi um dos trunfos do Google para equipar os populares relógios inteligentes. A empresa fechou parceria com a Samsung para equipar os modelos da empresa sul-coreana com o moderno sistema — fato que triplicou a quantidade de dispositivos ativos da plataforma. Para este ano, a empresa pretende equipar também modelos da Fossil Group, Montblanc, Mobvoi e outros.

Além disso, o sistema para relógios receberá suporte ao Google Assistente. Inicialmente, a série Watch4 da Samsung será a primeira a receber a adição, que contará com interações de voz mais rápidas e naturais. A ideia é possibilitar ao usuário comandar o relógio apenas com comandos de voz, como navegação, configuração e lembretes.

O Google promete trazer ainda novas experiências para apps já existentes — Spotify, adidas Running, LINE e KakaoTalk — e novas soluções. SoundCloud e Deezer devem bater de frente com os rivais ainda este ano, além de entregar alternativas para quem quer escutar música sem precisar de um telefone por perto.

3. Tablets e telas grandes em alta

O Google pretende continuar com a otimização do Android para tablets e telas grandes (Imagem: Reprodução/Google)

A chegada do Android 12L marcou o forte investimento do Google em um sistema operacional totalmente pensado para tablets e telefones de tela maior, como a linha Samsung Galaxy Fold. A companhia prometeu melhorar ainda mais os recursos já mostrados anteriormente.

Foram introduzidos novos recursos para ajudar as pessoas a realizar tarefas, como o toque na barra de ferramentas para visualizar a bandeja de aplicativos, o recurso de arrastar e soltar em aplicativos, bem como a visualização de dois apps lado a lado na tela dividida.

Nas próximas semanas, mais de 20 aplicativos do Google serão aprimorados para aproveitar ao máximo o espaço extra. YouTube Music, Google Maps e Mensagens devem utilizar os recursos exclusivos que as telas grandes proporcionam. TikTok, Zoom e Facebook são exemplos de programas de terceiros que também devem renovar a experiência

A promessa é que, em breve, você poderá pesquisar mais facilmente quais aplicativos foram otimizados para tablets graças a uma atualização da Google Play Store. Não houve o anúncio de um Android 13L na Google I/O 2022, mas é possível que surja algo nessa linha em algum momento.

2. Pixel 6a/7/7Pro, Pixel Watch e Pixel Tablet

O Pixel Watch foi anunciado e marca a primeira iniciativa oficial do Google no mercado de relógios inteligentes (Imagem: Reprodução/Google)

O anúncio de novos modelos telefones da linha Pixel não chegam a ser surpresa, mas não é usual de ocorrer no I/O. A empresa lançará o celular Pixel 6a e os fones de ouvido Pixel Buds Pro nos próximos meses nos Estados Unidos — sem previsão para o Brasil.

A gigante também revelou os novos smartphones Pixel 7 e Pixel 7 Pro, evolução dos antecessores com mais processamento e melhores especificações técnicas. Quem roubou a tarde, contudo, foi o relógio inteligente Pixel Watch, o que confirma os vazamentos recentes. O relógio do Google é bonito, tem um design moderno e terá total suporte ao Wear OS, possivelmente funcionando como um local de testes para o sistema, como ocorre com o Android na linha Pixel.

Para 2023, a empresa de Montain View anunciou que lançará o Pixel Tablet. Isso era algo esperado, tendo em vista o lançamento do Android 12L e do foco dos desenvolvedores em telas grandes para o Android 13.

1. Google Search

A busca múltipla terá suporte a mais um termo para refinar as buscas (Imagem: Reprodução/Google)

Um dos anúncios que mais empolgou o público no local do evento foi a atualização do Multiseach, uma evolução do recurso lançado em abril para buscar fotos com contextos adicionais. Na prática, ela permite refinar a busca de algo com informações complementares.

Se o resultado do Google Imagens mostrar o modelo de vestido que você quer, mas com uma cor diferente, será possível refinar a pesquisa com o tom desejado. O algoritmo vai processar essa informação e entregar modelos similares nas cores que o usuário quer.

Além disso, a busca aprimorada usará dados de geolocalização para aprimorar o resultado. Você poderá tirar uma foto de uma comida e perguntar ao Google por restaurnates nas redondezas que a comercializem. O resultado será exibido no Google Maps e terá compatibilidade com navegação para você encontrar o local desejado rapidamente.

Scene Exploration

O recurso usará a realidade aumentada e do Google Lens para trazer informações ao consumidor (Imagem: Reprodução/Google)

Ao fazer compras em lojas ou mercados, com o suporte do Google Lens, será possível apontar a câmera para produtos e ter resultados inteligentes sobre eles. O Scene Exploration vai exibir dados sobre múltiplos objetos simultaneamente, como se você estivesse em um e-commerce. A companhia promete exibir avaliações dos usuários, comparativo de preços e detalhes técnicos (como composição química ou se contém açúcar).

Tudo isso deve chegar inicialmente apenas em inglês e com suporte para os Estados Unidos, mas ganhará novos idiomas em um segundo momento. Como isso exigirá a participação de comerciantes, da comunidade e do próprio Google, é possível que a maioria dos recursos leve algum tempo para desembarcar no Brasil.

Google Tradutor

Os novos idiomas vão ajudar pessoas do mundo inteiro a se comunicar em mais línguas (Imagem: Reprodução/Google)

O Google Tradutor adicionou 24 novas línguas à ferramenta, que já contava com 133 línguas de todo o mundo. Agora, o programa de tradução do Google atende a cerca de 300 milhões de pessoas do mundo.

Dentre os novos idiomas, o destaque é o Guarani, língua de origem indígena falada por nove milhões de pessoas em países como Brasil, Argentina, Paraguai e Bolívia. Esses são os primeiros idiomas adicionados com o uso de um modelo de machine learning que usa apenas texto monolíngue.

Embora essa tecnologia seja impressionante, o Google reslta que ela não é perfeita. Será necessário melhor os modelos para oferecer a mesma experiência que as pessoas já conhecem em traduções de idiomas como espanhol, inglês ou alemão, por exemplo.

É possível que muitos detalhes ainda surjam ainda nos próximos dias de evento, e o Canaltech estará ligado em todos eles.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.