MediaTek fecha parceria com ARM e Tencent para trazer Ray Tracing aos celulares

MediaTek fecha parceria com ARM e Tencent para trazer Ray Tracing aos celulares

Por Renan da Silva Dores | Editado por Wallace Moté | 15 de Outubro de 2021 às 11h53
Divulgação/MediaTek

O Ray Tracing, ou traçado de raios, em tradução literal, é uma técnica avançada pela qual placas de vídeo realizam cálculos para replicar o comportamento da luz de maneira realista. Ainda que não seja exatamente nova, tendo surgido, na verdade, na década de 1970, somente nos últimos três anos os computadores ganharam a capacidade de realizar esse processamento em tempo real, com o advento da família GeForce RTX da Nvidia.

Com a expansão do uso do recurso, mais companhias, como a AMD, já adotaram hardware dedicado a Ray Tracing, enquanto outras planejam levar a tecnologia a mais dispositivos, como os celulares. A MediaTek é uma das fabricantes que abraçaram o desafio, e em nota à imprensa divulgada nesta semana, anunciou uma parceria com a ARM e a empresa de games Tencent para acelerar a adoção.

MediaTek, ARM e Tencent querem trazer Ray Tracing aos celulares

O primeiro resultado da parceria entre as três gigantes é o lançamento de um kit de desenvolvimento de software (SDK) baseado na API Vulkan para implementação de Ray Tracing em smartphones. A novidade foi desenvolvida pela MediaTek, integra soluções da Tencent e é compatível com as GPUs Mali da ARM, presentes na maioria dos chipsets MediaTek.

Segundo as empresas, o SDK habilita recursos como sombras e reflexos de Ray Tracing, e emprega um algoritmo de pós-processamento avançado para eliminar o ruído gerado pela técnica. Os primeiros chips beneficiados serão os integrantes da família Dimensity 5G, com destaque para o topo de linha Dimensity 1200.

O SDK de Ray Tracing é o primeiro resultado da parceria, e chega trazendo compatibilidade com os chips Dimensity 5G, com destaque para o Dimensity 1200 (Imagem: Divulgação/Realme)

Outro destaque do kit é o uso de códigos padronizados pela Khronos Group, organização sem fins lucrativos dedicada a estabelecer padrões de código aberto para diversas aplicações. O grupo é responsável, por exemplo, pelos formatos OpenCL, OpenGL e a própria API Vulkan, o que facilita a transição de apps e jogos entre diferentes plataformas, como migração do PC para o celular, um dos objetivos do trio liderado pela MediaTek.

Fora isso, a nota reforça ainda que as próximas gerações da GPU Mali da ARM contará com hardware dedicado para Ray Tracing, algo que a própria empresa já havia revelado durante o anúncio dos novos núcleos Cortex. Não está claro, no entanto, se o suposto Dimensity 2000, que rumores indicam ser mais poderoso que a próxima geração dos rivais Snapdragon, já receberá a novidade.

Samsung e AMD já trabalham para inaugurar o recurso

Vale lembrar que a MediaTek não é a única fabricante de chips a investir em Ray Tracing — a Samsung, em parceria com a AMD, pode ser a primeira a adotar hardware dedicado para o recurso com o aguardado Exynos 2200, cuja GPU é baseada em uma versão adaptada da microarquitetura RDNA 2, presente nos consoles de nova geração e GPUs Radeon RX 6000.

Previsto para estrear junto ao Galaxy S22, o Exynos 2200 promete agitar o mercado e superar rivais como a Qualcomm e até mesmo o A14 Bionic da Apple em desempenho gráfico, voltando a ser uma opção atraente após anos de críticas em virtude do sobreaquecimento e instabilidade de performance.

Fonte: MediaTek, Gizchina

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.