Amazon contrata funcionários do Facebook para o Projeto Kuiper de internet

Por Danielle Cassita | Editado por Patrícia Gnipper | 14 de Julho de 2021 às 13h40
Reprodução/NASA

A Amazon é uma das participantes da atual corrida de constelações de satélites de internet e, para isso, a empresa vem trabalhando no Projeto Kuiper, uma constelação que irá fornecer internet para usuários em todo o mundo. Agora, a Amazon já conta com uma nova equipe para ajudar a avançar o projeto. Em abril, eles contrataram mais de uma dúzia de profissionais do Facebook, especializados em internet via satélite na órbita baixa da Terra. Um representante da empresa fundada por Mark Zuckerberg confirmou a mudança dos funcionários.

Segundo informações vistas no LinkedIn, a nova equipe conta com físicos e engenheiros de hardware e software, com experiência em trabalhar com sistemas aeronáuticos e sem fios. Além disso, o Facebook afirmou que a aquisição de talentos incluiu também propriedades intelectuais desenvolvidas por eles, junto de equipamentos e instalações. Agora, estes profissionais se juntam aos outros 500 que já faziam parte da equipe da Amazon no mês de abril.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

O foguete Atlas V, que será usado nos lançamentos dos satélites da Amazon (Imagem: Reprodução/ULA/Amazon)

A empresa de Zuckerberg vinha trabalhando desde 2016 em uma constelação de internet via satélite, que iria oferecer o serviço a regiões com pouca ou nenhuma conectividade. O projeto foi confirmado em 2018, mas houve diversos problemas em seu desenvolvimento; já no ano passado, foi revelada uma documentação preenchida no fim de 2019, que sugeria que, mesmo com os obstáculos, o Facebook ainda estava empenhado no projeto — mas, por outro lado, a aquisição da Amazon sinaliza agora um fim a esta iniciativa.

Em paralelo, a Amazon já planeja sua constelação de satélites desde 2019, quando revelou que planejava lançar mais de 3 mil satélites para a órbita baixa da Terra até o fim desta década para fornecer conectividade a moradores de regiões sem internet ou que sejam mal atendidos pelo serviço que possuem. A expectativa é lançar metade dos satélites necessários até 2026, e a empresa já tem autorização da Federal Communications Commission, entidade reguladora de telecomunicações nos Estados Unidos, para operar a rede, e também revelou o design das antenas que seus clientes terão que usar para terem acesso à conexão.

Mesmo com estes avanços, ainda falta algum tempo para o serviço chegar ao público, já que a Amazon ainda não lançou nenhum satélite de sua constelação — foram fechados nove lançamentos operados pela United Launch Alliance, mas sem datas definidas. Além disso, vale destacar que há concorrentes avançando cada vez mais nesta corrida: a megaconstelação de satélites Starlink, da SpaceX, já tem mais de 1.700 unidades em órbita e funciona para usuários em algumas regiões; enquanto a OneWeb tem mais de 200 satélites lançados, quantidade suficiente para começar a oferecer os serviços de internet.

Fonte: The Verge, The Information, Business Insider

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.