Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Os 10 melhores heróis da história do cinema

Por| Editado por Jones Oliveira | 21 de Março de 2022 às 20h00

Link copiado!

Warner, Lucasfilm
Warner, Lucasfilm

Existem várias características que definem um bom herói. Seus valores, os desafios que precisa enfrentar, o sacrifício que realiza ou mesmo o fato de ter encarado um vilão icônico — ou seja, é justamente a sua jornada que define o quão memorável vai ser esse personagem.

E não faltam exemplos de grandes heróis do cinema. Sem qualquer exagero, podemos dizer que os filmes nada mais são do que os mitos modernos, onde essas narrativas do herói lendário que vence os obstáculos para se transformar e transformar o mundo à sua volta acontecem. É na tela grande que acompanhamos essas jornadas e nos inspiramos quando vemos essas figuras dando as caras.

Por isso, o Canaltech listou os 10 melhores heróis da história do cinema para mostrar o quão variados esses novos mitos podem ser e como eles ainda podem nos inspirar de formas tão únicas.

Continua após a publicidade

10. Rocky Balboa

Nem todo o herói precisa salvar o mundo. Às vezes, ele pode ser simplesmente a pessoa comum que decide encarar um desafio que parece ser muito maior do que ele consegue aguentar — e pode ser que, no fim, ele nem mesmo saia vitorioso. Ainda assim, é a persistência que marca esse indivíduo heroico e é o que define o nosso amado Rocky Balboa.

O boxeador de Sylvester Stallone começou sua saga nos cinemas sendo justamente esse indivíduo comum sendo um chamado para aventura dentro do mundo do esporte. Desafiado pelo campeão Apollo Creed, ele não queria vencer e se tornar famoso, apenas provar seu valor quando todo mundo o olhava como um perdedor dentro e fora dos ringues.

Pois essa é justamente a principal característica de toda a Jornada do Herói: a transformação do indivíduo. Mais do que mostrar ao mundo quem ele é e verdade, a sua luta foi para que ele próprio entendesse que ele era alguém muito maior do que o simplório que acreditava ser.

É claro que, a partir do segundo filme, a narrativa mudou e vimos Rocky se tornar um verdadeiro campeão e tendo que enfrentar adversários que realmente carregavam a aura do vilão — mas ele nunca deixou de ser o herói de sempre.

9. John Rambo

Continua após a publicidade

Ainda falando de Stallone, não podemos fugir do icônico Rambo. O combatente de faixa vermelha na cabeça e boca torta foi, por muito tempo, a grande representação do imaginário do soldado e de como seria lutar em uma guerra. Ele se tornou um símbolo tão grande que transcendeu o próprio cinema a ponto de muita gente achar que os Estados Unidos venceram a Guerra do Vietnã só com base no que o personagem fazia nos filmes.

Contudo, a verdade é que Rambo é um personagem bem mais complexo do que essa propaganda armamentista que ele acabou se tornando. O primeiro longa, Rambo: Programado Para Matar, traz uma mensagem completamente diferente desta, criticando o modo como os EUA lidaram com quem lutou no país asiático.

Tanto que o filme é muito mais um drama sobre um soldado com estresse pós-traumático que passa a lutar em uma cidadezinha como se ainda estivesse no Vietnã e que é largado pelo exército e tratado apenas como um louco.

Continua após a publicidade

Foi somente a partir de Rambo 2 que ele ganhou uma nova imagem e se tornou a propagando militarista que muita gente imagina até hoje. E, por mais complicada que seja essa abordagem, é impossível não considerar tudo o que ela representou.

8. John McClane

Continua após a publicidade

O cinema de ação dos anos 1980 é o grande responsável por boa parte dos heróis que temos hoje. E, em meio a uma geração inteira de brucutus, temos também o cidadão comum que salva o dia sendo apenas persistente e um tanto quanto maluco, como é o caso de John McClaine.

O protagonista de Duro de Matar não se tornou icônico por ser durão, carregar armas grandiosas e explodir tudo à sua volta. Ao contrário dos seus companheiros da época, o personagem era muito mais astuto do que realmente porradeiro e com uma motivação bem mais mundana. Afinal, o que é mais normal do que encarar terroristas que tentam explodir o prédio em que sua esposa está? Nada é mais insano do que o amor.

Além disso, todo o sarcasmo e cinismo de McClane é o que o torna tão icônico. Com comentários ácidos, respostas engraçadinhas e ótimos bordões, não tem como você ter mais de 30 anos sem ter se admirado com esse herói improvável.

Continua após a publicidade

7. Sarah Connor

Há quem diga que o herói de O Exterminador do Futuro é o próprio Exterminador, mas vamos ser bem sinceros: quem realmente carrega o futuro nas costas é Sarah Connor. Embora seu filho seja visto como o grande salvador da humanidade na guerra contra as máquinas, ele só chegou lá porque a sua mãe se mostrou a grande heroína da resistência antes.

No primeiro filme, ela é só aquela jovem que não entende bem o que está acontecendo e que corre desesperada para lá e para cá para fugir de um T-800 programado para matá-la. Contudo, superado esse susto inicial, ela entende o tamanho da bronca que está por vir e se prepara de um jeito que se torna um ícone. Tanto que, em O Exterminador do Futuro 2, ela já é outra personagem completamente diferente e muito mais poderosa.

Continua após a publicidade

E isso é significativo por uma série de razões. Além da atuação incrível de Linda Hamilton, temos o fato de que Sarah Connor é uma das primeiras protagonistas femininas realmente badass dos cinemas. Em 1991, quando o longa chegou aos cinemas, eram poucas as protagonistas femininas em Hollywood e ela conseguiu o seu lugar nesse panteão com muita facilidade.

6. Homem de Ferro

Continua após a publicidade

Mas não é só de velharia que se faz essa lista — muito embora a primeira aparição do Homem de Ferro no Universo Cinematográfico da Marvel (MCU, na sigla em inglês) já tenha mais de 10 anos.

E é inegável o quanto a chegada do herói mexeu com a indústria como um todo. Quando Homem de Ferro estreou, o personagem era um completo desconhecido do grande público e até mesmo dos fãs de quadrinhos, mas o sucesso foi tão grande e o trabalho do Marvel Studios em costurar seu universo compartilhado foi tão bem pensado que toda Hollywood passou a se espelhar no herói.

Por isso mesmo, de todos os Vingadores, Tony Stark se tornou o grande rosto do estúdio e do cinema de herói como um todo. Ele sempre foi um dos mais populares entre o público e representa toda a revolução que a Marvel proporcionou.

Além disso, ele carrega todas as características que marcam o herói moderno. Embora seja cínico e faça da ironia seu maior charme, ele passa muito bem por essa transformação do indivíduo egoísta e egocêntrico até alguém que está disposto a se sacrificar pelo bem do mundo. É o herói em sua essência.

Continua após a publicidade

5. Batman

Do outro lado da banca de revistas, temos o Batman. O Homem-Morcego está entre os heróis dos quadrinhos mais famosos do mundo e, nos cinemas, já ganhou diversas adaptações — sendo que a mais recente chegou arrancando elogios de todos os lados. É uma popularidade tão grande que conseguiu ofuscar até mesmo o Superman, que sempre foi o ícone do que é ser herói.

Continua após a publicidade

E por mais que ele seja quase uma antítese do Homem de Aço, representando muito mais essa figura de sombra e vingança, o Batman não é um dos heróis mais famosos do mundo por acaso. Toda a sua cruzada contra a criminalidade tem um quê catártico que funciona muito bem — apesar de toda a problemática que carrega — e a ideia de ser um símbolo de esperança em meio à escuridão da violência é algo realmente interessante de se ver.

4. Neo

Continua após a publicidade

Matrix foi um divisor de águas para o cinema e é natural que seu protagonista seja tão emblemático quanto a história da guerra entre a humanidade e as máquinas. E muito do que torna o personagem de Keanu Reeves esse herói emblemático é o quanto ele personifica muitos arquétipos do herói clássico, mas com uma roupagem tão moderna quanto a própria saga Matrix.

Sem se preocupar com sutilezas, a série apresenta Neo justamente como o Escolhido, essa figura messiânica há muito tempo aguardada para trazer a salvação a uma humanidade perdida. Há toda uma conotação religiosa que é escancarada na trama, mas que é muito bem trabalhada no roteiro para fazer que essa estrutura que a gente já conhece tão bem dentro e fora das telas se torne atraente para o público que só quer uma boa pipoca e cenas de ação.

Para isso, as irmãs Wachowski deram a essa imagem clássica uma roupagem cheia de referências da cultura pop, do Superman a elementos de anime, o que faz de Neo um herói bastante único.

3. James Bond

Mas o clássico também tem espaço entre os ícones do cinema — e poucos heróis conseguem carregar esse título tão bem e por tanto tempo quanto o nosso bom e velho James Bons. O agente 007 está aí há mais de 50 anos e já ganhou diversas facetas, se adaptando aos períodos em que foi retratado e mostrando que um bom herói é aquele que consegue sobreviver às mudanças dos tempos em grande estilo.

Por isso mesmo, é difícil dizer de Bond como essa figura sólida e única. Cada atro que viveu o agente adicionou uma nova camada à sua personalidade, enriquecendo sua mitologia e o deixando cada vez mais complexo a cada nova aventura.

Ao mesmo tempo, ele tem algumas características que seguem imutáveis durante todo esse tempo. E é nessa mistura de um charme e um cinismo bastante datado com essas modernizações que reside o verdadeiro valor — e carisma — de Bond, James Bond.

2. Indiana Jones

Quando a gente pensa em aventura, é a imagem de Indiana Jones que vem à mente, mesmo com a franquia não sendo revisitada há alguns bons anos. Isso tudo porque a trilogia original é tão marcante e icônica que nem mesmo esse tempo afastado dos cinemas impediu que o bom e velho Indy fosse esquecido.

Quer uma prova do quanto esse herói é simbólico? Além da figura do explorador de chapéu e chicote ter se tornado sinônimo de aventureiro, a própria trilha sonora da série também passou a embalar toda e qualquer menção histórias do tipo. Isso sem falar que temos toda uma geração de historiadores e arqueólogos que seguiram por esse rumo na tentativa de se tornar um Indiana Jones.

E o mais curioso é que, apesar de ser tão marcante assim, o perosnagem foge bastante da representação clássica do herói. Ele é irônico, com um jeito meio cafajeste e até cara de bad boy, ficando bem longe de ser aquela figura limpa e dourada do herói que a gente idealiza. E é justamente esse jeito meio marrento que o coloca no panteão dos grandes nomes do cinema.

1. Luke Skywalker

Só que não há nenhum herói dos filmes capaz de destronar Luke Skywalker. E há uma boa razão para que o protagonista da saga Star Wars seja o grande sinônimo do que é ser um herói: ele é a mais perfeita representação da Jornada do Herói.

A história do jovem que vive em um planeta distante e que é chamado para uma aventura e acaba se tornando o maior guerreiro da galáxia, derrotando seu próprio pai e derrubando um império do mal é uma versão moderna do monomito, dessa estrutura que a gente acompanha enquanto humanidade desde o princípio dos tempos.

Todos os mitos e lendas que conhecemos nos levam até o jovem Luke e ele incorpora tudo isso de forma incrível. Pode parecer exagero, mas o próprio George Lucas admite isso e pesquisadores que estudam mitologias antigas olham para o maior de todos os Skywalker justamente dessa forma. Em linhas gerais, é quase como se Luke fosse o Teseu de nossa mitologia da cultura pop.

É por essa razão que nos empolgamos toda vez que vemos Mark Hammil empunhar um sabre de luz, seja na trilogia original, com ele mais velho nos filmes mais recentes ou mesmo recriado digitalmente nas séries do Disney+. São 45 anos de uma galáxia muito, muito distante que nos encanta por resgatar imagens que sempre estiveram à nossa volta — e que sempre vão estar.