Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Lenovo prepara versão “Lite” mais leve e barata do Legion Go, diz rumor

Por| Editado por Jones Oliveira | 28 de Maio de 2024 às 09h29

Link copiado!

Ivo Meneghel Jr/Canaltech
Ivo Meneghel Jr/Canaltech
Lenovo Legion Go

Segundo fontes ligadas à Lenovo, a empresa estaria trabalhando em uma versão mais leve e potencialmente mais barata do console portátil Legion Go. Até o momento apelidado de Legion Go Lite (nome não oficial), o modelo seria uma resposta da Lenovo a iniciativa da ASUS em resolver os problemas de projeto com o ROG Ally X, atacando os pontos mais problemáticos do console principal.

A Lenovo não se pronunciou sobre o projeto e, considerando que os rumores são extremamente recentes, é bem pouco provável que vejamos algo sobre um refresh durante o período da Computex 2024, diferente do ROG Ally X que será apresentado oficialmente dia 2 de junho.

Ainda assim, vale lembrar que o Legion Go chegou ao mercado meses após o ROG Ally (2023), e caso os rumores se confirmem, a expectativa é que o modelo Lite siga uma janela de lançamento similar para não competir com o produto mainline.

Continua após a publicidade

O que esperar do Legion Go Lite

Nem de longe o Legion Go é um console ruim, mas entre os três modelos que testamos no Canaltech, ele é, de fato, bem menos portátil que o ROG Ally e o Steam Deck. Isso porque ele conta com uma tela de 8,8”, 30% maior que as de 7” dos concorrentes, deixando o Legion Go bem maior e mais pesado.

Outra funcionalidade extra do Legion Go são os controles Legion TrueStrike destacáveis. Apesar de trazer uma proposta interessante inspirada no Nintendo Switch, diferente dos Joy-cons, os Legion TrueStrike não são totalmente espelhados e não funcionam como controles independentes para modo multijogador local com o console apoiado na mesa, por exemplo.

Dessa forma, seu uso fica restrito apenas para quando o Legion Go está conectado a um monitor externo ou com os assessórios Legion Glasses, que custam quase R$ 3 mil no Brasil. O resultado é um projeto, sim, muito mais completo e com bem menos pontos de falha — na verdade, quase nenhum em nossos testes —, mas naturalmente mais caro.

Tanto por isso, faz total sentido lançar uma versão igualmente competente, mas mais barata, com menos recursos opcionais, e por essa razão mais leve e barata, atacando uma faixa de mercado na qual só temos o Steam Deck e o ROG Ally com chip Z1 mais fraco.

Continua após a publicidade

Fonte: Windows Central