Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Review Pulse Abarth | A prova que tecnologia transforma um carro completamente

Por| Editado por Jones Oliveira | 01 de Julho de 2023 às 15h00

Link copiado!

Review Pulse Abarth | A prova que tecnologia transforma um carro completamente
Review Pulse Abarth | A prova que tecnologia transforma um carro completamente

A Abarth é a divisão esportiva da Fiat e sempre que se propõe a colocar as mãos nos carros compactos da marca, sai coisa muito, mas muito boa. Com o Pulse Abarth, lançado no final de 2022, não foi diferente.

Com muita tecnologia e um trabalho de engenharia dos mais avançados do mercado nacional, a montadora deu ao Fiat Pulse uma vida completamente nova, sobretudo na parte dinâmica.

Mas, mesmo sendo um SUV esportivo (de verdade!), o convívio com o Pulse Abarth pode ser muito interessante mesmo longe de seu habitat natural: as pistas.

Continua após a publicidade

O Canaltech passou um tempo com o Pulse Abarth e vai te contar como foi a experiência.

Conectividade, tecnologia e segurança

O Pulse Abarth se coloca como o modelo topo de gama na linha do Pulse. E, para fazer valer o acréscimo do preço além das melhorias mecânicas, a Fiat tratou de rechear ainda mais o SUV. O lado bom é que o Pulse Abarth não tem opcionais. O que você comprar, vai levar. Sem pegadinhas.

Continua após a publicidade

Internamente, a semelhança com o Fiat Fastback é enorme e um ponto positivo. Sai o freio de mão convencional e entra o eletrônico. Há, também, o acréscimo da função auto-hold, que ajuda em ladeiras e no trânsito em geral.

O pacote de conectividade Fiat Connect Me vem de série no Pulse Abarth, assim como a central multimídia de 10,1 polegadas, que segue sendo uma das melhores — senão a melhor — do mercado entre as marcas generalistas. O espelhamento com Android Auto e Apple CarPlay, é bom lembrar, é sem fio.

Todos os grafismos digitais embutidos no cluster digital e na central foram alterados de modo bem legal com os logotipos e menções à Abarth, passando uma sensação ainda maior de esportividade (sim, essas coisas fazem diferença).

Continua após a publicidade

No campo da segurança, o Pulse Abarth tem as mesmas virtudes e defeitos dos demais modelos da linha, mas com diferenças fundamentais. Não há freios a disco nas quatro rodas, mas os discos dianteiros são bem maiores do que os vistos no Pulse Audace, por exemplo, e afetam o comportamento nas frenagens, algo que falaremos mais adiante.

Infelizmente, há somente quatro airbags e parece que a Fiat não está interessada em colocar as bolsas de cortina tão cedo nesses modelos. Por outro lado, o pacote ADAS está presente de série e engloba o alerta de colisão frontal com detecção de pedestres e ciclistas, frenagem automática de emergência, alerta de saída de faixa com correção e a comutação do farol alto automática. O funcionamento desses recursos segue muito bem calibrado, como vimos no Pulse Audace.

Há, também, detector de fadiga, piloto automático com limitador de velocidade, controles de estabilidade e tração, rebatimento elétrico dos retrovisores externos, sistema ISOFIX, vetorização de torque e frenagem pós-colisão.

Continua após a publicidade

Com essa lista de equipamentos, a Fiat/Abarth acerta em deixar seu produto bem equipado, atraindo consumidores que também vão querer usar o carro para atividades corriqueiras. Fizeram falta os freios a disco nas quatro rodas e os airbags de cortina? Sim. Mas é algo que pode ser corrigido no futuro.

Experiência de Uso e Conforto

O Pulse Abarth foi feito na mesma plataforma dos demais Fiat Pulse, a MLA. Mas não se engane: a versão esportiva não tem nada a ver com as outras. Isso porque foram feitas mudanças estruturais pelo time de engenharia que tornaram esse carro um verdadeiro demônio nas curvas e manobras em velocidade.

Continua após a publicidade

As suspensões trazem mais estabilidade e dirigibilidade com molas e amortecedores até 13% mais firmes. A suspensão dianteira ganhou nova geometria e barra estabilizadora de maior diâmetro disponível para maior estabilidade. Já a traseira tem eixo com maior rigidez à torção (+15%). A rolagem da carroceria ainda ficou 10% menor, o que ajudou a manter a altura elevada.

Na prática, tanto na pista quanto nas ruas, o Pulse Abarth é um carro mais legal de dirigir e, acreditem, consegue trazer conforto mesmo sendo um produto voltado para a performance.

O comportamento pode, facilmente, ser comparado a de um hot hatch, já que suas dimensões favorecem um tipo de dinâmica mais ágil. Entretanto, a grande estrela do Pulse Abarth é o seu conjunto mecânico.

Continua após a publicidade

O tão criticado freio a tambor na traseira dá conta do recado mesmo em situações extremas, já que praticamente todo o esforço é feito com os discos dianteiros, uma sacada interessante da engenharia. As frenagens são muito seguras, mesmo deixando o carro sair mais de frente. Isso, em voltas rápidas, é facilmente detectado. No uso urbano, você nem vai se lembrar disso.

Envenenado

O motor que está no Pulse Abarth é conhecido: o 1.3 turbo da família GSE, que rende 185cv e 27,5 kgf/m de torque, acoplado ao câmbio automático de seis marchas. Esse powertrain já está presente em outros modelos do grupo Stellantis, mas em nenhum recebeu a calibração que vimos no Pulse Abarth.

As modificações extraíram ainda mais performance desse motor, que está com ronco mais proeminente, graças ao novo exaustor, e as trocas de marcha mais rápidas e com giros mais altos, são bem perceptíveis.

Continua após a publicidade

Segundo a Fiat, foram utilizadas técnicas de reprogramação e recalibração para que o motor se comportasse de modo mais agressivo. Isso tudo fica ainda mais evidenciado quando apontamos o botão “Poison”, que seria o modo Sport do Pulse Abarth.

Ao ativar esse modo, o SUV fica mais arisco, com os controles eletrônicos menos invasivos e as trocas de marcha ainda mais rápidas. Tudo isso ajudou esse carro a ser o mais rápido do segmento, com 0 a 100 km/h em apenas 7,6 segundos.

Na cidade, o Pulse Abarth não faz feio e poderia ser seu carro de uso diário sem maiores problemas. Exceção feita ao consumo (7,5 km/l na cidade e 12 km/l na estrada), que é bem elevado para o porte do carro, o acerto de suspensão feito pelo time da Fiat foi excelente e, certamente, pensou naquele cliente que vai querer utilizar o bólido todos os dias e não apenas no track day.

Continua após a publicidade

Falando do conforto, propriamente, não espere muito espaço no Pulse Abarth, assim como nos demais. A distância entre-eixos é de 2,53m e o espaço nos bancos traseiros é apenas razoável. O porta-malas, por sua vez, é de 320 litros, comum para a categoria.

Os itens de conforto e comodidade contemplam os sensores de chuva e crepusculares, chave presencial, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, retrovisor interno eletrocrômico, alarme, ativação do motor pela chave, ar-condicionado digital e automático, direção elétrica progressiva e seletor de marchas no volante.

Continua após a publicidade

Design e Acabamento

O design do Fiat Pulse já agradava bastante, mas o Pulse Abarth conseguiu ficar ainda mais bonito com as pequenas mudanças que a Fiat fez nesse desenho. A dianteira é a mesma do Fastback, com entradas de ar funcionais que ajudam a resfriar os frios e causar menos arrasto.

As rodas, por sua vez, são de aro 17 e muito bem pensadas para a proposta do carro, já que receberam um tom escurecido e com um desenho bem agressivo, diferente das dos outros Pulses.

Continua após a publicidade

Há, também, muitos adesivos no carro e quase nenhuma menção à Fiat em toda a lataria. Mas, se aquele hater de internet vir falar que o seu Pulse Abarth é um “esportivo de adesivo”, use essa análise para dizer que ele está redondamente enganado.

Internamente, o Pulse tomou banho de Abath e tornou tudo ainda mais interessante, com tons mais escuros e o uso do vermelho nos detalhes. Há, também, muita presença do escorpião característico da divisão esportiva.

Os materiais são bons, mas há plástico demais para um carro de R$ 150 mil. Os encaixes mal feitos vistos no Pulse Audace foram consertados no Abarth.

Concorrentes

Se considerarmos a preparação da Abarth para o Pulse, não há no mercado um rival específico desse modelo. Mas, há, no entanto, o VW Polo GTS, que tem desempenho semelhante, embora seja um carro esportivado, e não esportivo. O preço do Volks é de R$ 146.790.

Pulse Abarth: Vale a pena?

O Pulse Abarth é, sem dúvidas, a melhor versão disponível para o SUV compacto. Rápido, bom de dirigir, muito bem equipado e com design agressivo, esse modelo é um esportivo verdadeiro que consegue ser útil para diversão e o uso corriqueiro.

O Pulse Abarth é vendido em todo o Brasil por R$ 149.990.

No Canaltech, o Pulse Abarth foi avaliado graças a uma unidade gentilmente cedida pela Stellantis South America.