Qual a diferença entre carro esportivo e carro esportivado?

Qual a diferença entre carro esportivo e carro esportivado?

Por Paulo Amaral | Editado por Jones Oliveira | 20 de Setembro de 2021 às 19h00
Divulgação/BTS

O que você valoriza mais ao procurar informações sobre um carro: design ou performance? Dependendo da forma como responder a essa pergunta, você já terá dado o primeiro passo para descobrir qual a principal diferença entre um carro esportivado e um esportivo. As nomenclaturas até parecem iguais, mas as semelhanças param por aí.

Para entender melhor o que é necessário para classificar um carro como esportivo ou esportivado, o Canaltech conversou com um especialista no assunto: Batistinha é piloto, preparador e proprietário da BTS Performance, que há mais de 40 anos é referência no mercado de esportivos e superesportivos em São Paulo.

“Um esportivo de fato tem suspensão recalibrada, amortecedores mais firmes. A altura ao solo é mais baixa, o motor tem mais potência, e ele tem adornos aerodinâmicos”, explicou o preparador, enumerando os primeiros pontos para encerrar de vez a discussão.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Confusão existe há tempos

Imagem: Divulgação/Ford

Segundo Batistinha, há um episódio claro em que esportivo foi confundido com esportivado no Brasil envolvendo um carro da Ford, sucesso de vendas nas décadas de 1980 e 1990. “Considero clássico o caso do Escort XR3. Era exatamente a mecânica do normal, só com adorno aerodinâmico”, lembrou.

“A suspensão era um pouquinho diferente, mas não dá para considerá-lo um carro esportivo. Ele era esportivado, até porque, lá fora [do Brasil], o XR3 tinha um motor bem mais potente”, complementou o especialista.

Para quem não se lembra, o Escort XR3 desfilou pelas ruas brasileiras entre 1983 e 1992 e era considerado a versão esportiva do hatch (embora fosse esportivada). O motor do XR3, na época de seu lançamento, era 1.6 de 83 cavalos. As novas versões adotaram o motor 1.8 e a potência chegou a aumentar para até 115 cv.

Muito além do visual

Como adiantado pelo especialista da BTS, as diferenças entre um carro esportivo e um esportivado vão muito além do visual. O carro esportivado, de um modo bem simples, pode ser definido como um modelo “normal”, mas com uma “roupagem” diferente. “Tem muito carro normal que as montadoras acabam fazendo uma faixa e uma roda diferente e chamam de modelo esportivo, mas não é bem assim”, alertou Batistinha.

Uma das marcas no Brasil que atualmente contam com um modelo esportivo, que às vezes é confundido com esportivado, é a Renault, fabricante do Sandero RS. E a própria montadora francesa faz questão de pontuar as diferenças entre um e outro tipo de carro em seu site oficial.

Foto: Felipe Ribeiro/Canaltech

“Ao contrário do esportivo, o esportivado não recebe alterações mecânicas. O que o diferencia das versões comuns são os adereços que lhe são propostos. Por isso ele atende aqueles clientes que não fazem questão de carros mais potentes, mas desejam um visual diferenciado”, explicou. “Para garantir a aparência esportiva, o esportivado é montado com adesivos de série, spoilers ou saias laterais e grades especiais”, completou a marca, que citou o Sandero GT Line como representante desse segmento.

De acordo com os analistas da Renault, o esportivado satisfaz muito bem aqueles clientes que valorizam a aparência esportiva, mas que almejam ter mais economia ao fim do mês com combustível. “É uma ótima opção para quem percorre, prioritariamente, trechos urbanos. Já o esportivo pode atender tanto o desejo estético quanto o anseio pela velocidade e pelo desempenho”, exemplificou.

Sandero RS x Onix RS: quais as diferenças?

Imagem: Divulgação/Chevrolet | Renault

Agora que já explicamos as diferenças principais entre um modelo esportivo e um esportivado, vamos focar em uma briga particular. Ela envolve dois carros de marcas diferentes, mas com o mesmo “sobrenome”. Estamos falando do já citado Sandero RS, da Renault, e do Onix RS, da Chevrolet.

A sigla RS é abreviação da expressão Racing Spirit que, em bom português, significa Espírito de Corrida. E o Renault Sandero RS tem configurações para justificar o sobrenome: segundo a marca francesa, a versão trocou o motor 1.6 da SCe pelo mesmo 2.0 que equipa o Duster. Isso deu ao RS potência de até 150 cavalos a 5.750 rpm quando abastecido com etanol.

Foto: Felipe Ribeiro/Canaltech

As molas, barras estabilizadoras e amortecedores também foram especialmente projetados, ou seja, são diferentes dos encontrados no modelo convencional. O câmbio manual de 6 marchas garante relações curtas e o freio a disco nas 4 rodas é bem maior do que o convencional “para garantir a potência e a estabilidade”, diz a marca.

O esportivo da Renault também possui diferenciações estéticas nas longarinas, nas rodas, no volante, na pedaleira e nos bancos. “Ainda que os gastos com combustível possam ser um pouco maiores, é ideal para quem se divide entre a cidade e a rodovia”, ponderou a montadora francesa.

E o modelo Chevrolet?

O Onix RS, por sua vez, apesar de também carregar o Racing Spirit, parece fazer isso apenas no nome. Lançado para se posicionar entre a versão LTZ e a Premier, o Onix RS não tem qualquer melhoria mecânica que justifique a adoção do rótulo de esportivo. Até o câmbio, que poderia ser manual, para dar mais “agilidade” ao carro, foi mantido na versão automática, de 6 velocidades, igual ao adotado nos “irmãos” da linha.

Esse é o típico caso de um carro que foi esportivado para tentar conquistar uma gama maior de fãs puramente por conta do visual diferenciado. Ele utiliza o mesmo motor 1.0 turbo de três cilindros da variante Premier, com 116 cv de potência e 16,8 kgfm de torque máximo quando abastecido com etanol – 16,3 kgfm se o combustível utilizado for a gasolina.

Imagem: Divulgação/Chevrolet

O design, por sua vez, é realmente mais chamativo do que o das demais versões. O Onix RS conta com para-choques exclusivos, rodas aro 16 na cor preto piano, saia lateral, aerofólio traseiro e grade dianteira em formato de colmeia. Os pneus 195/55 e os faróis com máscara negra complementam o visual do carro que nasceu com nome esportivo, mas é, na verdade, esportivado.

E aí: entendeu as principais diferenças entre um carro esportivo e um esportivado? Então na próxima vez que for procurar por um para comprar, veja bem se seu interesse é somente pelo design ou pelo conjunto visual + desempenho. E, claro, prepare-se para gastar mais caso sua opção seja pelo pacote completo. Um carro esportivo, de fato, chega a custar até duas vezes mais do que uma versão esportivada.

Com informações: Renault

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.