Publicidade

Review Ford Maverick Hybrid | Motor híbrido muda relação com a picape

Por| Editado por Jones Oliveira | 22 de Julho de 2023 às 09h30

Link copiado!

Review Ford Maverick Hybrid | Motor híbrido muda relação com a picape
Review Ford Maverick Hybrid | Motor híbrido muda relação com a picape

Quando chegou ao mercado brasileiro no início de 2022, a Ford Maverick causou um certo frisson, já que era uma picape intermediária (porte de Fiat Toro), mas com o mesmo nome do lendário esportivo que circulou por nossas ruas nos anos 1970 e 1980.

Seu vão-livre do solo mais baixo e o motor 2.0 turbo indicavam que o público que quer carros mais esportivos seria o alvo — e foi realmente o que aconteceu. Entretanto, já cientes de que a versão híbrida chegaria um tempo depois, saberíamos que a disputa entre elas seria interessante.

Continua após a publicidade

A Ford lançou a Ford Maverick Hybrid exatamente com o mesmo preço da versão FX4, por R$ 244.990. E isso deixa a escolha muito na mão do consumidor; embora sejam a mesma carcaça, os comportamentos são bem diferentes e atraem pessoas com olhares bem particulares.

Veja como foi nossa experiência com a nova Ford Maverick Hybrid.

Conectividade, Segurança e Tecnologia

Continua após a publicidade

A Ford Maverick Hybrid traz exatamente o mesmo pacote de equipamentos que vimos na versão FX4, ou seja, os mesmos elogios e críticas serão feitos, porém com ressalvas importantes.

Como foi lançada bem depois da Maverick FX4, a Hybrid poderia ter recebido algumas correções, como o acréscimo de mais equipamentos que consideramos triviais e que não estão aqui, como os sensores de estacionamento e o alerta de ponto cego, coisas que tornariam a vida com ela muito mais agradável.

Apesar das falhas em conteúdo, que abordaremos mais adiante, não dá para dizer que a Maverick Hybrid é “pelada”. Há, ao menos, o alerta de colisão frontal com frenagem de emergência, seis airbags, controles de estabilidade e tração, central multimídia com espelhamento de celulares e o módulo Ford Pass Connect, que agrega funções remotas ao usuário pelo smartphone e permite, por exemplo, realizar a localização em tempo real, além de dar a partida, climatizar o carro e agendar revisões.

Continua após a publicidade

Nos Estados Unidos, é possível incrementar a Ford Maverick com um aparato tecnológico de ponta, que agregaria, além dos itens mencionados, o piloto automático adaptativo, alerta de saída de faixa e até mesmo sensores de estacionamento dianteiros. Caso trouxesse essas opções, ao menos como opcionais, a Ford poderia tornar sua picape intermediária mais atraente do que já é.

Com o uso diário, o motorista até vai se acostumar com essa falta de equipamentos, mas ao olhar concorrentes, principalmente a nova RAM Rampage, a sensação é de que a Ford vai precisar atualizar esse modelo em breve, mesmo com todos os méritos que falaremos a seguir.

Continua após a publicidade

Experiência de uso e Conforto

A Ford Maverick Hybrid brilha mesmo é quando estamos ao volante. Mesmo sendo menos potente do que sua irmã 2.0 turbo de 253cv, a variante elétrica esbanja conforto, precisão e elementos de dirigibilidade que só vimos em sedans e SUVs.

Seu porte é um pouco maior do que de uma Fiat Toro, com 5,11 metros de comprimento. Entretanto, o vão-livre do solo é bem menor do que a rival italiana, com 21,8cm. Somando esse balanço traseiro com uma altura mais baixa, a Maverick se torna um verdadeiro monstro nas curvas e comportamento dinâmico, mesmo sem ter a suspensão independente na traseira (a FX4 tem).

Continua após a publicidade

E se engana quem pensa que o conjunto híbrido torna a Ford Maverick chata. O powertrain é composto pelo motor 2.5 aspirado e a gasolina, com 165cv, aliado a outro elétrico de 128cv. O torque combinado é de 28,5 kgf/m e a potência combinada — e não somada — de 194cv. O câmbio, na variante eletrificada, é um CVT especial para veículos híbridos.

Na prática, temos acelerações muito boas, sobretudo para o uso urbano, já que o motor elétrico atua mais nessas situações de saída de farol e arrancadas. Na estrada, o propulsor elétrico atua mais em cruzeiro, quando deixamos o carro em velocidade constante.

A aceleração de 0 a 100 km/h é feita em 8,7s, bem menos do que os 7,3s da versão 2.0 turbo, mas, mesmo assim, não é ruim. Considerando, também, que esse conjunto privilegia o conforto e o consumo, não dá para reclamar em nada.

Continua após a publicidade

E por falar em consumo, os números impressionaram. As médias na estrada foram de 18,5 km/l e 19,5 km/l na cidade, sempre com gasolina. Ao final dos testes, a média que mostrava no computador era de 14 km/l. Nada mal, considerando que passamos por muitas subidas e aceleradas fortes.

Conforto agrada, mas falhas seguem

A distância entre-eixos da Ford Maverick Hybrid é de 3,07m, algo que ajuda a ter um espaço razoável no interior e, também, favorece uma boa estabilidade, mesmo sem ter, como citamos, a suspensão independente na traseira.

A Maverick Hybrid não é uma picape voltada para o off-road, mas aguenta bem estradas de terra e buracos, mesmo sem o pneu de uso misto e a tração integral, presentes na outra versão da picape. O peso que a ótima caçamba de 943l consegue levar é um ponto negativo: 659kg.

Continua após a publicidade

Os itens de conforto da Maverick Hybrid são os mesmos de sua irmã FX4, ou seja, as críticas e os elogios também serão os mesmos. Há, por exemplo, ar condicionado digital e dual zone, sensores de chuva e crepusculares, acesso por meio de código, chave presencial e câmera de ré, mas faltam o retrovisor interno eletrocrômico, sensores de estacionamento, carregador de celular por indução e espelhamento de celular sem fio.

Design e Acabamento

Continua após a publicidade

O design da Ford Maverick mudou um pouco na versão Hybrid. Agora, há rodas maiores de 18 polegadas e o para-choques perdeu os ganchos de reboque. Aqui, a proposta é ser um carro urbano e ela segue isso à risca.

A identidade visual segue a mesma das demais picapes da marca, como a nova Ranger e a F-150, com uma adição interessante de size impression que ajuda a deixar a picape maior do que ela realmente é.

Já o acabamento é bom, mas poderia ser melhor. Tudo é muito bem encaixado e com aparência agradável, porém o plástico duro domina o ambiente. Depois de conviver com a RAM Rampage, estamos mal acostumados.

Continua após a publicidade

Vale lembrar que o conjunto óptico é inteiramente em LED e há luzes para a caçamba. A porta do compartimento, apesar de leve, não tem amortecedores.

Concorrentes

Considerando o porte da Ford Maverick Hybrid, podemos entender que suas concorrentes são a Fiat Toro, a Renault Oroch, Chevrolet Montana e a recém-lançada RAM Rampage. Mas clientes de picapes maiores podem se interessar também. Os preços dessas rivais variam entre R$ 150 mil e R$ 270 mil.

Continua após a publicidade

Ford Maverick Hybrid: Vale a pena?

A Ford Maverick Hybrid oferece outro tipo de relação quando pensamos na comparação com a versão FX4. Aqui, temos um comportamento mais manso, voltado ao conforto e ao baixo consumo de combustível, características muito bem cumpridas pela caminhonete eletrificada.

Há boa oferta de espaço, estilo, mas os equipamentos que faltam são imperdoáveis.

A escolha, claro, será sua. Mas, para um uso mais urbano, a Maverick Hybrid agrada mais e deve ser uma escolha mais racional.

A Ford Maverick Hybrid pode ser adquirida em todo o Brasil por R$ 244.990.

No Canaltech, a Ford Maverick Hybrid foi avaliada graças a uma unidade gentilmente cedida pela Ford do Brasil.