Review Ford Maverick 2022 | Poder e estilo na dose certa, mas com alto preço

Por Felipe Ribeiro | Editado por Jones Oliveira | 24 de Abril de 2022 às 09h30
Felipe Ribeiro/ Canaltech

Lançada no final de 2021, a Ford Maverick foi projetada para atingir um novo nicho dentro do competitivo mercado de picapes intermediárias nos Estados Unidos, com modelos menores que Ford Ranger e Toyota Hilux, mas maiores do que Fiat Strada e Volkswagen Saveiro.

Aqui no Brasil, esse segmento é dominado há anos pela Fiat Toro, que vê as montadoras tentarem compensar o sucesso desse modelo de diferentes maneiras, mas sem, de fato, lançar um produto que seja realmente competitivo para enfrentar a caminhonete italiana.

Com isso em mente, a Ford, se aproveitando do crescimento desse segmento nos EUA e percebendo que o Brasil precisava de um novo produto dentro do nicho, resolveu trazer a Ford Maverick Lariat, versão mais completa da picape e que deve competir com as variantes mais caras da Toro.

A Ford Maverick, no geral, é um carro melhor do que a Toro, mas tem alguns detalhes que podem fazer com que ela não chegue nem perto das vendas da concorrente italiana. Os principais? Preço e equipamentos ausentes.

Ford Maverick 2022 (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

Prós

  • Desempenho
  • Consumo
  • Design
  • Espaço da caçamba
  • Segurança

Contras

  • Espaço interno
  • Falta absurda de equipamentos
  • Capacidade de carga
  • Preço
  • Ausência de versão diesel

Conectividade e Segurança

A Ford Maverick é um carro muito bem equipado quando pensamos em segurança, mas sentimos falta de alguns itens, principalmente quando comparamos com seu irmão de linha, o SUV Ford Bronco, que é muito completo e tecnológico.

De série, a Maverick vem com bons alertas de segurança, como o de colisão frontal e a frenagem automática de emergência, mas por ser uma picape de mais de R$ 230 mil, sentimos falta do sensor de ponto cego e do piloto automático adaptativo, itens que seriam de suma importância para o dia a dia.

Central multimídia Sync 3 é conhecida de outros modelos da Ford (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

Em compensação, são sete airbags de série, sistema de partida em rampa e aclives, controles de estabilidade e tração, freio a disco nas quatro rodas e preparação para reboque.

Já em termos de conectividade, a Ford Maverick oferece a mesma central multimídia vista no Bronco, com 8 polegadas e espelhamento de celular. Há, também, o Ford Pass, que garante comandos remotos por meio do telefone e monitoramento do veículo.

Maverick é menos equipada do que deveria (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

Levando em conta o alto preço da picape, que custa quase o mesmo de sua irmã maior, a Ranger, sentimos falta dos equipamentos citados acima, além de outros que falaremos mais adiante. Entretanto, não dá para não considerar a Maverick um produto moderno e alinhado com o que o mercado pede.

Conforto e Experiência de Uso

O verdadeiro brilho da Ford Maverick é seu desempenho. A versão Lariat, que é uma espécie de “pacote Brasil” da picape, traz o excelente motor 2.0 turbo Ecoboost a gasolina, que entrega 253cv e 39,7 kgf/m de torque, suficientes para fazer a caminhonete ir de 0 a 100 km/h em apenas 7,2 segundos. O consumo ficou na casa dos 6,3 km/l na cidade e 10 km/l na estrada em nossos testes.

Além disso, por ser uma picape monobloco, ou seja, feita em chassi de carro convencional ou SUV, a Maverick tem conforto acima da média para caminhonetes, bem parecido com o que vimos na Toro. A vantagem em relação à italiana, claro, é o desempenho digno de esportivo.

Perfil mais baixo da Maverick garante boa dirigibilidade (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

Há, claro, a tração nas quatro rodas, que é sob demanda, mas sentimos falta de um apelo mais off-road, mesmo equipada com pneus de uso misto. A capacidade de carga também é diminuta, com apenas 617kgs, muito menos do que as versões a diesel da Toro, que levam 1 tonelada.

Mesmo com todos esses predicados, algumas coisas nos incomodaram na experiência com a Maverick. A ausência de itens como sensores de estacionamento, retrovisor interno eletrocrômico e, o mais grave, a capota marítima, tornaram a vida com ela menos agradável do que poderia ser.

É bem verdade que tudo isso pode ser colocado na picape, mas pelo preço pago por ela, já deveriam estar lá. A Ford pode e deve corrigir isso o quanto antes.

Espaço interno da picape da Ford não é dos melhores (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

A Ford Maverick também deixa um pouco a desejar em espaço interno, trazendo espaço similar à Toro — mesmo sendo um pouco maior. De todo modo, dois adultos e uma criança vão bem na fileira traseira.

Os itens de conforto são contemplados pelo ar-condicionado dual zone e automático, entradas USB, sensores crepuscular e de chuva, sistema de som de alta qualidade, direção elétrica progressiva, banco do motorista com ajustes elétricos, luz de caçamba, auto-hold, teto solar e bancos em couro.

Tamanho da caçamba agrada, mas capacidade de carga, não (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

"A Ford Maverick honra o nome do muscle car e traz desempenho excelente, digno de esportivo"

— Felipe Ribeiro

Design e Acabamento

Outro ponto de destaque da Ford Maverick é seu design. Não foram poucas as vezes em que percebemos os olhares para a picape, que realmente chama a atenção, mesmo com cores que não sejam essa amarela da unidade em que testamos.

O conjunto óptico é inteiramente em LED e a grade frontal lembra muito a da picape grande F-150. Seu perfil de carroceria mais baixo também passa um ar de esportividade, além de ajudar na dirigibilidade. A caçamba, por sua vez, tem ótimo espaço, com bons 943 litros.

Sobra estilo para a Ford Maverick (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

O acabamento, como da maioria das picapes, é inteiramente em plástico duro, mas de boa qualidade. Isso, porém, não pode ser considerado um ponto positivo, já que o produto tem como objetivo passar um ar mais premium e de exclusividade. As rodas são em aro 18, sempre com pintura preta.

Apesar disso, sobra estilo na Maverick por dentro e por fora.

Interior da Maverick agrada, mas sobra plástico duro (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

Concorrentes

As concorrentes diretas da Ford Maverick são as versões mais caras da Fiat Toro, que custam entre R$ 190 mil e R$ 220 mil. Clientes da Renault Oroch e das versões turboflex da picape italiana também podem se interessar.

Ford Maverick 2022? Vale a pena?

De modo geral, a Ford Maverick é um baita carro e vale muito a pena, mesmo com a falta de alguns equipamentos que comprometem um pouco a experiência com a picape. Ágil, estilosa e segura, poderia fazer sucesso se custasse um pouco menos.

A Ford Maverick 2022 é vendida em versão única no Brasil, a Lariat, com preço a partir R$ 237 mil.

No Canaltech, a Ford Maverick 2022 foi testada graças a uma unidade gentilmente cedida pela Ford Brasil.