Review Philips 50PUG7625 | Uma boa TV de entrada

Review Philips 50PUG7625 | Uma boa TV de entrada

Por Jucyber | Editado por Léo Müller | 14 de Setembro de 2021 às 14h07
Ivo/Canaltech

A Philips sempre se destacou no mercado de TVs de tubo aqui no Brasil. Porém, demorou um pouco para essa relevância alcançar as smart TVs da marca. Com o lançamento da Philips 50PUG7625, vemos a empresa empenhada em voltar a ser uma das referências positivas da categoria.

Focando no mercado de televisores com bom custo-benefício e resolução 4K, esse produto da série 7600 traz diversos diferenciais interessantes por um preço justo.

Está interessado em saber mais sobre esses recursos? Então, confira a minha opinião na análise completa.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Prós

  • Poucas bordas ao redor da tela;
  • Volume alto e tecnologia Dolby Atmos;
  • Teclas numéricas no controle remoto;

Contras

  • • Traseira sem organizador de cabos;
  • • Controle grande e com aspecto pouco durável;
  • • Tons mais escuros puxam para o verde ao invés do preto.

Confira o preço atual da smart TV Philips 50PUG7625

Construção e design

À primeira vista, a Philips 50PUG7625 traz um aspecto visual muito positivo por não ter muitas bordas no topo e nas laterais. Em contrapartida, a parte inferior segue o formato padrão — um pouco mais espesso —, mas isso se deve a impressão da logo da Philips nessa região.

  • Dimensões (L x P x A): 111,3 x 8,7 x 64,7 cm;
  • Peso: 11,34 kg.

A Philips 50PUG7625 chama a atenção de quem está em busca de uma smart TV bonita e com preço atrativo. O aspecto premium da parte frontal dá um diferencial positivo na categoria dessa TV.

Algo que me incomodou bastante nessa televisão foi a brecha entre a borda e o vidro da tela, pois esse espaço desnecessário facilita a entrada de sujeiras nas laterais. Enquanto removia a TV da caixa, foi possível notar que partículas de isopor se fixaram na fenda.

Durante o uso contínuo, provavelmente esse local ajudará a acumular poeira no equipamento, e a limpeza não é fácil de ser feita, o que exigirá paciência e cuidado na hora da faxina rotineira.

Mesmo que a parte frontal seja interessante em seu conjunto geral, e isso garanta um aspecto mais premium no primeiro contato com a TV, a traseira não acompanha esse design mais limpo.

O espaço entre a tela e as bordas da Philips 50PUG7625 é um grande ponto negativo (Imagem: Ivo/Canaltech)

O verso da Philips 50PUG7625, em sua parte inferior, tem uma protuberância que a deixa exageradamente grossa. Parece que a empresa não conseguiu alcançar o mesmo patamar de espessura mais fina das concorrentes.

Na base, a Philips disponibilizou dois pés de alumínio, com instalação perpendicular. Eles são parafusados na TV. Fabricantes como a Samsung, por exemplo, permitem a fixação sem parafusos, apenas por encaixe.

E por falar na estabilização da Philips 50PUG7625, a empresa também disponibiliza quatro entradas na parte traseira que ajudam a prender a smart TV em suportes ou painéis aplicados na parede.

Controle remoto

O controle remoto da Philips 50PUG7625 possui diversos botões para os usuários aproveitarem os recursos da televisão, sendo 45 no total. Uma vantagem desse acessório está relacionada com a presença das teclas numéricas, uma opção que ajuda a controlar melhor a navegação entre os diversos canais alcançados via sinal digital.

Esse controle é leve, porém ele é muito grande e me desagrada em seu aspecto visual. Isso porque ele é construído em plástico que dá uma aparência de fragilidade maior do que o esperado para uma TV dessa categoria. O material inferior utilizado nele o deixa visualmente compatível com um controle universal de baixo custo.

Uma vantagem desse acessório é a presença de atalhos para a Netflix e YouTube. Mesmo que seja pouco em relação ao que é visto em controles de dispositivos de streaming, ainda é suficiente para grande parte do público. O controle possui como opção de energia duas pilhas AAA — aquela mais fina, também chamada de palito —, que garante fácil instalação e uma boa autonomia.

Conectividade

Quando se trata de conexões, a Philips 50PUG7625 possui uma quantidade considerável de entradas, pois disponibiliza três no formato HDMI. O diferencial dessas portas é o sistema de proteção HDCP 2.3, no qual é criada uma barreira para evitar a gravação de conteúdos para fins de pirataria.

Mesmo proporcionando essa vantagem aos usuários que são contra o consumo de conteúdos falsificados, é preciso ter atenção na compra de equipamentos compatíveis. Isso porque existe a possibilidade de um aparelho apresentar erro quando for conectado, como é o caso de leitores Blu-ray mais antigos.

A Phlips 50PUG7625 possui diversas conexões (Imagem: Ivo/Canaltech)

Outras opções de conexão estão disponíveis nessa TV, como as duas entradas USB-A 2.0 e 3.0, além de espaço para uso da internet via cabo, RF para antena, áudio L/R e uma 3,5 mm para fones de ouvido.

Entre as conexões sem fio, a Philips 50PUG7625 traz como opção o Bluetooth 4.2, possibilitando a sincronização com diversos equipamentos compatíveis, incluindo as lâmpadas inteligentes da linha Philips Hue, pertencente à marca.

Já o WiFi é de 2,4 GHz, e essa opção de rede sem fio é um retrocesso em relação ao que estava disponível no modelo do ano passado, que era dual band, com a presença de bandas de 2,4 GHz e 5,0 GHz.

Sistema operacional

O principal diferencial da Philips 50PUG7625 é a criação de uma via adicional de sistema operacional, e isso ajuda o público a ter alternativas atrativas no momento de realizar a compra da smart TV nova.

Esse modelo tem a interface Saphi, que foi desenvolvida com base no Linux, e as limitações de aplicativos lembram bastante o sistema de código aberto para PC. Quem gosta de assistir conteúdos em streaming terá uma grande decepção ao entrar no menu dessa TV.

Infelizmente a Philips 50PUG7625 não possui muitas opções de serviços, limitando-se ao Amazon Prime Video, Netflix, Globoplay e YouTube. Na prática, isso quer dizer que os usuários mais focados nesse formato de conteúdo on demand terão o uso limitado, pois aplicativos que estão crescendo em base de assinantes no Brasil não estão presentes, como Disney+, HBO Max, Star+ e Apple TV+.

Os aplicativos são divididos por categoria, com diversas opções que são mais populares fora do Brasil, e isso demonstra uma falta de cuidado da empresa em personalizar o sistema por região. Em contrapartida, essa TV se mostra preparada para atender às necessidades de crianças, pois a Philips disponibiliza uma biblioteca atrativa aos pequenos usuários.

Existem diversas opções de apps voltados para o público infantil. Porém, é importante destacar que esses aplicativos não são relacionados aos grandes players desse mercado, como “Galinha Pintadinha”, “Pinkfong Baby Shark”, “Mundo Bita” e “Bob Zoom”.

O sistema Saphi exige um pouco de paciência do usuário (Imagem: Ivo/Canaltech)

O Saphi traz diversos atalhos para facilitar o acesso aos recursos presentes na TV. Entretanto, a organização desse painel atrapalha no dia a dia, pois algumas opções que deveriam ser intuitivas acabam ficando escondidas. Isso faz com que o usuário passe mais tempo apertando botões e menos vendo TV.

As entradas HDMI, por exemplo, se mantém na posição nativa, mesmo quando só uma delas está em uso. Isso torna a navegabilidade mais lenta, pois é preciso ter paciência para entrar na opção desejada e acessar o dispositivo conectado.
Outro defeito dessa interface é que existem mais atalhos do que o necessário, e isso deixa os menus extremamente poluídos de opções que não são primordiais no uso contínuo, demonstrando um exagero da Philips.

Dessa forma, o usuário perderá muitas horas alternando entre os recursos para encontrar as opções desejadas com maior facilidade. É uma curva de aprendizagem desnecessária, já que a Philips 50PUG7625 foi desenvolvida com o propósito de entregar um sistema simples. Talvez algo como o sistema Roku fosse mais adequado a essa proposta.

Mesmo com esse ponto negativo adicional, é notório que o Saphi traz algumas vantagens embutidas, como a fluidez no acesso a diversos recursos. A troca rápida entre os aplicativos acessados nos atalhos do controle chama a atenção, sem contar que os menus mais avançados são completos em funcionalidades.

Tela

A Philips 50PUG7625 traz tela de 50 polegadas — ela também tem opções maiores, como 55 e 70 polegadas — com resolução 4K e painel DLED. Esse formato de display — que também é conhecido como Direct LED —, permite que as luzes do visor se acendam por zonas, focando em não prejudicar a visibilidade do contraste da maneira correta.

Mas, é importante destacar que isso não influencia na qualidade final da imagem, que depende de outros fatores. Durante os testes práticos, foi perceptível que as configurações padrão da tela estavam influenciando na coloração, revelando que o preto estava mais direcionado para o verde escuro.

Por este motivo, a visibilidade de conteúdos que exploram os tons mais escuros será diferente do esperado, pois a configuração padrão da TV não dá uma experiência favorável nesse quesito.

Um recurso aplicado pela Philips com o intuito de ajudar a melhorar o aspecto visual é o Dolby Vision. Porém, o resultado fica abaixo das expectativas. As imagens até possuem um bom equilíbrio de cores, mas é preciso ter um pouco de paciência para realizar os ajustes necessários.

A tela 4K da Philips 50PUG7625 tem qualidade abaixo do esperado (Imagem: Ivo/Canaltech)

Assim que você liga a TV, à primeira vista, as configurações não serão agradáveis aos olhos. Por isso é importante acessar os menus avançados para “lapidar” a imagem. O fato de a Philips prometer cores mais vívidas atrapalha a experiência de uso, porque o contraste fica muito forte, e a redução dessa opção, ou até mesmo a mudança no modo de exibição, é a melhor solução.

Mesmo que a resolução seja 4K, não existem muitos diferenciais nessa qualidade para a Philips 50PUG7625. Para “forçar” uma entrega melhor nessa opção, é preciso ajustar a nitidez quase no nível máximo permitido.

Para assistir a filmes e séries, quem não é muito exigente conseguirá ter uma experiência mediana. Entretanto, em jogos é melhor ajustar a resolução dos games para 1080p em benefício da definição maior da imagem.

Sistema de som

Um destaque positivo da smart TV Philips 50PUG7625 está relacionado ao som. Ela tem dois com dois alto-falantes estéreo de 10 W na parte traseira que entregam um áudio interessante para o uso contínuo.

A empresa também adicionou o Dolby Atmos a este aparelho. A presença desse recurso não é um grande diferencial pelo fato de ser facilmente visto em televisores nessa faixa de preço, mas ajuda a dar um refinamento maior ao áudio.

Além dos alto-falantes, a Philips PUG7625 tem conexões para outros dispositivos de áudio (Imagem: Ivo/Canaltech)

Os graves são bem definidos e os agudos agradáveis aos ouvidos. O volume geral é regular, e é possível detectar um leve chiado ao colocar o som em níveis acima de 70%. Não é nada que atrapalhe a experiência diária, já que o áudio ficará abaixo disso na maioria das vezes, mas é importante você estar ciente desse problema.

O som da Philips 50PUG7625 se demonstra interessante para quem está em busca de uma boa smart TV de entrada, pois ele consegue atender bem às expectativas de quem não é extremamente exigente nesse departamento.

Concorrentes diretos

Por ser uma smart TV 4K de entrada, a Philips 50PUG7625 possui algumas concorrentes que chamam a atenção pelos diferenciais que possuem. Uma delas é a Semp SK8300, que tem o Android TV como sistema integrado, e isso dá a oportunidade de o usuário aproveitar diversas opções de aplicativos compatíveis, principalmente com foco em streaming.

Outra característica importante é a compatibilidade com o Google Assistente, permitindo o uso de diversos comandos por voz para conectar a TV com outros aparelhos com suporte ao sistema do Google. Isso flexibiliza o uso e ajuda a aproveitar melhor o ecossistema da gigante das buscas.

A TCL QLED C715 também é outra concorrente à altura. Assim como o modelo da Semp, ela também traz o sistema operacional Android TV, e entrega mais opções de recursos e serviços para o uso diário.

Porém, a tela da TV TCL perde em qualidade geral para a da Philips, mesmo que as duas tenha a resolução 4K. O nível de contrastes da Philips 50PUG7625 é um pouco melhor, mas a desvantagem é ter que lidar com as configurações de imagem do Saphi para aproveitar essa característica.

A TCL QLED C715 é a principal concorrente da Phlips 50PUG7625 (Imagem: Ivo/Canaltech)

Conclusão

A Philips 50PUG7625 vale a pena para quem quer uma smart TV de entrada. O foco dela é o custo-benefício e por isso se enquadra entre os modelos que custam até R$ 2.300. Esse preço é aceitável para os recursos que ela entrega, e por ser uma TV 4K.

O sistema operacional Saphi é uma desvantagem, pois existem poucas opções de aplicativos de streaming populares no Brasil, e isso faz o usuário ficar “refém” de dispositivos adicionais para ter uma experiência de uso melhor, como o Fire TV Stick ou Chromecast.

Essa TV da Série 7600 seria muito melhor se a Philips optasse por um sistema mais completo, como o Android TV, que é utilizado por outras marcas em seus televisores 4K de entrada. Um diferencial positivo é a compatibilidade com outros produtos da Philips, como as lâmpadas Hue, que podem ser uma vantagem para quem busca esse tipo de integração.

Sendo assim, caso a TV atenda às suas necessidades e esteja com um valor atrativo, é uma boa opção de compra para o uso no dia a dia. Se você sente que vai precisar de algo além do que ela pode entregar, é melhor optar pela TCL C715.

Gostou da Philips 50PUG7625? Então, confira a oferta que separamos para você no link abaixo:

Se preferir a alternativa da TCL, confira o link com a TV em oferta abaixo:

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.