Publicidade

Samsung fornecerá chips de 3 nanômetros para Nvidia, Qualcomm, Baidu e IBM

Por| Editado por Wallace Moté | 25 de Novembro de 2022 às 21h30

Link copiado!

Imagem: Divulgação/Samsung
Imagem: Divulgação/Samsung
Tudo sobre Samsung

O grande investimento da Samsung em produzir processadores com nó de 3 nanômetros tem dado resultados promissores e atraído parceiras de todo o mundo. Segundo informações do Ther Korea Economic Daily, marcas como Nvidia, Qualcomm, IBM e Baidu estariam interessadas na Samsung para a produção de seus futuros chips.

A tecnologia de 3 nm da Samsung seria utilizada para diferentes componentes de processamento. A Nvidia quer focar em placas gráficas (GPUs), enquanto a IBM em processadores (CPUs) para PC, a Qualcomm em processadores para smartphones e a Baidu em processadores de inteligência artificial para data center.

Ainda segundo informações do Korea Economic Daily, a gigante sul-coreana já está desenvolvendo processadores avançados ao lado de cinco grandes clientes para fornecimento em grandes quantidades já no início de 2024.

Continua após a publicidade

Segundo a Samsung, sua nova tecnologia de fabricação em 3 nanômetros resultará em 23% mais performance e 45% mais eficiência energética que a tecnologia de 5 nanômetros.

Com estes grandes contratos sendo firmados, a Samsung se consolida ainda mais como competidora da Taiwan Semiconductor Manufacturing Co. (TSMC) — que produz o recém-anunciado Snapdragon 8 Gen 2 para Qualcomm e tem sido parceira de longa data da Apple para chips de iPhones e Macs.

A TSMC sofre com os embates políticos entre Estados Unidos e China e com o objetivo de ambos os países em ter domínio sobre a ilha de Taiwan. Por isso, várias fabricantes de smartphones têm preferido a produção de chips fora da ilha para maior garantia de estabilidade de fornecimento, e assim a Samsung tem ganhado interesse.

O Canaltech está no WhatsApp!Entre no canal e acompanhe notícias e dicas de tecnologia

No início do ano a Intel revelou planos de construir fábrica de R$ 100 bilhões para manter a produção de chips em solo estadunidense e evitar grande dependência estrangeira.

Fonte: The Korea Economic Daily