Moto G100 vs Galaxy S21: qual é o melhor topo de linha básico?

Moto G100 vs Galaxy S21: qual é o melhor topo de linha básico?

Por Renan da Silva Dores | Editado por Wallace Moté | 09 de Maio de 2021 às 17h00
Divulgação/Samsung e Motorola

Oficializado no final de março, como parte da grande reestruturação sofrida pela linha, o Moto G100 é hoje o dispositivo mais poderoso da Motorola, ao menos quando falamos em performance pura. O celular é o primeiro da linha Moto G a vir equipado com um chipset da série Snapdragon 800 e consegue rivalizar com smartphones mais caros, graças ao enorme custo-benefício que oferece.

Mas será que o preço mais acessível do Moto G100 é o suficiente para fazer dele uma opção boa para entusiastas que procuram por topos de linha básicos? Para tirar isso a limpo, o Canaltech colocou o poderoso telefone da Motorola para encarar o Galaxy S21, opção mais básica entre os melhores aparelhos da Samsung, para descobrirmos o quão bem o novo Moto G se sai contra um flagship mais completo.

Design

Apesar da aparência mais refinada do celular da Samsung, ambos compartilham de construção semelhante. O Moto G100 conta com tela ampla e bordas relativamente finas, optando por furos no display para abrigar as duas câmeras frontais. Laterais e traseira são feitas em plástico, com um acabamento especial brilhante que reflete diferentes cores de acordo com o ângulo de incidência da luz.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Moto G100 nas cores Luminous Ocean e Luminous Sky (Imagem: Divulgação/Motorola)

O logo da Motorola é centralizado e discreto, gravado nas mesmas cores do painel traseiro, enquanto os quatro sensores de câmera são acomodados em um módulo de câmeras modesto, no canto superior esquerdo, com o flash de LED e um microfone logo abaixo das lentes. O dispositivo chegou ao mercado nas cores Luminous Sky (branco perolado) e Luminous Ocean (misto de azul e roxo).

O Galaxy S21 fugiu da filosofia de seus antecessores (e de seus irmãos mais caros) ao adotar construção mais simples, ainda que o visual elegante tenha permanecido. Assim como os modelos maiores, a tela plana ocupa quase toda a área frontal, apresentando bordas bastante finas em todos os lados e um furo centralizado para a câmera frontal. As laterais são de alumínio, mas o painel traseiro é feito de plástico, com acabamento fosco.

Galaxy S21 nas cores Phantom White, Phantom Pink, Phantom Violet e Phantom Grey (Imagem: Divulgação/Samsung)

Há apenas o logo da Samsung gravado na base da tampa, com o módulo de câmeras diferenciado da linha S21, integrado à armação de alumínio, alinhado no canto superior esquerdo com as três câmeras do celular e o flash de LED logo ao lado. O Galaxy S21 chegou ao mercado nas cores Phantom Grey (cinza), Phantom White (branco), Phantom Violet (violeta com detalhes em bronze) e Phantom Pink (rosa).

Tela

  • Motorola Moto G100: IPS LCD de 6,7 polegadas, 21:9, resolução Full HD+ de 2400 x 1080 pixels, taxa de atualização de 90 Hz, 560 nits
  • Samsung Galaxy S21: Dynamic AMOLED 2X de 6,2 polegadas, 20:9, resolução Full HD+ de 2400 x 1080 pixels, taxa de atualização de 120 Hz, HDR10+, 1.300 nits

A Samsung é inegavelmente a campeã da batalha quando falamos em tela. Seguindo o foco em oferecer elevado custo-benefício, o celular da Motorola é equipado com um display IPS LCD de 6,7 polegadas em proporção 21:9, com resolução Full HD+ de 2400 x 1080 pixels, taxa de atualização de 90 Hz e brilho máximo de 560 nits. As configurações são respeitáveis levando em conta a proposta do aparelho e a sensação de fluidez que proporciona.

O painel Dynamic AMOLED 2X mostra grande superioridade frente ao display IPS do Moto G100 (Imagem: Reprodução/Tom's Guide)

No entanto, o Galaxy S21 emprega um dos melhores displays da gigante sul-coreana: trata-se de um Dynamic AMOLED 2X de 6,2 polegadas em proporção 20:9, com resolução Full HD+ de 2400 x 1080 pixels, taxa de atualização de 120 Hz, compatibilidade com reprodução de conteúdo em HDR10+ e brilho máximo de 1.300 nits. As especificações entregam contraste muito superior, maior fidelidade de cores e brilho significativamente mais alto, excelente mesmo em ambientes externos.

Câmeras

  • Motorola Moto G100: 64 MP (Principal, f/1.7) + 16 MP (Ultra wide, f/2.2, 117º) + 2 MP (Profundidade, f/2.4) + ToF 3D (Profundidade)
  • Samsung Galaxy S21: 12 MP (Principal, f/1.8) + 64 MP (Telefoto, f/2.0, zoom óptico de 1,1x) + 12 MP (Ultra wide, f/2.2, 120º)

Os aparelhos se equilibram no quesito de câmeras, com especificações semelhantes, mas o pós-processamento acaba entregando vantagens para o dispositivo sul-coreano. O Moto G100 traz câmera frontal dupla com sensor principal de 16 MP e ultra wide de 8 MP com campo de visão de 118º, além de três câmeras traseiras com sensor principal de 64 MP, ultra wide de 16 MP com campo de visão de 117º, sensor auxiliar de profundidade de 2 MP e sensor ToF 3D, também para profundidade.

O celular da Motorola é mais versátil em selfies e entrega bom desempenho em cenários bem iluminados, mas sofre para capturas em baixa luz. Cenário semelhante acontece em vídeos, que entregam boa qualidade no geral, mas acabam prejudicados pela ausência de um software mais robusto para tratamento da imagem.

Apesar das similaridades em hardware, as câmeras do Galaxy S21 se destacam por contar com melhor pós-processamento (Imagem: Sarah Tew/CNET)

Do lado da Samsung, o Galaxy S21 tem câmera frontal de 10 MP, acompanhada de três lentes traseiras com sensor principal de 12 MP, ultra wide de 12 MP com campo de visão de 120º e telefoto de 64 MP com zoom óptico de 1,1x e híbrido de 3x. Com configurações ligeiramente mais robustas, acompanhado de software mais bem otimizado, o S21 entrega resultados mais consistentes, especialmente em cenários noturnos.

Além disso, o celular sul-coreano se destaca por oferecer um número maior de modos extras, que incluem funções especiais como o modo diretor, que permite o gerenciamento de todas as câmeras simultaneamente, e o Single Take, que tira fotos e grava vídeos e GIFs por um período automaticamente.

Processamento e memória

  • Motorola Moto G100: Qualcomm Snapdragon 870 (1x 3,2 GHz Kryo 585 + 3x 2,42 GHz Kryo 585 + 4x 1,80 GHz Kryo 585)
  • Samsung Galaxy S21: Qualcomm Snapdragon 888 (1x 2,84 GHz Kryo 680 + 3x 2,42 GHz Kryo 680 + 4x 1,8 GHz Kryo 680) ou Samsung Exynos 2100 (1x 2,9 GHz Cortex-X1 + 3x 2,8 GHz Cortex-A78 + 4x 2,2GHz Cortex-A55)

Se na teoria o Galaxy S21 é o mais potente, a prática é mais complicada do que se espera. O Moto G100 foi o primeiro celular da linha intermediária da Motorola a chegar ao mercado equipado com um chipset da família Snapdragon 800 da Qualcomm, mais especificamente o Snapdragon 870.

O componente, que é basicamente uma versão turbinada do Snapdragon 865+, tem oito núcleos, sendo um Kryo 585 Prime (Cortex-A77) de altíssimo desempenho rodando a 3,2 GHz, dois núcleos Kryo 585 Gold (Cortex-A77) de alto desempenho com velocidade de 2,42 GHz e quatro núcleos Kryo 585 Silver (Cortex-A55) com clocks de 1,8 GHz. Há ainda 8 GB ou 12 GB de RAM e 128 GB ou 256GB de armazenamento.

Assim como seus antecessores, o Galaxy S21 chegou ao mercado em duas versões: uma com Snapdragon 888, para EUA e China, e outra global, que atende ao Brasil, com Exynos 2100.

O Snapdragon 870 pode ser a opção mais interessante para a maioria dos consumidores devido ao alto desempenho e maior estabilidade que oferece (Imagem: Divulgação/Motorola)

Ambos são as soluções mais poderosas do mundo Android e trazem fortes semelhanças em configuração, contando com um núcleo prime Cortex-X1, três núcleos de alto desempenho Cortex-A78 e quatro núcleos de baixo consumo Cortex-A55. Os chips são acompanhados de 8 GB de RAM e 128 GB ou 256 GB de armazenamento.

Na prática, ainda que haja vantagem para os chips utilizados no Galaxy S21, as diferenças não são tão gritantes. A nova geração de processadores é mais eficiente e consegue oferecer mais performance em cenários de maior exigência, mas sofre com aquecimento, algo ainda mais pronunciado no Exynos 2100, que apresenta instabilidades em tarefas prolongadas.

No fim das contas, os dois chips perdem desempenho e acabam se aproximando do Snapdragon 870, opção mais estável e melhor otimizada, podendo ser uma escolha mais acertada para a maioria dos usuários

Bateria

  • Motorola Moto G100: 5.000 mAh com carregamento rápido de 20 W
  • Samsung Galaxy S21: 4.000 mAh com carregamento rápido de 25 W

Em bateria, cada modelo apresenta uma vantagem. O Moto G100 sai na frente quando falamos em capacidade, contando com célula de 5.000 mAh, enquanto o Galaxy S21 oferece mais modestos 4.000 mAh. Em carregamento, no entanto, a Samsung toma a liderança, oferecendo recarga rápida de até 25 W, contra apenas 20 W do rival da Motorola.

Recursos extras

Em recursos extras, os dois aparelhos trazem conexões modernas e funções adicionais interessantes, ainda que haja singela vantagem para o Galaxy S21. O Moto G100 conta com NFC, leitor de digitais embutido ao botão de energia na lateral, suporte às conexões Wi-Fi 6 e 5G, Bluetooth 5.1, além de conector P2 para fones de ouvido. Seu maior diferencial, no entanto, é o modo Ready For.

O Ready For do Moto G100 é a resposta da Motorola ao Samsung DeX (Imagem: Divulgação/Motorola)

Desenvolvido como um concorrente direto para o Samsung DeX, a novidade transforma o Moto G100 em um mini desktop, através de um cabo HDMI conectado a uma TV ou monitor. A função apresenta quatro configurações, pensadas para diferentes usos como trabalho ou reprodução de mídia, permite conexão de periféricos e conta com interface consistente.

Mais robusto, o Samsung DeX ainda tem algumas vantagens sobre o rival da Motorola, como o suporte à conexão sem fio (Imagem: Divulgação/Samsung)

Enquanto isso, o telefone da Samsung chega ao mercado com NFC, leitor de digitais sob o display com tecnologia ultrassônica da Qualcomm, suporte a 5G e Wi-Fi 6, Bluetooth 5.0, áudio estéreo otimizado pela AKG, certificação IP68 de resistência à água e poeira, carregamento sem fio e reverso, bem como o já citado DeX, mais robusto que o rival da Motorola e capaz de se conectar a monitores e TVs sem uso de fios.

Moto G100 vs Galaxy S21: qual o melhor flagship básico?

Com preços semelhantes e forte tendência a terem quedas acentuadas de preço nos próximos meses, o Samsung Galaxy S21 e o Motorola Moto G100 são opções sólidas com bom conjunto de extras e alto desempenho, mirando em públicos um pouco diferentes.

Aqueles que buscam por uma experiência mais premium, com tela OLED, câmeras mais consistentes e maior tempo de suporte com atualizações por até 3 anos, sem ligar muito para o desempenho em tarefas pesadas, devem ficar bastante satisfeitos com o que o Galaxy S21 tem a oferecer.

No entanto, os que preferem desempenho mais estável, experiência de software mais limpa e próxima ao do Android puro, ou ainda procuram por uma opção à altura dos topos de linha para fugir do Exynos, têm no Moto G100 uma excelente opção.

E você, leitor? Prefere o conjunto mais premium e o melhor suporte de software do Galaxy S21, ou acha a performance mais estável e o sistema mais limpo do Moto G100 uma escolha melhor? Concorda com nosso veredito? Comente conosco suas opiniões!

Moto G100 vs Galaxy S21: ficha técnica

Especificações Motorola Moto G100 Samsung Galaxy S21
Tela 6,7", IPS LCD, Full HD+, 90 Hz 6,2", Dynamic AMOLED 2X, Full HD+, 120 Hz
Chipset Qualcomm Snapdragon 870

Qualcomm Snapdragon 888 (EUA/China)

Samsung Exynos 2100 (Global)

Memória RAM 8 GB ou 12 GB 8GB
Armazenamento 128 GB ou 256 GB 128 GB ou 256 GB
Câmera traseira

64 MP (Principal, f/1.7)

16 MP (Ultra wide, f/2.2, 117º)

2 MP (Profundidade, f/2.4)

ToF 3D (Profundidade)

12 MP (Principal, f/1.8)

64 MP (Telefoto, f/2.0, zoom óptico de 1,1x)

12 MP (Ultra wide, f/2.2, 120º)

Câmera frontal

16 MP (Principal, f/2.2)

8 MP (Ultra wide, f/2.4, 118º)

10 MP (f/2.2)
Bateria 5.000 mAh com carregamento rápido de 20 W 4.000 mAh com carregamento rápido de 25 W
SO Android 11 Android 11, sob a One UI 3.1
Extras NFC, leitor de digitais na lateral, Wi-Fi 6, Bluetooth 5.1, conector P2, modo Ready For NFC, leitor de digitais ultrassônico, Wi-Fi 6, Bluetooth 5.0, áudio estéreo, modo DeX, IP68, carregamento sem fio e reverso

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.