Nvidia destaca notebooks com GPUs RTX 3000 e grande crescimento no Brasil

Nvidia destaca notebooks com GPUs RTX 3000 e grande crescimento no Brasil

Por Renan da Silva Dores | Editado por Wallace Moté | 23 de Junho de 2021 às 16h10
Divulgação/Nvidia

A Nvidia realizou no Brasil nesta terça-feira (22) evento no qual demonstrou as principais novidades da empresa para o país neste ano. Além de destacar modelos de notebooks que já estão à venda por aqui equipados com a família de GPUs GeForce RTX 3000, a companhia reforçou o posicionamento das recém-lançadas RTX 3050 e 3050 Ti para atender os mercados de entrada e intermediário, e trouxe alguns números interessantes sobre o mercado brasileiro.

DLSS 2.0 e Studio Creator para gamers e profissionais

A fabricante começou discutindo sobre as tecnologias empregadas na família RTX 3000 para gamers e profissionais. Principal destaque da linha de placas de vídeo, a tecnologia de Ray Tracing da marca já está hoje disponível em mais de 130 jogos, incluindo títulos populares como Fortnite e Metro Exodus, e é integrada nos dois principais motores gráficos de desenvolvimento de jogos, a Unreal Engine e a Unity Engine.

Segundo a Nvidia, já há mais de 130 jogos e mais de 70 apps profissionais utilizando tecnologias RTX (Imagem: Reprodução/Nvidia)

O recurso também tem suporte a inúmeras aplicações voltadas para uso profissional, como editores de vídeo, editores de foto e programas de streaming. Junto a ele está o DLSS 2.0, a tecnologia de upscaling de imagem que renderiza jogos em resoluções menores e tira proveito de Inteligência Artificial para entregar resoluções mais altas.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Outro destaque é o Studio Creator, a plataforma da empresa focada em criadores de conteúdo e outros profissionais. A Nvidia destaca que mais de 70 programas já são acelerados pelas tecnologias RTX da marca, estando Blender, Adobe Photoshop e OBS Studio entre eles, e há atualizações mensais dos drivers para maior compatibilidade e estabilidade.

A RTX 3050 assume o posto da GTX 1650 Ti, enquanto a RTX 3050 Ti toma o lugar da GTX 1660 Ti (Imagem: Reprodução/Nvidia)

Fora isso, a Nvidia também detalhou melhor a nova tecnologia Max-Q, disponível em todos os notebooks com chips gráficos da companhia e cujo principal destaque é o Dynamic Boost, que promete aumentar o desempenho em até 16% dependendo da implementação da fabricante do laptop. A empresa mostrou ainda o atual posicionamento das GPUs, com a RTX 3050 assumindo o posto da GTX 1650 Ti e a RTX 3050 Ti tomando o lugar da GTX 1660 Ti.

Seis laptops com RTX 30 lançados no Brasil

A empresa também destacou que já há seis modelos de notebooks equipados com RTX 3000 no Brasil, e confirmou que mais aparelhos serão lançados por aqui no decorrer do ano, mas nenhum detalhe foi dado até o momento. Por enquanto, a RTX 3060, focada no segmento intermediário, é a grande estrela do mercado brasileiro, estando disponível em todos os modelos anunciados.

O Avell A70 Liv e o A72 Liv são as opções mais robustas, focadas em profissionais, com o primeiro chegando equipado com um Core i7 10750H de 6 núcleos e 12 threads a até 5,0 GHz, enquanto o segundo adota o i7 10870H de 8 núcleos e 16 threads a até 5,0 GHz.

Avell A72 Liv (Imagem: Reprodução/Avell)

No mais, ambos trazem especificações semelhantes, com destaque para a Nvidia GeForce RTX 3060, até 64 GB de RAM DDR4-2666, até 1 TB de armazenamento SSD M.2 NVMe e tela de 15,6 polegadas com resolução Quad HD e taxa de atualização de 165 Hz. O A72 Liv também pode ser encontrado com a GeForce RTX 3070, mantendo o restante das especificações.

Voltado para o público gamer, o Avell Storm One traz CPU AMD Ryzen 4600H acompanhado de uma GeForce RTX 3060 e tela de 17,3 polegadas Quad HD com taxa de atualização de 165 Hz.

Avell Storm One (Imagem: Reprodução/Avell)

Outras especificações são semelhantes às dos modelos profissionais da marca, incluindo até 64 GB de RAM DDR4-2666 e até 1 TB de armazenamento SSD, enquanto o visual traz linhas um pouco mais agressivas, seguindo a estética gamer.

A Gigabyte também trouxe ao Brasil dois modelos próprios, o G5, com tela de 15,6 polegadas Full HD em opções de 144 Hz e 240 Hz, e o G7, de 17,3 polegadas Full HD de 144 Hz. Com exceção dos displays, os dois modelos compartilham das mesmas especificações, incluindo CPU até o Intel Core i7 10870H, GPU Nvidia GeForce RTX 3060, até 64 GB de RAM DDR4-3200 e até 512 GB de armazenamento SSD.

Gigabyte G5 (Imagem: Reprodução/Gigabyte)

Por fim, a Acer anunciou recentemente o Predator Triton 300, gamer "ultrafino" que emprega a 11ª geração Intel Tiger Lake H35, com o Core i7 11370H de 4 núcleos e 8 threads a até 4,8 GHz, acompanhado da GPU GeForce RTX 3060, 24 GB de RAM DDR4-3200 e 1 TB de armazenamento SSD M.2 NVMe.

Acer Predator Triton 300 (Imagem: Reprodução/Acer)

Outros destaques incluem tela de 14 polegadas Full HD com taxa de atualização de 144 Hz, Wi-Fi 6, Bluetooth 5.1, espessura de 18,9 mm e peso de 1,9 kg.

Mercado brasileiro tem crescimento acelerado

A Nvidia concluiu a apresentação divulgando alguns números interessantes relacionados à família RTX 3000, aos notebooks gamer e até mesmo ao mercado brasileiro. De acordo com a fabricante, a microarquitetura Ampere, na qual as novas placas são baseadas, foi a que teve maior crescimento em um mesmo período quando comparada à Pascal, da família GTX 1000, e à Turing, da linha RTX 2000.

Segundo a Nvidia, mais de 2 milhões de GPUs GeForce foram vendidas no Brasil no último ano, mesmo diante da crise global (Imagem: Reprodução/Nvidia)

A Nvidia destacou o crescimento vertiginoso dos notebooks gamer pelo mundo, que já somam mais de 50 milhões de unidades, um crescimento de 7 vezes em 7 anos, de acordo com a companhia. O mercado brasileiro tem forte participação no número — somando GPUs de desktop e notebook, mais de 2 milhões de unidades foram vendidas nos últimos 12 meses, apesar dos preços inflados pela mineração de criptomoedas e da escassez de componentes.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.