Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

5 processadores mais icônicos e populares da Intel

Por| Editado por Jones Oliveira | 04 de Abril de 2024 às 18h30

Link copiado!

Jones Oliveira/Canaltech
Jones Oliveira/Canaltech
Tudo sobre Intel

A Intel é possivelmente a primeira empresa que pensamos quando falamos em processadores, especialmente no segmento dos computadores domésticos. Atualmente, apenas a AMD consegue oferecer uma concorrência real, mas mesmo a empresa de Lisa Su não estaria onde está hoje sem a influência que a Intel tem nesse mercado desde sua primeira CPU.

Considerando a trajetória da empresa, o Canaltech preparou um histórico com cinco dos processadores mais icônicos e populares da Intel, explicando porque alguns deles praticamente definiram os rumos da computação doméstica.

5. Intel 4004

Continua após a publicidade

O Intel 4004 foi lançado em 15 de novembro de 1971 e pode ser considerado o primeiro processador produzido comercialmente. Com arquitetura de 4 bits, ele era fabricado em nodes de 10 µm, continha 2.300 transistores e operava em frequência de 740 KHz.

Até então, diversos chips independentes eram associados em um circuito integrado para compor um único microprocessador. Um dos destaques que fez do Intel 4004 um marco significativo para a integração em larga escala foi, justamente, a superioridade dos portões lógicos de silício MOS, que possibilitaram implementar um microprocessador completo em um único chip

Inicialmente criado para a Busicom, a empresa japonesa solicitou uma renegociação do preço do Intel 4004 e abriu mão da exclusividade sobre a CPU. Com isso, a Intel pôde comercializá-lo abertamente, sendo, em grande parte, responsável pela história da computação como conhecemos hoje, com praticamente todo aparelho eletrônico trazendo algum tipo de processador de uso geral.

4. Intel 8008

Após o lançamento do Intel 4004, muitos dos engenheiros do projeto, como Ted Hoff, responsável pelo conceito de arquitetura de 4 circuitos integrados, e Federico Faggin, um dos criadores da tecnologia de portões lógicos de silício, foram alocados para o desenvolvimento do novo grande produto da Intel. Lançado em abril de 1972, o Intel 8008 foi projetado pela Computer Terminal Corporation (CTC) para seu terminal programável Datapoint 2200.

O Intel 8008 foi um dos primeiros processadores do mercado de 8 bits de dados e 14 bits de endereçamento. Apesar do nome semelhante, o Intel 8008  traz uma arquitetura nova, não sendo apenas uma evolução direta do 4004, mas um produto novo.

Continua após a publicidade

Como as operações em linguagem de máquina são essencialmente registros binários, aumentar a largura de endereçamento possibilitava evoluir diversos outros aspectos dos microprocessadores. Um deles é a capacidade de memória RAM que saltou de 640 bytes para 16 KB — ou 16.000 bytes —, permitindo que o Intel 8008 fosse utilizado em uma variedade muito maior de aplicações.

3. Intel 8080

Em 1974 a Intel lançou o Intel 8080, este, sim, uma evolução direta de seu antecessor, mantendo a largura de dados em 8 bits, mas expandindo a capacidade de endereçamento para 16 bits.

Por mais que o salto de 14 bits para 16 bits pareça pouco, objetivamente, é preciso lembrar que isso representa duas potências de 2 a mais, elevando o volume de memória de 16 KB para 64 KB

Continua após a publicidade

Além disso, ele tinha capacidade de realizar endereçamento direto na memória, elemento fundamental da arquitetura CISC. Outra melhoria significativa do Intel 8080 foi sua frequência de operação, que saltou de 800 KHz para 2 MHz, chegando a 3,25 MHz eventualmente.

Um dos primeiros produtos comerciais a utilizar o Intel 8080 foi o Altair 8800, mas ele também equipou uma série de arcades na década de 1970, como o Gun Fight e o icônico Space Invaders

2. Intel 8086

Continua após a publicidade

Mesmo não ocupando a primeira posição, o Intel 8086 é, possivelmente, o processador mais importante dessa lista. Lançado em 1978, ele introduziu largura de dados de 16 bits e endereçamento de 20 bits, aumentando exponencialmente o poder de processamento e execução de instruções.

Combinando a capacidade de endereçamento direto em memória, com o número muito maior de registradores e endereços de dados, o Intel 8086 estreou a arquitetura x86. Para isto, a Intel projetou a linguagem assembly (de máquina) do 8086 para ser similar o suficiente com a dos 8080, permitindo que códigos do modelo anterior pudessem ser executados no novo processador.

Em termos de frequência, o Intel 8086 também representou uma evolução considerável, atingindo 5 MHz já em sua primeira versão. Já o volume maior de memória e registradores viabilizou incorporar diversas instruções básicas de operacionalizações matemáticas como passos intermediários de instruções complexas. 

Continua após a publicidade

Uma das propostas da arquitetura x86 era, justamente, estabelecer um padrão de evolução dos microprocessadores que garantisse a retrocompatibilidade com códigos anteriores. Por essa razão, todas suas evoluções mantiveram os conjuntos de instruções básicos do primeiro 8086, adicionando novos conjuntos em coprocessadores quando necessário.

Sendo assim, teoricamente, todo PC com uma CPU x86, mesmo as mais recentes, ainda é capaz de executar tarefas legado, se valendo apenas de alguns recursos de virtualização para garantir a compatibilidade de software.

1. Intel Pentium

Continua após a publicidade

Por fim, o processador até hoje mais icônico da Intel é, naturalmente, o Pentium, lançado em 1993, sucedendo o i486 e assumindo o papel de plataforma mainstream da Intel por mais de duas décadas. O primeiro P5 trazia clock base de 60 MHz com seu último refresh, em 1997, já atingindo clocks de até 300 MHz 

Com largura de barramento de endereçamento e de dados de 32 bits, herdada dos i486, o Pentium comportava até 4 GB de memória RAM e enorme capacidade de execução de instruções. Para otimizar ao máximo a utilização desses recursos, o P5 utilizava processamento superescalar, processo similar ao pipelining dos CPUs RISC, permitindo executar mais instruções simultaneamente.

As evoluções do Pentium foram inúmeras, passando pelo MMX, Pentium II Xeon e Pentium Dual-Core. Conforme ele foi evoluindo, diversas das tecnologias implementadas ao longo de suas novas versões foram incorporadas a novas linhas de processadores Intel, como os Celeron, de entrada; Xeon, para servidores; e os famosos Intel Core, que são até hoje referência no mercado doméstico.

Continua após a publicidade

Oficialmente, o Pentium acompanhou as arquiteturas dos processadores Intel Core até a Comet Lake em 14 nm e atingiu frequências máximas de 4,4 GHz, sendo oficialmente aposentado apenas em 2023. Ainda assim, mesmo no final da sua vida útil, os Pentium mais recentes sempre encontravam espaço, mesmo em setups gamer, por trazerem as mesmas tecnologias dos Intel Core, naturalmente com algumas limitações, e a preços extremamente mais acessíveis, servindo de CPUs de entrada.