Como ver a temperatura do processador

Como ver a temperatura do processador

Por Renan da Silva Dores | Editado por Wallace Moté | 07 de Abril de 2022 às 17h40
Brian Kostiuk/Unsplash

Principal componente de um computador, o processador é o "cérebro" do PC, responsável por gerenciar todas as tarefas realizadas. Assim sendo, é essencial tomar precauções para que a CPU entregue o melhor desempenho sem sofrer danos. O calor é um dos maiores inimigos desses chips e, portanto, é necessário garantir que as temperaturas estejam sempre sob controle.

Monitorar a temperatura do processador é um processo razoavelmente simples, com diversas opções para acompanhar as estatísticas até mesmo durante jogos, mas garantir que o calor esteja sob controle exige alguns cuidados.

Como verificar a temperatura da CPU

Existem múltiplos métodos para acompanhar a temperatura da CPU, que atendem a diferentes necessidades. O destaque vai para os três a seguir:

Utilizando o HWiNFO

O HWiNFO é um software gratuito bastante popular, utilizado para acompanhar as temperaturas da CPU durante testes de estresse ou durante o uso comum. A solução está disponível através do site oficial e possui uma versão "Portable", que não exige instalação. Após baixá-lo, extraia o zip utilizando um software como o 7zip ou, no caso do Windows 11, clicando com o botão direito e selecionando a opção "Extrair tudo".

Com a pasta extraída, abra-a e clique no executável referente à versão do seu sistema operacional — HWiNFO32 para PCs de 32 bits, e HWiNFO64 para os de 64 bits — vale destacar que a maioria dos PCs modernos é 64 bits, mas há maneiras de confirmar isso. A verificação das temperaturas é feita da seguinte maneira:

1. Marque a caixa "Apenas Sensores" e clique em Iniciar;

2. Espere o programa avaliar o sistema e, quando a janela do aplicativo for aberta, role a tela até encontrar o monitoramento de temperatura;

A linha "CPU (Tctl/Tdie)" mostra a temperatura mais elevada registrada pelos sensores da CPU, enquanto a lista "Temperaturas centrais" exibe as temperaturas de cada núcleo (Imagem: Captura de tela/Canaltech)

3. Observe a temperatura mais alta registrada pelos sensores do processador na linha "CPU (Tctl/Tdie)";

4. Clique na linha "Temperaturas centrais" para conferir as temperaturas de cada um dos núcleos da CPU. A identificação dos núcleos sempre começa a partir do 0.

Checagem em games e outros programas com MSI Afterburner

Durante jogos ou outros programas que operam em tela cheia, não é possível utilizar o HWiNFO ou aplicativos similares sem retornar à área de trabalho. Para contornar isso, uma opção é utilizar o RivaTuner, outra solução gratuita popular destinada a acompanhar o status da CPU, da GPU e de outros componentes do computador em tempo real.

O RivaTuner é acompanhado pelo MSI Afterburner, importante para que o monitoramento seja feito de maneira mais precisa. Para baixar o pacote com ambos, é necessário acessar o site Guru3D, desenvolvedor do aplicativo. Também é preciso realizar alguns ajustes para que a exibição mostre os dados corretos.

1. Com o pacote instalado, inicie o MSI Afterburner;

2. Na barra de tarefas do Windows, clique no ícone do monitor com o número 60 para abrir o RivaTuner;

O RivaTuner pode ser acessador pelo ícone de monitor na barra de tarefas do Windows (Imagem: Captura de tela/Canaltech)

3. No canto superior esquerdo, ative a opção "Show On-Screen Display" para que as estatísticas sejam exibidas durante o gameplay;

4. De volta à janela do MSI Afterburner, clique na engrenagem e, na nova janela, acesse a aba "Monitoramento" para selecionar os dados a serem exibidos;

É necessário marcar a estatística e a caixa "Exibir informação na tela" para que a informação seja exibida durante games e outros programas (Imagem: Captura de tela/Canaltech)

5. Além de marcar o visto na frente da estatística desejada, marque a caixa "Exibir informação na tela", clique em "Aplicar" e então em "OK" para que o programa exiba a informação corretamente dentro do game ou outro programa.

Você pode ativar as estatísticas que preferir, incluindo temperatura da placa de vídeo, uso de memória RAM, uso da CPU, linha do frametime (tempo em que cada quadro de um jogo é renderizado), além das próprias temperaturas do processador.

Conferindo a temperatura na BIOS

Outro método para checar a temperatura do processador é conferindo as estatísticas do computador na BIOS. Só é possível acessá-lo ao ligar ou reiniciar a máquina e, quando descrito na tela, apertar a tecla correspondente — normalmente, o acesso é feito com as teclas Esc, F2, F12 ou Del.

O método é o menos conveniente dos três, por exigir que o computador seja reinicializado e, além disso, verifica apenas a temperatura no momento do acesso dentro da própria BIOS, não sendo possível realizar medições durante testes de estresse, por exemplo. Ainda assim, caso não tenha acesso ao sistema operacional, seja qual for o motivo, a opção pode ser útil.

Qual a temperatura ideal do processador?

Os processadores modernos contam com mecanismos que limitam drasticamente a performance para reduzir as temperaturas, garantindo assim que não haja danos ao chip. Em casos muito extremos, o computador pode se desligar automaticamente. No entanto, isso não é razão para permitir que a máquina opere o tempo inteiro com calor excessivo.

Normalmente, em desktops, a temperatura ideal para o processador é abaixo dos 60 ℃. A faixa entre 60 ℃ e 70 ℃ ainda é aceitável, especialmente em cargas de trabalho mais intensas, mas já é válido prestar atenção se há outros motivos causando o aumento das temperaturas. É motivo de preocupação se sua CPU está operando entre 70 ℃ e 80 ℃, sendo a única exceção o uso de overclocking.

A temperatura ideal para operação dos processadores de desktop é de 60 ℃, ainda que valores até 80 ℃, dependendo do que está sendo feito com o computador, são aceitáveis (Imagem: Christian Wiediger/Unsplash)

Temperaturas acima dos 80 ℃ já podem indicar problemas na refrigeração e a indicação é conferir se há poeira ou outros problemas nos sistemas de resfriamento, impedindo uma boa dissipação, ou mesmo se o cooler do seu processador é o ideal para dissipar o calor gerado durante usos mais intensos. Além disso, casos que ultrapassam os 90 ℃ são um alerta e requerem maior investigação.

A situação é diferente em notebooks, em virtude do espaço mais limitado que os dispositivos têm para dissipar o calor. Ainda que a temperatura ideal se mantenha entre os 50 ℃ e 60 ℃ quando o laptop está ocioso, é bastante comum que os números durante uso intenso atinjam a casa dos 80 ℃, por vezes ultrapassando os 90 ℃.

Notebooks, especialmente os modelos gamer, tendem a esquentar mais que os desktops, devido ao espaço limitado que possuem para resfriamento (Imagem: Ivo Meneghel Jr/ Canaltech)

Os notebooks com os melhores sistemas de refrigeração conseguem manter com facilidade as temperaturas sob controle na faixa dos 80 ℃, mas a maioria dos aparelhos, especialmente notebooks gamer, optam por operar com maior geração de calor em troca de oferecer melhor desempenho.

Isso não é necessariamente um problema, desde que não haja desligamentos, dano à carcaça, nem registros de temperaturas muito próximas ao limite do processador anunciado pela fabricante, normalmente estabelecido em 100 ℃.

Como reduzir as temperaturas da CPU

Caso seu processador esteja registrando temperaturas muito elevadas, o primeiro passo a se tomar é realizar a limpeza do gabinete, das entradas e saídas de ar, bem como das ventoinhas, seja em desktops ou notebooks. Com o tempo, é normal que poeira comece a se acumular nessas regiões, reduzindo significativamente a eficiência do sistema de refrigeração.

Se mesmo assim as temperaturas ainda estiverem elevadas, é provável que o resfriamento da sua máquina não seja adequado. É recomendado então avaliar como está ocorrendo a circulação de ar no gabinete, reaplicar a pasta térmica e até mesmo substituir o cooler da CPU, que pode não estar sendo suficiente para manter o calor do chip sob controle.

Usuários mais avançados podem ainda arriscar realizar o undervolt do processador, que exige certo nível de conhecimento. A prática consiste em reduzir a voltagem com a qual os núcleos do processador estão operando, consequentemente reduzindo o calor gerado — normalmente, as fabricantes definem voltagens mais altas que o necessário, para garantir o bom funcionamento do componente.

Programas como o AMD Ryzen Master (para desktops) e o Intel XTU permitem realizar o undervolt da CPU (Imagem: Reprodução/AMD)

Utilizando programas como o Intel XTU para chips Intel, o Ryzen Master para CPUs AMD ou ainda o ThrottleStop para ambos, você pode configurar voltagens mais baixas. É importante que esse processo seja feito com cautela, com reduções pequenas feitas em etapas, para encontrar o equilíbrio ideal entre temperatura e desempenho — cada chip possui um ponto ideal próprio, não havendo uma configuração universal. Essa dica é ainda mais válida para laptops, em que modificações físicas são limitadas.

Também em notebooks, especificamente, há algumas dicas adicionais: você pode erguê-lo da mesa para permitir que as ventoinhas tenham acesso a mais ar, utilizando objetos como livros ou caixas, ou ainda utilizar bases refrigeradas com ventoinhas adicionais, que ajudam a diminuir a temperatura da superfície e, no melhor cenário, turbinar o fluxo de ar.

Notebooks com chips AMD Ryzen podem utilizar o Ryzen Controller para limitar a temperatura da CPU, ou realizar ajustes finos de consumo, boost de frequência e mais (Imagem: Canaltech/Captura de tela)

Laptops com processadores AMD têm uma opção extra: o acesso ao Ryzen Controller, um programa razoavelmente simples que permite definir diferentes perfis de funcionamento para a CPU. Além de ajustes finos de consumo e boost das frequências, é possível definir um limite de temperatura de operação, em que diversos aspectos serão ajustados automaticamente para garantir que o chip trabalhe dentro desse limite.

Fonte: AVG, PCWorld, Tom's Hardware

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.