O céu (não) é o limite | O que está rolando na ciência e astronomia (25/06/2019)

Por Patrícia Gnipper | 25 de Junho de 2019 às 16h41
NASA/HiRISE

Vamos a mais um resumo com as principais notícias científicas dos últimos dias? Vamos! Nesta semana rolou muita coisa legal, especialmente no que diz respeito à exploração do espaço — mas também tem avanço importante na medicina!

ESA vai interceptar cometa desconhecido

A agência espacial europeia criou uma nova missão chamada Comet Interceptor para, na próxima década, escolher um cometa que, hoje, ainda é desconhecido, com o objetivo de interceptá-lo no espaço. A missão contará com três naves que trabalharão em sincronia e será a primeira a visitar um cometa verdadeiramente intocado.

A missão deverá ser lançada em 2028 juntamente com a sonda Ariel, esta que estudará exoplanetas.

Nova cratera em Marte

(Foto: NASA)

Uma das imagens que mais "rodaram" os quatro cantos da internet na semana passada foi esta de uma nova cratera em Marte fotografada pela NASA. A agência entende que a cratera foi formada entre 2016 e 2019, pois antes disso ela não existia naquela região.

Estima-se que um objeto de mais ou menos 1,5 metro de largura tenha causado a cratera, que mede cerca de 16 metros de largura.

Mais dois exoplanetas parecidos com a Terra

Dois novos exoplanetas foram descobertos, sendo que eles são similares à Terra e estão na zona habitável de sua estrela (a Teegarden). Os Teegarden B e C estão a 12,5 anos-luz de nós e podem abrigar água em seu estado líquido. Contudo, os pesquisadores ainda não identificaram este elemento por lá, sendo necessários mais estudos para tal.

NASA vai estudar "planeta morto" no Cinturão de Asteroides

Arte imagina a nave Psyche visitando o asteroide Psique (Imagem: NASA)

A missão Psyque será a nova investida da NASA para estudar objetos que remetem à formação do Sistema Solar. A ideia é enviar uma nave em 2022 para que ela chegue em 2026 no asteroide Psique, considerado um "planeta morto".

Psique tem cerca de 200 km de largura e é composto quase que inteiramente de ferro e níquel, o que pode, na verdade, ser o núcleo exposto de um protoplaneta que "morreu" nos primórdios de nosso sistema. Acredita-se que ele tenha tido uma circunferência similar à de Marte antes que antigas colisões destruíssem sua camada rochosa externa por completo.

Japoneses enviarão rover à lua marciana Fobos

Nenhum veículo robótico na história já foi enviado para as luas de Marte, mas os japoneses querem mudar isto. A agência espacial JAXA está planejando uma missão chamada Martian Moons eXploration (MMX) para enviar um rover à lua Fobos, provavelmente, ainda que Deimos não esteja fora da jogada.

A missão deverá ser lançada em 2024 e levará consigo também uma sonda orbital, entrando em órbita no ano seguinte para, depois, pousar o rover e colher amostras do satélite natural do Planeta Vermelho, com o retorno dessas amostras acontecendo em 2029.

A lua Fobos

Estudando o Sol com mais afinco

E o nosso Sol também receberá novas missões: a NASA está planejando as missões PUNCH e TRACERS. A primeira estudará como a estrela despeja partículas e energia em nosso sistema, enquanto a segunda verificará a resposta da Terra a tudo isso. A ideia é fazer o lançamento em 2022.

Mais um lançamento histórico da SpaceX

Nesta terça (25), começando às 3h30 da madrugada (no horário de Brasília), a SpaceX fez seu terceiro lançamento bem sucedido com o Falcon Heavy. O foguete levou duas dúzias de satélites para o Departamento de Defesa dos Estados Unidos, além de cargas científicas que testarão novas tecnologias da NASA e da Sociedade Planetária.

As cargas da NASA são duas, na verdade: um relógio atômico chamado Deep Space Atomic Clock, que terá sua precisão testada no espaço para que, no futuro, naves e exploradores espaciais não dependam mais de relógios na Terra; e um propulsor "verde" chamado Green Propellant Infusion, que dispensa o uso de materiais que liberam elementos tóxicos para fazer funcionar naves e satélites.

Já a carga da Sociedade Planetária é a vela solar LightSail 2, idealizada por Carl Sagan. A nave testará sua tecnologia de vela solar para ver se é mesmo possível usar apenas o impulso da luz do Sol para navegar, dispensando completamente o uso de combustíveis.

Conceito da LightSail 2 com sua vela solar totalmente aberta (Imagem: Sociedade Planetária)

Primeira cirurgia de feto dentro do útero da mãe

Um hospital nos EUA fez a primeira cirurgia da história em um feto sem tirá-lo do útero de sua mãe. O bebê nasceria com uma doença chamada de espinha bífida, que é um defeito na formação da medula espinhal, o que pode causar até mesmo paralisia na criança.

O time contou com 12 especialistas e mais de um ano de preparo, sendo que o feto estava já com 23 semanas de gestação. A cirurgia foi um sucesso e a menina nasceu agora em junho com perfeita saúde.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.