Como fazer sua declaração de imposto de renda

Por Douglas Ciriaco

Todo início de ano é época de realizar a declaração de imposto de renda. O processo é simples, apesar de extenso, e pode ser feito por qualquer pessoa individualmente, bastando que você tenha as informações corretas fornecidas pelo seu banco e por seu empregador.

Além disso, comprovantes de valores investidos em saúde e educação, por exemplo, também deve ser incluídos na declaração, pois são abatidos e ajudam a reduzir a quantidade de imposto devido — ou aumentam o valor da sua restituição. Se você ainda não sabe como fazer isso, vai aprender agora neste passo a passo completo.

Baixe o programa no site da Receita Federal

Esta é uma época em que acontecem vários golpes de pessoas mal intencionadas que tentam roubar informações privadas, então, para não correr riscos, faça o download do programa de declaração de imposto de renda no site da Receita Federal.

Clique aqui para fazer o download do programa de declaração de imposto de renda.

Passo a passo

1. Tela de boas-vindas

Depois de instalar e abrir o programa pela primeira vez, você vai ver a tela de abertura. Nela, é preciso escolher se você quer iniciar uma declaração do zero (opção “Criar Nova Declaração”) ou então importar dados de anos anteriores (opção ”Importar Dados IRPF 2014”).

Como fazer a declaração de IRPF

Caso os dados estejam no seu computador, selecione a segunda opção e indique o local em que eles estão armazenados. Essa função serve para que você não precise digitar as informações básicas, como nome, endereço e outros dados pessoais, novamente.

Se você não possui uma declaração do ano anterior na máquina em que vai fazer a declaração deste ano, não tem problema. Basta clicar em “Criar Nova Declaração” e seguir adiante.

Na tela seguinte, clique em “Criar nova sem importar”.

Como fazer a declaração de IRPF

Agora, na seção “Declaração de Ajuste Anual”, digite o número do seu CPF e também o seu nome completo antes de pressionar o botão “OK”.

Como fazer a declaração de IRPF

2. Identificação do Contribuinte

Note que o programa organiza a declaração em fichas, localizadas em um menu específico na parte esquerda da janela. A primeira delas é “Identificação do Contribuinte”, na qual você deve preencher seus dados pessoais.

Como fazer a declaração de IRPF

No topo da janela há duas opções e você deve selecionar “Declaração de Ajuste Anual Original” – se for a primeira declaração que você está fazendo neste ano. A outra opção, chamada “Declaração Retificadora”, serve para os casos em que houve alguma informação equivocada enviada na sua primeira declaração e que precise ser corrigida.

3. Dependentes

A segunda ficha da declaração chama-se “Dependentes”. Nela, você deve incluir todos os seus dependentes legais (filhos, mãe, pai, avó, etc.) A tela conta com instruções específicas para este tipo de inclusão, então fique atento e preencha todas as informações corretamente.

Clique sobre o botão "Novo" para adicionar um novo dependente, defina o grau de relação entre você e ele em "Tipo de Depedente" e preencha corretamente as informações solicitadas

Como declarar IRPF

4. Alimentandos

A terceira ficha, “Alimentandos”, serve para inclusão de pessoas com as quais o declarante teve despesas médicas ou de instrução, isso conforme uma decisão judicial ou acordo homologado pela Justiça ou por uma escritura pública.

Clique em "Novo" para adicionar uma nova informação.

Como declarar IRPF

5. Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Jurídica pelo Titular

Aqui é onde você informa o grosso dos seus rendimentos tributáveis recebidos, ou seja, todo o dinheiro que você recebeu durante o ano de 2014 por parte do seu empregador apenas se ele é uma pessoa jurídica (uma empresa).

Caso o contribuinte tenha trabalhado em mais de uma empresa, ou prestado serviço para mais de um CNPJ, ao longo do último ano, é preciso incluir as informações nesta tela. Clique em "Novo" para adicionar um novo rendimento.

6. Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Física e do Exterior pelo Titular

Na sexta ficha, você vai incluir toda a renda acumulada durante o último ano vinda de pessoas físicas ou do exterior. Aqui, por exemplo, serão declarados valores recebidos de aluguéis, vendas e direitos autorais.

Importante: caso você tenha informado os dados ao longo do último ano por meio do programa Carnê-leão, pode importá-los nesta etapa para não precisar inserir tudo novamente.

7. Rendimentos Isentos e Não Tributáveis

Nesta ficha estão 23 possibilidades diferentes de rendimentos que não pagam impostos, ou seja, isentos e não tributáveis. Isso significa que você precisa declarar valores recebidos mesmo que isso não incida no pagamento de algum imposto.

Caso seu rendimento não se encaixe em nenhuma das 23 categorias, inclua-o no campo número 24, “Outros”.

8. Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva

Aqui devem ser incluídos os rendimentos que possuem um tipo diferenciado de tributação. Note que apenas os campos em branco podem ser preenchidos manualmente, os demais devem ter seus dados importados de programas específicos oferecidos pela Receita Federal.

9. Rendimentos Tributáveis Recebidos de PJ (Imposto com Exigibilidade Suspensa)

Nesta ficha, você vai incluir dados fornecidos pelo comprovante de rendimentos em que conste a indicação dos rendimentos tributáveis com retenção ou não do imposto sobre a renda. Além disso, aqui você insere o valor respectivo ao imposto com exigibilidade suspensa fornecida pela fonte pagadora. Por exemplo: valores recebidos por meio de ações judiciais.

10. Rendimentos Tributáveis de Pessoa Jurídica Recebidos Acumuladamente pelo Titular

Se você tem rendimentos que não puderam ser incluídos em nenhuma das fichas anteriores por não se encaixarem nas categorias nelas descritas, inclua-os nesta ficha. A tela do programa de declaração do IRPF contém informações detalhadas sobre quais valores podem ser incluídos aqui.

11. Imposto Pago/Retido

Os campos em cinza serão puxados de outras fichas e, aqui, você confere um resumo geral de quanto você pagou de imposto e também do valor retido.

O Item 2 é importante para expatriados e funcionários de empresas estrangeiras que vivem e trabalham no Brasil (ou seja, recebem dinheiro e pagam impostos por aqui). Esse campo serve para você informar impostos pagos em outros países. Procure mais informações sobre isso clicando no botão “Ajuda”.

12. Pagamentos Efetuados

Se você não optou pela declaração de modo completo, e sim pela simplificada, pode pular esta etapa.

Nesta ficha devem ser inseridos valores referentes a pagamentos relacionados à edução, inclusive aqueles que tiveram parte deles reembolsados por uma empresa. Se você teve bolsa parcial, inclua o valor pago do seu bolso.

Vale lembrar que itens como materiais escolares, transporte ou gasto com uniformes não entram nessa conta. Você deve informar apenas valores pagos à instituição de ensino como mensalidade, matrícula, renovação de matrícula, etc. Dinheiro gasto com cursinhos para concurso ou pré-vestibulares e ainda dinheiro gasto com aulas particulares e cursos de idioma também ficam de fora.

13. Doações efetuadas

Todas as doações feitas pelo declarante e por seus dependentes durante o ano de 2014 devem ser incluídas aqui. Obviamente, os valores devem ter sido destinados a fundos constituídos e que podem ser comprovados.

Além disso, doações em espécie feitas para filhos também são incluídas aqui. Lembre-se de que, caso o imposto estadual sobre este tipo de doação não tenha sido pago, o sistema pode cruzar informações da Receita Federal e da Receita Estadual e então você recebe uma mensagem solicitando a quitação da dívida.

14. Bens e Direitos

Aqui serão declarados todos os seus bens e posses. Imóveis, carros, contas bancárias com saldo superior a R$ 140 em 31 de dezembro, consórcios e previdência privada são alguns dos itens que devem ser inseridos nesta ficha.

Caso você tenha importado a sua declaração do último ano, esta ficha aparece preenchida e você precisa só editar as informações, adicionando ou removendo caso seja necessário. Se não, clique em "Novo" e infome os dados do novo bem.

Como declarar IRPF

Aqui é importante ficar atento e digitar sempre a maior quantidade de informações possíveis no campo “Discriminação”. Isso serve para identificar o seu bem, então adicione ali data de aquisição, dados de quem comprou e de quem vendeu e, claro, o valor pago pelo bem.

Se for um veículo, adicione cor, número da placa, modelo e ano de fabricação. Para imóveis, informe se é casa, apartamento, sobrado ou terreno. Caso o item em questão ainda esteja alienado (ou seja, vinculado a uma financiadora), é preciso informar o nome da empresa financeira e ainda o valor pago pela entrada.

Aqui também devem ser inseridos dados sobre imóveis em construção (insira valores pagos até então) e consórcios (há um código específico para ele, escolha um clicando em “Novo” e verificando o campo “Código”).

15. Dívidas e Ônus Reais

Aqui devem ser incluídas todas as suas dívidas em curso, como empréstimos em instituições bancárias, financiamentos e parcelamentos. Clique em "Novo" para adicionar um novo item.

Da mesma forma que na declaração de bens, aqui você deve detalhar as informações sobre a dívida no campo “Discriminação” — nome da financeira, razão social, CNPJ, além de quantidade de parcelas e o valor de cada uma delas, data de pagamento da primeira e quantas ainda faltam.

Como declarar IRPF

16. Informações do Cônjuge ou Companheiro(a)

Fique atento às duas restrições presentes no topo da página e, caso esteja tudo certo, informe os dados do cônjuge. Lembre-se que só é possível inseri-los aqui caso os bens de ambos tenham sido incluídos na mesma declaração e também se ele não constar como dependente do contribuinte.

17. Espólio

Caso você esteja fazendo a declaração de imposto de renda de alguém falecido, é aqui que deve incluir todos os bens pertencentes a ele até que seja feita a partilha.

Como fazer a declaração de IRPF

18. Doações a Partidos Políticos, Comitês Financeiros e Candidatos a Cargos Eletivos

Diferente de valores doados a instituições de caridade, fundos de apoio etc., dinheiro doado a partidos políticos e afins não são dedutíveis do imposto de renda.

Como fazer a declaração de IRPF

Você deve prestar as informações aqui apenas para que elas sejam cruzadas com os dados fornecidos pelos candidatos.

Como declarar IRPF

19. Importações

Se você possui algum dos quatro programas IRPF descritos ali instalado em sua máquina, pode importar seus dados para incluí-los na declaração atual. Clique sobre o ícone em forma de pasta e indique o local exato em que eles estão para que a transferência das informações seja feita.

20. Pendências

Por fim, antes de finalizar sua declaração e transmiti-la para a Receita Federal, verifique se há alguma pendência. Caso algo errado apareça ali, basta clicar sobre o aviso para ir diretamente à ficha em que ele se encontra e então corrigir a informação.

Como fazer a declaração de IRPF

21. Transmitindo pela internet

Para fazer a transmissão da sua declaração de imposto de renda pela internet é preciso baixar e instalar em seu computador o Receitanet, aplicativo da Receita Federal desenvolvido especialmente pare este fim.

Clique aqui para baixar o Receitanet do site da Receita Federal

Após instalá-lo, clique sobre o botão “Transmitir via Internet”, localizado no topo da janela.

Como fazer a declaração de IRPF

Siga as instruções de envio e pronto! Você está em dia com o fisco.

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.