Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Qual é o celular mais potente lançado em 2022?

Por| Editado por Wallace Moté | 12 de Fevereiro de 2023 às 13h00

Link copiado!

Apple
Apple

Cada vez mais potentes, os celulares modernos mais robustos já conseguem fazer tarefas antes impensadas para os telefones, incluindo realizar edição de vídeo mais complexa, executar jogos vindos dos consoles e até mesmo simular luz em tempo real com Ray Tracing. Todo ano, as principais fabricantes do mercado anunciam modelos equipados com processadores atualizados, que elevam ainda mais o patamar de performance dos smartphones.

A situação não foi diferente em 2022 — empresas como Apple, Samsung e Xiaomi anunciaram novidades que empurraram o teto das capacidades dos aparelhos móveis. Mas entre eles, qual seria o celular mais potente? Hoje, a resposta é mais complexa do que indicar apenas um único aparelho, mas observando uma série de benchmarks, é possível definir que o iPhone 14 Pro Max foi o modelo mais poderoso de 2022, mesmo que soluções do mundo Android estejam se aproximando rapidamente do rivais da Maçã.

iPhone 14 Pro Max é celular mais poderoso de 2022

Continua após a publicidade

Anunciado em setembro de 2022, o iPhone 14 Pro Max chamou atenção pela estreia de recursos como a Dynamic Island, que transformou o polêmico entalhe dos celulares da Apple em um elemento interativo principal de interface. O processamento do modelo trazia o novo A16 Bionic, chipset de 6 núcleos fabricado com a litografia de 4 nm da TSMC que manteve a liderança de desempenho da marca na maioria dos testes.

Os dois principais pontos fortes do iPhone são a CPU, que abrem vantagem de até 20% em comparação aos processadores mais avançados do mundo Android, e o grande controle que a Apple possui sobre o hardware e o software. Não à toa há um número significativo de aplicativos melhor otimizados para o iOS, por vezes oferecendo recursos avançados encontrados apenas nos celulares da gigante de Cupertino.

Há, no entanto, uma exceção: a GPU. A plataforma mais recente da Maçã trouxe poucos avanços em processamento gráfico, contando ainda com algumas modificações na arquitetura, especificamente em cache, que afetaram o desempenho do chip gráfico. Nesse cenário, os chips mais recentes da Qualcomm conseguiram abrir uma vantagem notável, com destaque para a solução gráfica do Snapdragon 8 Gen 2, a Adreno 740.

Snapdragon 8 Gen 2 agitou o mundo Android

A segunda parte da resposta envolve os smartphones Android, especialmente os equipados com o Snapdragon 8 Gen 2. Diferente das gerações anteriores, a plataforma foi anunciada em novembro e já equipou aparelhos que chegaram ao mercado em dezembro, estreitando significativamente as diferenças entre os celulares da Apple e suas concorrentes com sistema operacional do Google.

De acordo com os benchmarks, observando apenas a CPU, ainda há uma vantagem perceptível para o iPhone 14 Pro Max e seu A16 Bionic — especificamente no Geekbench 5, o celular da Maçã atinge 1.874 pontos em single-core e 5.367 pontos em multi-core. O celular Android lançado em 2022 que mais se aproxima desses números é o OnePlus 11, capaz de registrar 1.341 pontos trabalhando com um núcleo, e 4.761 operando com todos os núcleos, fazendo do iPhone 40% e 13% mais veloz, respectivamente.

Continua após a publicidade

É no processamento gráfico que o Snapdragon 8 Gen 2 brilha: utilizando o 3DMark Wild Life Extreme, um dos testes mais intensos em GPU disponíveis para celulares, o chip da Qualcomm, equipado em um iQOO 11 Pro da Vivo Mobile, marcou impressionantes 3.723 pontos com taxa de quadros média de 22 FPS. Em comparação, o iPhone 14 Pro Max atingiu 3.334 pontos e 19 FPS, diferença de 12% em favor do Android. Isso é significativo quando levamos em conta que, por bons anos, a Apple possuía a liderança quase absoluta.

É importante destacar que, ainda que muitos dos aparelhos disponíveis no mercado não se aproximem dos modelos aqui citados, qualquer celular avançado moderno tem poder suficiente para atender praticamente qualquer usuário — mesmo lançamentos de anos anteriores têm fôlego para entregar uma experiência consistente. A recomendação é avaliar com calma suas necessidades e o quanto pretende gastar para fazer a melhor escolha.

Fonte: Geekbench (1, 2), 3DMark