Moto G60 vs Redmi Note 10 Pro: vai mais bateria ou tela Super AMOLED?

Por Felipe Junqueira | 03 de Maio de 2021 às 11h00
Montagem Canaltech

Em março, a Xiaomi anunciou ao mundo sua nova família intermediária, que tem como representante mais potente o Redmi Note 10 Pro. No mês seguinte, a Motorola lançou o Moto G60, mais um modelo da linha mais popular da marca, que tem especificações também poderosas.

Os dois modelos contam com conjuntos bastante competentes, mas possuem algumas diferenças bem importantes que podem fazer com que um deles tenha vantagens quando comparado ao outro. A ideia do Canaltech é colocar os aparelhos lado a lado para ajudar você a descobrir qual dos dois é o mais indicado para o seu uso.

Entenda as diferenças e semelhanças entre Moto G60 e Redmi Note 10 Pro para saber qual tem a melhor tela, processamento mais veloz, maior capacidade de memória, câmeras de melhor qualidade, bateria mais duradoura e recursos extras mais interessantes.

Design

Moto G60 tem tela de 120 Hz (Imagem: Felipe Junqueira/Canaltech)

E já tem diferença no material de acabamento desses dois celulares, visto que o Moto G60 tem laterais e traseira em plástico, ao passo que o Redmi Note 10 Pro possui traseira em vidro, com proteção Gorilla Glass 5, apesar de as laterais também serem de plástico. Ambos ainda possuem um retângulo no canto superior esquerdo para abrigar as câmeras, com acabamento na mesma cor da tampa traseira no modelo da Motorola e todo em preto no da Xiaomi.

Outra distinção está no local do leitor de impressão digital, que está na traseira do Moto G60 e na lateral, junto ao botão de energia, no Redmi Note 10 Pro. Falando nos botões, ambos os modelos apresentam controle de volume e o power no lado direito, e o celular da Motorola ainda traz um botão exclusivo para Assistente do Google, localizado acima dos outros. Na parte de baixo, conector USB-C nos dois modelos, e P2 para fone de ouvido na parte de cima.

As opções de cores são azul e champagne, com acabamento brilhante, para quem optar pelo celular da Motorola e, por enquanto, apenas o bronze chegou oficialmente ao Brasil para quem preferir o da Xiaomi. Mas também dá para encontrar com importadores as opções cinza ou azul, todas elas com um toque fosco, que deixa menos marcas de dedos na tampa do aparelho.

Com relação a dimensões e peso, o modelo da Xiaomi é um pouco mais baixo, menos espesso e mais leve que o da Motorola, que por sua vez é menos largo, apesar da tela maior. São 164 x 76,5 x 8,1 mm e 193 gramas contra 169,6 x 75,9 x 9,8 mm e 225 gramas. Os dois modelos trazem furo na parte superior central da tela para a câmera de selfies, bordas mínimas e design resistente a respingos d’água, sem certificação no Moto G60 e IP53 no Redmi Note 10 Pro.

Redmi Note 10 Pro também tem tela com furo para câmera frontal (Imagem: Divulgação/Xiaomi)

Tela

  • Moto G60: IPS LCD de 6,8 polegadas com resolução Full HD (1080 x 2400 pixels), taxa de atualização de 120 Hz;
  • Redmi Note 10 Pro: Super AMOLED de 6,67 polegadas com resolução Full HD (1080 x 2400 pixels), taxa de atualização de 120 Hz.

Cada aparelho tem um tipo de painel e um tamanho de tela, mas os dois compartilham não apenas a resolução Full HD — apesar de haver diferença na quantidade de pixels no lado maior — como também a taxa de atualização, que é de 120 Hz nos dois. A proporção também é um pouco diferente, sendo que o Moto G60 é 20,5:9, e o Redmi Note 10 Pro é 20:9, o que ajuda a explicar um pouco a altura menor com largura maior deste segundo.

O celular da Motorola traz painel IPS LCD com 6,8 polegadas de tamanho, em um display que ocupa aproximadamente 85,3% da parte frontal. A tela tem boa calibragem de cores, que tendem a exibir mais suavidade, e o contraste tem um reforço do HDR10, apesar de o preto ser um pouco acinzentado por conta da tecnologia utilizada.

Já o modelo da Xiaomi traz tela Super AMOLED com 6,67 polegadas, e taxa de ocupação de 85,6%, aproximadamente. Ou seja, além do aproveitamento um pouco melhor, o Redmi Note 10 Pro tem cores mais vívidas e preto profundo, além de também contar com o HDR10. Segundo a Xiaomi, o dispositivo alcança brilho de até 1200 nits, com 450 nits de luminosidade típica. A Motorola não informa este detalhe em seus celulares.

Em resumo, temos um Moto G60 com cores mais suaves contra um Redmi Note 10 Pro com cores mais vívidas e preto "de verdade", e empate em todos os outros quesitos, incluindo a densidade de pixels, de cerca de 395 ppp em ambos — por conta da diferença na proporção, que compensa um pouco a diferença no tamanho em polegadas.

O Moto G60 é um poderoso intermediário da Motorola (Imagem: Divulgação/Motorola)

Câmeras

  • Moto G60: 108 MP (f/1,9, principal) + 8 MP (f/2,2, híbrida ultra wide e macro) + 2 MP (f/2,4, profundidade) + 32 MP (f/2,2, frontal);
  • Redmi Note 10 Pro: 108 MP (f/1,9, principal) + 8 MP (f/2,2, ultra wide) + 5 MP (f/2,4, macro) +2 MP (f/2,4, profundidade) + 16 MP (f/2,5, frontal);

Ambos trazem câmera principal de 108 MP com a mesma abertura, e aí a diferença na qualidade vai ser uma questão, basicamente, de software. E aí entra uma diferença na câmera secundária, que tem dupla função no Moto G60, com uma ultra wide de 8 MP que capta quadro maior e também funciona como macro, para registrar detalhes quase invisíveis a olho nu.

O Redmi Note 10 Pro também tem essas duas funções, mas em sensores separados, sendo um ultra wide de 8 MP e um macro de 5 MP. E aí fecham ambos os conjuntos uma última câmera de profundidade de 2 MP em cada um, que ajuda no recorte de fundo das fotos em modo retrato, além do destaque de cor no Motorola. Ambos gravam em 4K a 30 fps na principal, com opção de 1080p a 60 fps em ambos, além de funções de timelapse e câmera lenta.

Nas selfies, o Moto G60 tem mais resolução e abertura maior que o concorrente. Em vídeo, gravação em 4K no Motorola contra apenas Full HD no Redmi Note 10 Pro.

Redmi Note 10 Pro chegou ao Brasil em edição especial (Imagem: Divulgação/Xiaomi)

Processador e memória

  • Moto G60: Snapdragon 732G Octa-core (8nm, 2x 2,3 GHz Kryo 470 Gold + 6x 1,8 GHz Kryo 470 Silver), 6 GB RAM, 128 GB armazenamento;
  • Redmi Note 10 Pro: Snapdragon 732G Octa-core (2x 2,3 GHz Kryo 470 Gold + 6x 1,8 GHz Kryo 470 Silver), 8 GB RAM, 128 GB armazenamento.

Não há praticamente nenhuma diferença em hardware, com o mesmo processador e até armazenamento igual em ambos. A única desvantagem é que o Moto G60 tem 6 GB de memória RAM, 2 GB a menos que seu concorrente, ao menos na versão que está disponível no Brasil. O Redmi Note 10 Pro também tem opções com 6 GB à venda com importadores, algumas até com 64 GB de espaço. Um ponto para você ficar de olho na hora de comprar o celular sem o selo da Anatel.

Ou seja, a diferença em processamento fica restrita à otimização dos softwares, que é mais limpo no lado da Motorola e costuma entregar rapidez e fluidez geralmente superior aos concorrentes. Mas o Redmi Note 10 Pro não vai ficar muito atrás, se é que chega a ficar, e a RAM a mais pode ajudar a manter alguns apps e jogos abertos caso você goste de navegar entre várias tarefas ao mesmo tempo.

Bateria

  • Moto G60: 6.000 mAh, carregamento de 20 W;
  • Redmi Note 10 Pro: 5.020 mAh, carregamento de 33 W.

A capacidade de bateria é consideravelmente maior no modelo da Motorola, que tem 6.000 mAh e, segundo a fabricante, pode ficar cerca de 54 horas longe da tomada sem desligar. Já o concorrente da Xiaomi traz 5.020 mAh e dura dois dias, segundo a empresa. Ou seja, o Redmi Note 10 Pro vai pedir recarga algumas horas antes do Moto G60, sendo que este segundo chega perto de dois dias e meio longe do carregador, em uso normal.

Mas há uma vantagem do chinês no quesito recarga, com 33 W de potência no carregador que vem na caixa. Segundo a Xiaomi, o dispositivo chega a 59% da capacidade total em apenas 30 minutos na tomada. O carregador de 20 W da Motorola não consegue preencher tanta carga em tão pouco tempo, apesar de também não ser nada lento.

Ou seja, você tem aqui a opção de ficar mais tempo longe da tomada, mas demorar mais para fazer a recarga, ou correr para um carregador em um tempo um pouco menor, mas estar livre para usar seu celular em pouco tempo.

Câmera de 108 MP é um dos destaques do Moto G60 (Imagem: Divulgação/Motorola)

Recursos extras

Moto G60 e Redmi Note 10 Pro são modelos intermediários e, portanto, não trazem muitos recursos diferentes. Ambos possuem desbloqueio biométrico, seja por impressão digital ou reconhecimento facial, e também trazem suporte ao NFC para pagamentos por aproximação.

Em conectividade, ambos contam com Wi-Fi dual-band e uma pequena diferença na versão Bluetooth, 5.0 no Moto G60 e 5.1 no Redmi Note 10 Pro. Além disso, o modelo chinês possui o infravermelho e funciona como controle remoto universal. Por fim, ambos trazem design contra respingos d’água.

Os dois ainda chegam com o Android 11 instalado de fábrica, e o Moto G60 tem sistema mais limpo, mas fica limitado a uma só atualização de versão, mais um ano extra de updates de segurança. Já o Redmi Note 10 Pro traz a relativamente pesada interface MIUI 12 e, mesmo que não atualize tanto a versão do Android, recebe recursos e correções de segurança por mais tempo. A Xiaomi não define um período, mas há modelos lançados há mais de 2018 com atualização garantida em 2021.

Redmi Note 10 Pro também tem câmera de 108 MP (Imagem: Divulgação/Xiaomi)

Moto G60 vs Redmi Note 10 Pro: qual vale mais a pena?

Um comparativo bastante equilibrado, com bons pontos em ambos os lados. O Moto G60 tem tela com cores mais naturais, traz os mesmos recursos de enquadramento em câmeras que o concorrente mesmo com uma câmera a menos, grava selfies em 4K e tem bateria consideravelmente mais duradoura.

Já o Redmi Note 10 pro traz display com cores mais vívidas e preto profundo, tem opção com mais memória RAM e carregamento mais veloz que o modelo da Motorola. Além da construção mais refinada com vidro na traseira, infravermelho para usar o celular como controle remoto e um período maior de atualizações de software.

As ferramentas para ajudar a entender qual cada modelo tem de melhor está aí, e a escolha fica por sua conta. O Redmi Note 10 Pro pode ser encontrado geralmente a preço mais em conta, mas é com importadores que se limitam a oferecer os 3 meses de garantia obrigatório por lei no Brasil. Com isto em mente, pode ser mais interessante investir alguns trocados a mais no Moto G60 para evitar dor de cabeça lá na frente.

Moto G60: ficha técnica

  • Tela: IPS LCD de 6,8" com resolução Full HD (2400 x 1080 pixels), taxa de atualização de 120Hz, HDR10;
  • Chipset: Qualcomm Snapdragon 732G Octa-core até 2,23 GHz;
  • Memória RAM: 6 GB;
  • Armazenamento interno: 128 GB, expansível com cartão microSD;
  • Câmera traseira: 108 MP (f/1,9, principal) + 8 MP (f/2,2, híbrida ultra wide 118° e macro) + 2 MP (f/2,4, profundidade);
  • Câmera frontal: 32 MP (f/2.2);
  • Dimensões: 169,6 x 75,8 x 9,8 mm;
  • Peso: 225 gramas;
  • Bateria: 6.000 mAh com recarga de 20 W (carregador na caixa);
  • Extras: 4G, conectores USB-C e P2, NFC, rádio FM, Bluetooth 5.0, Wi-Fi dual-band, leitor de impressão digital traseiro, ThinkShield for Mobile;
  • Cores disponíveis: azul e champagne;
  • Sistema operacional: Android 11.

Redmi Note 10 Pro: ficha técnica

  • Tela: Super AMOLED de 6,67'' com resolução Full HD (1080 x 2400 pixels), 120 HZ, 1200 nits;
  • Chipset: Qualcomm Snapdragon 732G Octa-core até 2,23 GHz;
  • Memória RAM: 8 GB;
  • Armazenamento interno: 128 GB com suporte para micro SD;
  • Câmera traseira: 108 MP (f/1,9, principal) + 8 MP (f/2,2, ultrawide) + 5 MP (f/2,4, macro) + 2 MP (f/2,4, profundidade);
  • Câmera frontal: 16 MP (f/2,5);
  • Dimensões: 164 x 76,5 x 8,1 mm;
  • Peso: 193 gramas;
  • Bateria: 5.020 mAh com carregamento rápido de 33 W;
  • Extras: NFC, infravermelho, leitor de digitais lateral, alto-falantes estéreo, proteção contra respingos d'água;
  • Cores disponíveis: cinza, azul, bronze;
  • Sistema operacional: Android 11.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.