TikTok supera YouTube em tempo médio de visualização nos EUA

TikTok supera YouTube em tempo médio de visualização nos EUA

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 07 de Setembro de 2021 às 12h53
Rubens Eishima/Canaltech

O Tiktok ultrapassou o YouTube na média de tempo de visualizações por usuário nos Estados Unidos e no Reino Unido. Esse resultado mostra a força do formato dos vídeos curtos, das lives e da criação de conteúdo social, voltado principalmente para a diversão. Os dados foram divulgados pela empresa de análise do mercado móvel App Annie na segunda-feira (6) e revelam destaque também da Twitch e do Instagram nesse impulsionamento.

O YouTube ainda mantém a liderança no tempo total destinado a aplicativos sociais, de comunicação, fotos e vídeos, bem como no segmento de entretenimento, mas, na média por pessoa, o TikTok se destaca por margem 9% superior. O Reino Unido é o local onde essa diferença é mais gritante: quase 64% a mais de prevalência dos vídeos curtos em relação aos longos, segundo os dados — na terra da rainha Elizabeth, os chineses superam os estadunidenses desde maio de 2020.

TikTok e YouTube alternam no tempo médio de visualização nos EUA (Imagem: Reprodução/App Annie)

Já nos EUA, a diferença é disputada palmo a palmo, com alternância mensal desde agosto do ano passado. É importante registrar que o tempo médio gasto nos dados reunidos pela App Annie é baseado exclusivamente no consumo dos usuários do Android, portanto pode não refletir necessariamente a realidade do mercado.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Gastos nos apps

Quando o assunto são gastos de dinheiro na plataforma, aí o YouTube alcança topo no primeiro semestre de 2021. A rede social de vídeos do Google lidera no setor de streaming, social, foto e vídeo, bem como na amplitude de envolvimento do público — o levantamento até mostra como as lives impulsionaram o crescimento do tempo de tela nas plataformas.

No ano passado, o TikTok teve mais gastos globais, mas em 2021 o YouTube passou(Imagem: Reprodução/App Annie)

Conforme a análise da consultoria, esse resultado ainda pode pender mais para o lado do TikTok, já que o gráfico revela uma tendência de alta nos vídeos curtos nos próximos anos. Esses dados chegam no exato momento em que o aplicativo chinês se consolida como o líder mundial no mercado, tanto para dispositivos Android quanto no iOS em termos de downloads.

Estados Unidos e Reino Unido são destaque nesse tipo de levantamento porque são os dois principais falantes da língua inglesa do mundo, a qual possui mais conteúdos nas principais plataformas sociais. O português tem uma quantidade bem mais limitada de pessoas e materiais produzidos, por isso as análises não costumam o considerar como relevante.

Disputa nos vídeos curtos

Nos últimos meses, seguindo a tendência do Instagram para rivalizar com o TikTok, o YouTube criou um formato de vídeos curtos chamado Shorts. Além de ter como trunfo a imensa base de usuários da plataforma, a empresa também anunciou a destinação de cerca de R$ 5,1 milhões para monetizar e recompensar os criadores de conteúdo exclusivos.

Como resposta, o TikTok aumentou o limite máximo de tempo dos vídeos de 30 segundos para até três minutos — a rede já analisa até estender esse prazo para cinco. Também de olho no público dos concorrentes no segmento de lives, a plataforma chinesa copiou recursos como lives compartilhadas por duas pessoas, moderadores para canais e criação de enquetes para aumentar o engajamento.

Fonte: App Annie  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.