Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Dá para recuperar celular molhado em enchente? Veja o que dizem as marcas

Por| Editado por Léo Müller | 15 de Maio de 2024 às 10h23

Link copiado!

DariuszSankowski/Pixabay
DariuszSankowski/Pixabay
Tudo sobre Positivo

O Canaltech já mostrou como salvar produtos eletrônicos molhados pela enchente, mas o que dizem as fabricantes de tecnologia? É possível recuperá-los? O que a assistência técnica recomenda? Conversamos com diversas fabricantes de tecnologia no Brasil, incluindo Samsung, Positivo e LG, para entender essa questão.

Em meio a uma enchente como a que atingiu o Rio Grande do Sul neste mês de maio, a recomendação inicial é pegar documentos importantes, desconectar todos os aparelhos elétricos e ir a um lugar alto, onde a água não possa alcançar. Nessa correria, se você perdeu celulares e outros dispositivos eletrônicos, calma que alguns podem ser recuperados, seja em casa com alguns procedimentos ou em assistências técnicas.

Danos decorrentes de água vs. garantia

Continua após a publicidade

Produtos eletrônicos apresentando danos decorrentes de contato com líquidos não costumam ser cobertos pela garantia após a compra, normalmente de um ano. Fabricantes como Apple, Samsung e Motorola não oferecem cobertura caso o seu dispositivo apresente algum problema relacionado a isso, valendo mesmo para os aparelhos resistentes à água, com certificação IP68.

Porém, segundo o Código de Defesa do Consumidor (CDC), se o problema estiver relacionado a um vício, ou seja, qualquer anomalia que afete a funcionalidade do produto sem riscos à integridade do consumidor, e não mau uso, o consumidor pode se encaminhar a uma assistência técnica para realização de diagnóstico. Mas, lembre-se: somente no prazo de garantia.

Conversamos com Marcos David Santos, diretor de Operações e Serviços da Positivo, para entender o que as assistências técnicas conseguem fazer nesses casos. Segundo ele, é possível salvar um celular molhado dependendo da extensão do dano e da rapidez com que o dispositivo foi tratado após ser exposto.

Continua após a publicidade
“A recuperação é geralmente muito difícil porque, em muitos casos, necessita de substituição de vários componentes. Quando dispositivos eletrônicos, como celulares, notebooks e tablets, são molhados, diversos fatores podem impactar no funcionamento e causar danos, como curtos-circuitos, corrosão e falhas nos componentes mais sensíveis. Mas as assistências técnicas conseguem recuperar um aparelho molhado dependendo da extensão do ano”, disse David ao Canaltech.

Questionadas se as assistências técnicas ofereceriam algum serviço especial para os usuários de produtos afetados nas enchentes do Rio Grande do Sul, Motorola e Realme não quiseram responder a nossa reportagem. A LG não retornou nosso contato até a publicação desta matéria. A Samsung também não quis participar, mas o presidente e CEO da marca na América Latina, HS Jo, anunciou que disponibilizará serviços gratuitos de limpeza e inspeção de TVs e eletrodomésticos afetadas pelas enchentes.

A Positivo Tecnologia nos contou que trabalhará para ofertar as melhores condições possíveis nas áreas afetadas do RS, embora o foco seja nas escolhas públicas impactadas pelas fortes chuvas. Segundo David, técnicos da fabricante visitarão escolas públicas para consertar tablets e outros dispositivos no local, se for possível.

“A Positivo Tecnologia também está considerando fazer doações de computadores a escolhas públicas, a partir de levantamento de necessidades realizado em conjunto com a Secretaria de Educação do Rio Grande do Sul”, adicionou o executivo.
Continua após a publicidade

O que as fabricantes de tecnologia estão fazendo pelo RS?

Muitos empresas de tecnologia estão auxiliando o povo do Rio Grande do Sul a superar a tragédia. HS Jo, presidente e CEO da Samsung na América Latina, anunciou a doação de aproximadamente R$ 1 milhão, que será distribuído às organizações não-governamentais (ONGs) que trabalham para fornecer água potável, alimentos e outras necessidades básicas.

Também haverá postos de serviço gratuito de lavagem e secagem em vários abrigos da região, onde as pessoas poderão lavar suas roupas e produtos de cama, além de carregadores de smartphones e geladeiras, para guardar mercadorias. 115 lojas da Samsung de todo o Brasil estarão recebendo doações de itens de higiene e alimentos não perecíveis, que serão enviados ao estado.

A Amazon, por sua vez, está fornecendo tecnologia em parceria com a ONG Help.NGO. A missão é “captar imagens de alta definição de áreas afetadas para auxiliar nas operações de resgate”, disse o presidente e CEO da Amazon, Andy Jassy, em publicação no X/Twitter.

Continua após a publicidade

A Dell, por meio do CEO Michael Dell, ajudará com assistência tecnológica e financeira Já a Intel organizou uma campanha de doação global na qual o valor arrecadado será duplicado pela fabricante. O dinheiro será destinado a ONGs.

Além disso, a Dell afirmou que as instalações da empresa em Eldorado do Sul sediam, desde 13 de maio, o Gabinete de Sistema de Comando de Incidentes da cidade. Esse gabinete será responsável pela operação de planejamento da reconstrução da cidade, fornecendo espaço físico e infraestrutura tecnológica aos órgãos parceiros.

Continua após a publicidade

O Google publicou um post em seu blog para anunciar as iniciativas. Entre elas, está a doação de R$ 1,2 milhão para ONGs que estão trabalhando na região afetadas. Além disso, a Busca do Google terá um “Alerta SOS”, que mostrará notícias e links para informações atualizadas, e um mapa com regiões mais afetadas.

O Google também trabalhará com o Maps e o Waze para exibir informações em tempo real sobre as regiões mais impactadas pelas chuvas. Para a previsão das inundações dos rios, a Gigante das Buscas em parceria com o Serviço Geológico Brasileiro (SGB-CPRM) utilizará IA para monitorar tendências de cheias, etc.

O Elon Musk, CEO do X/Twitter, Tesla e Starlink, demonstrou solidariedade ao povo gaúcho e doou 1000 antenas de internet via satélite para disponibilizar internet gratuita até que a região se recupere.

Continua após a publicidade

Fonte: Google; X (1, 2, 3)