Chrome faz testes com abas para aumentar vida útil de baterias em notebooks

Por Alberto Rocha | 05 de Julho de 2020 às 19h00
Tudo sobre

Google

Saiba tudo sobre Google

Ver mais

Apesar da confortável liderança entre os navegadores web, o Chrome segue conhecido pelo alto consumo de memória RAM e energia, algo pelo qual um de seus principais concorrentes, o Microsoft Edge, foi bastante elogiado ao ganhar nova versão baseada no Chromium. Alerta a essas movimentações, a Google tem focado em tornar o seu principal browser mais leve e dinâmico, investigando as principais causas desses problemas como o carregamento de anúncios pesados, por exemplo.

De acordo com informações obtidas pelo TheWindowsClub, a gigante das buscas está de olho nos processos em segundo plano das guias, apontada como um dos grandes vilões para o alto consumo de energia em notebooks. Para reduzir esse incômodo, a empresa está trabalhando para reduzir o timer de ativação do Javascript para 1 minuto nas guias em segundo plano, limitando assim o envolvimento das mesmas com tarefas desnecessárias, como verificar se a posição da rolagem mudou e interações com anúncios, por exemplo.

Tarefas não essenciais em segundo plano resultam em consumo desnecessário de bateria (Reprodução: TheWindowsClub)

Conforme divulgado pelos testes da Google, em um cenário mais realista, tal otimização dos timers Javascript é capaz de aumentar a duração da bateria em quase 36 minutos (13%) para um usuário que possui até 36 guias rodando em segundo plano, além de um vídeo do YouTube em primeiro plano. O recurso se aplica tanto para a versão do navegador para Windows, quanto para Mac, Linux, Android e Chrome OS.

Safari também utiliza mesmo método

O intervalo de pesquisa de 1 minuto no Javascript não é algo descoberto pela Google e já foi adotado pelo Safari, da Apple. Contudo, a Google está realizando inúmeros testes por conta do alto números de aplicativos web disponíveis no Chrome, algo que exige bastante da execução em segundo plano. A publicação cita que, caso a redução do tempo limite prejudique essas aplicações, a companhia pode optar por ativar esse limite de tempo somente após 5 minutos de inatividade.

Aos interessados, a funcionalidade está em testes na versão 86 do Chrome em uma das flags, sem previsão de quando será liberada para o usuário final. Não se sabe também se o tal recurso será disponibilizado ao novo navegador Edge baseado no Chromium.

Fonte: TheWindowsClub  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.