Google Chrome vai bloquear anúncios pesados para priorizar desempenho

Por Alberto Rocha | 17 de Maio de 2020 às 11h57
Tudo sobre

Google

Saiba tudo sobre Google

Ver mais

Mesmo sendo o navegador mais utilizado no mundo e elogiado pela sua integração com outras plataformas, o Chrome, descrito pela própria Google como “simples, seguro e mais rápido que nunca” é conhecido pelo alto consumo de memória RAM e energia. Contudo, a companhia de Mountain View identificou um dos causadores desse problema e vai começar a bloquear algumas propagandas na internet, especialmente em notebooks e smartphones.

Em comunicado divulgado na última sexta-feira (15), em seu blog oficial, a Google revela que cerca de 1% das propagandas virtuais “consome uma parcela desproporcional de recursos do dispositivo, como bateria e dados de rede, sem que o usuário saiba” e que boa parte desses banners têm problemas de programação ou estão ligados à mineradores de criptomoedas para monetizar o site.

“Para economizar as baterias e os planos de dados de nossos usuários e proporcionar uma boa experiência na Web, o Chrome limitará os recursos que um anúncio gráfico pode usar antes que o usuário interaja com o anúncio. Quando um anúncio atinge seu limite, o quadro do anúncio acessa uma página de erro, informando ao usuário que o anúncio usou muitos recursos”, explica Marshall Vale, gerente de produto do Chrome.

Exemplo de anúncio que foi descarregado no Google Chrome (Divulgação: Google)

Ganho operacional será de até 28% no processamento

A ferramenta será integrada ao já existente bloqueador de anúncios do Chrome e irá interromper o carregamento das propagandas que excederem os limites de 4MB na transferência de dados, 15 segundos de uso da CPU em intervalos de 30 segundos, ou 60 segundos de uso total de processamento do dispositivo.

A Google espera que os processadores do PC ou smartphone poupem 28% de esforço operacional e 26% dos dados de rede, resultado assim no menor gasto de energia e consumo de bateria. O recurso será testado nos próximos meses e tem previsão para ser liberada aos usuários em uma atualização do Chrome para o mês de agosto.

Fonte: Google  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.