'Não queremos ser os primeiros, mas sim os melhores', diz Tim Cook em entrevista

Por Redação | 25 de Abril de 2014 às 08h40
photo_camera Divulgação

A cada semana surgem novos rumores sobre os próximos lançamentos da Apple. São tantas informações que chega ser difícil acreditar que esses gadgets cheguem ao mercado da forma como imaginamos – o iWatch, por exemplo, teria um display flexível e seria focado principalmente na moda e design, enquanto o iPhone 6 deve ser anunciado em pelo menos dois tamanhos diferentes.

Mas, no que depender de uma afirmação de Tim Cook, CEO da companhia, o relógio de pulso inteligente e a próxima geração do iPhone não devem ser as únicas grandes novidades da empresa para 2014. Em entrevista ao Wall Street Journal, o executivo declarou que a Apple "está mais perto do que nunca" para entrar em uma nova categoria de produto. Não está claro se isso diz respeito a um software ou aparelho, mas a expectativa é que o impacto seja tão grande como na época em que Steve Jobs revelou os primeiros modelos de iPhone e iPad em 2007 e 2010, respectivamente.

"Nosso objetivo nunca foi ser o primeiro, mas sim o melhor. Para fazer as coisas bem feitas, é preciso tempo. Podemos ver uma grande quantidade de produtos que foram lançados no mercado sem um pensamento profundo e, como consequência, esses gadgets não fazem muito bem ao mercado", disse.

Cook também se mostrou contra as companhias que fazem lançamentos um atrás do outro, pois, na opinião do empresário, isso prejudica não apenas o mercado como um todo, mas também a qualidade dos produtos. "Não fazemos muitas coisas [no caso, vários produtos ao mesmo tempo], então gastamos nosso tempo em cada detalhe. E essa é uma característica presente na Apple há anos e não vamos mudar. Estou animado com o que está por vir", completou.

Tim Cook não é o único a compartilhar essa ideia. Recentemente, o "guru" do design Jonathan Ive (ou Jony Ive) criticou empresas que roubam suas invenções e acredita que muitas delas estão empobrecendo a indústria tecnológica. "Estamos cercados por produtos mal feitos e desenvolvidos de forma anônima e é tentador pensar que isso acontece porque as pessoas que os usam não se importam com design – muito menos com os designers. (...) O que é copiado não é apenas o design, são milhares e milhares de horas de esforço", afirmou.

Em todo o caso, o CEO da gigante de Cupertino garante que essa nova categoria de produto será revelada ainda este ano. Ele ainda deixou claro que outras novidades também estão a caminho e que elas podem se estender além do hardware. Tudo indica que uma delas é um sistema de pagamentos móveis para iPhone, que permitirá ao dono do aparelho efetuar compras em sites da internet através do iTunes usando o leitor de impressões digitais Touch ID - recurso que, por enquanto, só está no iPhone 5S.

"Acho que [o mercado de pagamentos mobile] é uma área muito interessante. Temos quase 800 milhões de contas no iTunes e a maioria das pessoas utiliza cartão de crédito. Também já alcançamos uma boa base de usuários que fazem uso do leitor biométrico Touch ID para comprar serviços na nossa loja, o que torna a área ainda mais interessante para nós", disse.

As afirmações de Cook aconteceram nesta quarta-feira (23) quando o executivo divulgou os resultados financeiros da Apple referentes ao segundo trimestre do ano fiscal de 2014, fechado em 29 de março. A empresa teve receita de US$ 45,6 bilhões e lucro de US$ 10,2 bilhões. Além disso, vendeu 43,7 milhões de iPhones, 4,13 milhões de Macs e 16,35 milhões de iPads no mesmo período.

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.