Apple busca novos funcionários para trabalhar em sistema de pagamentos móveis

Por Redação | 22 de Abril de 2014 às 15h52
photo_camera Divulgação

Surgiu no ano passado o rumor de que a Apple faria em breve sua estreia no mercado de pagamentos móveis, mas nada foi divulgado sobre como a companhia investiria no setor. Agora, uma nova informação indica que o desenvolvimento desse suposto sistema está a todo vapor, já que a empresa de Cupertino tem feito entrevistas com grandes executivos da indústria de pagamentos eletrônicos para agilizar sua entrada nesse segmento.

De acordo com o site Re/code, duas fontes familiarizadas com o assunto dizem que a entidade tem se reunido com empresários candidatos a dois novos cargos na companhia. As posições seriam de chefe de produto e diretor de cargos de desenvolvimento de negócios, ambas focadas exclusivamente na construção e gerenciamento de uma plataforma voltada para pagamentos móveis. Quem está conduzindo o processo seletivo é Jennifer Bailey, líder de e-commerce na Apple.

As fontes também afirmam que um dos objetivos do novo sistema é permitir que os consumidores comprem produtos de uma maneira muito mais fácil e rápida. Os itens não envolvem apenas os serviços da própria empresa, mas também os que são vendidos em sites da internet. Todo o processo de compra seria efetuado pelo iPhone através do iTunes, que tem hoje cerca de 600 milhões de contas cadastradas – a maioria vinculada a um número de cartão de crédito.

Os últimos rumores sobre o sistema de pagamento mobile da Apple apontam que a empresa pode fechar parcerias para impulsionar o programa. Uma delas é com o PayPal que, também segundo o Re/code, teria se oferecido para ajudar na infraestrutura, processamento de transações e até mesmo segurança. Além disso, a operadora de pagamentos teria proposto ceder parte de seus códigos para que a Maçã possa criar as próprias soluções, caso não deseje oferecer o PayPal como única opção a seus usuários.

Outra informação é a suposta compra da Square, empresa de pagamentos móveis que tem entre os criadores Jack Dorsey, cofundador do Twitter. O acordo, que não foi concluído pela Apple, teria sido o primeiro passo para que a Maçã estabelecesse uma relação com uma das principais varejistas dos Estados Unidos e, assim, começasse a desenvolver um catálogo de lojas e estabelecimentos para o serviço.

O CEO da Apple, Tim Cook, também já demonstrou interesse em investir no mercado de pagamentos mobile. Na divulgação dos últimos resultados financeiros da companhia, o executivo comentou que enxerga nesse segmento uma oportunidade para que a Apple facilite os pagamentos utilizando seu hardware e software. No entanto, Cook não deu detalhes sobre como isso deve acontecer.

"Estamos analisando como as pessoas podem comprar conteúdos, seja música, filmes ou livros, a partir de seus iPhones, usando o Touch ID. É incrivelmente simples, fácil e elegante. E claro que há muita oportunidade [na indústria]. Em geral, a área de pagamentos móveis foi um dos motivos que incentivaram a criação do Touch ID. Mas não queremos nos limitar apenas a isso", disse.

Especialistas acreditam que o Touch ID, o leitor de impressões digitais presente no iPhone 5S, seria incorporado ao mecanismo de pagamentos como medida de segurança. Ao realizar uma compra, por exemplo, o consumidor precisaria colocar o dedo no leitor de impressões digitais para concluir a transação online. Isso tudo ocorreria por meio de uma integração com o iTunes, que já possui um serviço próprio de pagamento de livros, filmes e músicas comprados pela plataforma.

Fato é que a Apple entrará em um mercado que cresce cada dia mais caso lance o projeto para pagamento no iPhone. A estimativa de empresas de pesquisas da área é que somente os norte-americanos vão gastar US$ 90 bilhões com pagamentos em plataformas móveis em 2017, contra apenas US$ 12,8 bilhões de 2012.

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.