Jony Ive, o guru de design da Apple, fala sobre Steve Jobs e o futuro da empresa

Por Redação | 17.03.2014 às 18:18

Grandes marcas do mundo da tecnologia não são caracterizadas apenas pelos produtos que desenvolvem, mas também por aqueles que ajudam na produção e divulgação desses dispositivos. No caso da Apple, duas figuras carimbadas caracterizam a criatividade e inovação da companhia: Steve Jobs, um dos cofundadores da empresa que faleceu em 2011, e Jonathan Ive (ou Jony Ive), vice-presidente sênior de design.

Ambos nunca foram de dar entrevistas, assim como qualquer outro executivo da gigante de Cupertino. No entanto, Ive participou recentemente de um bate papo em que descreve seu relacionamento com Jobs e o que esperar da Apple daqui para frente. A conversa aconteceu para o jornal inglês The Sunday Times e a revista norte-americana Time.

Um dos principais pontos da matéria é quando o guru da Maçã é questionado sobre tecnologia vestível. Há pelo menos dois anos circulam diversos rumores na imprensa de que a companhia vai lançar até o final de 2014 um relógio inteligente, o chamado iWatch, mas Ive foi categórico em sua resposta. "É claro que existem boatos sobre nós estarmos trabalhando nisso, e é óbvio que eu não vou falar sobre isso. É como um jogo de xadrez, sabe?", disse.

O designer, que trabalha há mais de 20 anos na empresa, faz ainda mais mistério quando o assunto são os próximos lançamentos da Apple. "Estamos no começo de uma era notável, na qual vários produtos incríveis serão desenvolvidos. Quando você pensa em tecnologia, no que ela fez por nós até agora e o que ela vai permitir no futuro, vê que não estamos nem perto de qualquer tipo de limite", declarou.

O executivo também se disse contra a afirmação de que a companhia não é mais tão inovadora como quando lançou os primeiros modelos de iPhone e iPad. Para Ive, o processo de criação de um produto é de "meses e meses e meses" de dedicação, e o início de tudo é sempre se questionar sobre o que aquele dispositivo precisa fazer e como deve ser feito. "Eu me demitiria da Apple se ela parasse de inovar. Faria coisas para mim e para os meus amigos em minha casa", completa.

Jonathan Ive

Jony Ive e Steve Jobs durante a Macworld 2005, em San Francisco, Califórnia. (Foto: Kim Kulish)

Ele ainda criticou outras empresas que roubam suas invenções e acredita que muitas marcas estão empobrecendo o mercado tecnológico. "Estamos cercados por produtos malfeitos e desenvolvidos de forma anônima, e é tentador pensar que isso acontece porque as pessoas que os usam não se importam com design – muito menos com os designers. (...) O que é copiado não é apenas o design, são milhares e milhares de horas de esforço", dispara Ive.

"Por outro lado, o que nós mostramos é que há pessoas que se importam, porque não é apenas uma questão de estética, já que elas se importam com gadgets que foram pensados e feitos para elas", disse. Ive ainda afirma que o sucesso da Apple se dá pela "pureza e integridade" de aparelhos "bonitos e bem feitos" produzidos pela companhia.

O guru do design da Maçã também comentou rapidamente sobre Steve Jobs. Ive afirmou que ainda acha difícil falar do amigo de longa data porque considera que a morte dele não foi há tanto tempo. Além disso, disse que não reconhece Jobs nos textos e livros publicados após a morte do executivo. "Tanto foi escrito sobre Steve e eu não reconheço meu amigo em boa parte de tudo isso que escrevem. Sim, ele tinha opiniões precisas. Sim, ele poderia alfinetar. Sim, ele questionava constantemente. Mas ele era tão inteligente, e suas ideias eram ousadas e magníficas", disse.