Publicidade

Copilot integrado pode exigir 16 GB de memória RAM em PCs

Por| Editado por Douglas Ciriaco | 18 de Janeiro de 2024 às 12h46

Link copiado!

Patrick Pahlke/Unsplash
Patrick Pahlke/Unsplash
Tudo sobre Microsoft

A integração do Copilot com o Windows, como parte de uma nova leva de PCs focados em inteligência artificial, pode exigir um bocado de performance dos dispositivos. De acordo com especificações prévias e ainda não confirmadas, o uso destes recursos pode demandar um mínimo de 16 GB de memória RAM dos dispositivos.

A informação aparece em um relatório da TrendForce, especializada em pesquisas de mercado, e indica a introdução da IA como um dos grandes alavancadores do upgrade no mercado de PCs. Por outro lado, essa exigência também pode afastar muita gente da tecnologia e tornar seu avanço mais lento do que a Microsoft gostaria.

Continua após a publicidade

É uma faca de dois gumes que a empresa com certeza conhece e já enfrentou antes, com exigências específicas para rodar o Windows 11 sendo um exemplo. Entretanto, a empresa estaria confiante que a adoção da inteligência artificial generativa no mercado corporativo será um diferencial para fazer com que as empresas invistam em máquinas mais recentes.

Novo padrão deve chegar aos PCs e notebooks

Enquanto a informação sobre a quantidade mínima de memória RAM não foi confirmada oficialmente, ela faz todo sentido diante das necessidades do Copilot. Tudo gira em torno da chamada aceleração de IA, um componente dedicado que será exigido para funcionamento da tecnologia de forma integrada ao sistema operacional e já está começando a aparecer nas CPUs mais recentes.

Entre os recursos adicionais estão o processamento simultâneo local e na nuvem, bem como um belo espaço de memória para que os modelos de linguagem funcionem, entendendo o contexto e os comandos dos usuários. Por outro lado, fora do hardware, a ideia seria facilitar o uso do Copilot, algo evidenciado pelo botão dedicado ao recurso nos teclados Windows, a maior mudança de interface para PCs em décadas.

Continua após a publicidade

A expectativa dos especialistas da TrendForce, então, é que os 16 GB de memória RAM sejam o “novo normal” para a indústria de computadores. Notebooks e PCs domésticos devem começar a ter este como o mínimo aceitável já em 2024, enquanto no mercado corporativo, as opções iniciais podem chegar a até 64 GB de RAM, de acordo com o foco no uso da IA necessário em cada organização.

Fonte: TrendForce