Publicidade

Snapdragon X Elite pode ser até 21% mais veloz que Apple M3

Por| Editado por Wallace Moté | 18 de Dezembro de 2023 às 15h24

Link copiado!

Wallace Moté/Canaltech
Wallace Moté/Canaltech
Tudo sobre Qualcomm

Informações compartilhadas pela Qualcomm com o portal Digital Trends indicam que o Snapdragon X Elite, próximo chip premium da fabricante para notebooks ultrafinos, poderia superar o recente Apple M3 em até 21% — a novidade havia sido anunciada pouco antes da estreia da plataforma avançada da Maçã, o que gerou dúvidas quanto à competitividade que o X Elite apresentaria considerando sua estreia tardia. Apesar da suposta vantagem, a gigante também deixa claro que há "diferenças de software" que podem impactar os resultados.

Apresentado em outubro, durante o Snapdragon Summit 2023, o Snapdragon X Elite gerou grande comoção diante das promessas extremas feitas pela Qualcomm. Primeiro chip da marca a apostar no núcleo Oryon, desenvolvido pela promissora startup Nuvia, o componente estaria prestes a "revolucionar o mercado de PCs" ao oferecer desempenho superior ao de processadores de AMD, Intel e até Apple consumindo menos energia.

Apesar disso, dúvidas surgiram quando, na semana seguinte, a linha Apple M3 foi anunciada — ainda que fossem impressionantes, os números do X Elite haviam sido comparados apenas ao M2 Max, e poderiam acabar sendo insuficientes para trazer mais competitividade contra a nova geração da gigante de Cupertino. Ciente disso, a Qualcomm convocou a equipe do Digital Trends, que pôde testar a nova solução da empresa para laptops mais uma vez, e observar resultados que reforçam que a família Snapdragon virá forte em 2024.

Continua após a publicidade

Segundo slide da fabricante, a novidade entregaria desempenho até 21% superior ao M3, ao menos em benchmarks multi-core, que estressam todos os núcleos da CPU. As informações indicam que, ao rodar o Geekbench 6.21, o Snapdragon X Elite atingiria 15.300 pontos, contra a média de 12.154 pontos do rival da Apple. Mais interessante é que o consumo de energia não seria muito maior, considerando os detalhes divulgados no Summit.

Dito isso, mesmo que os números empolguem, há alguns poréns: as letras miúdas revelam que o teste foi feito usando uma versão do Debian, popular distro Linux que, obviamente, lida com o processador de forma diferente ao que é feito pelo Windows. Assim sendo, é possível que tenhamos desempenho melhor ou, mais provável, pior, levando em conta os diversos processos em segundo plano que o sistema operacional da Microsoft costuma apresentar.

O cenário é reforçado pelo próprio Gerente Sênior de Relações Públicas da Qualcomm, Sascha Segan, em conversa com o Digital Trends. “A experiência não será a mesma porque eles [a Apple] estão rodando macOS, e nós estamos rodando Windows", explica o executivo. Ainda assim, Segan reforça que veremos vantagens significativas ao afirmar que "em termos de hardware, que nós [a Qualcomm] podemos controlar, é um bom hardware".

Continua após a publicidade
O Canaltech está no WhatsApp!Entre no canal e acompanhe notícias e dicas de tecnologia

Com a declaração, a marca parece deixar claro que a responsabilidade de termos bons notebooks Windows com o Snapdragon X Elite não depende apenas dela, como também da Microsoft — a falta de compatibilidade de software foi um dos fatores que atrapalharam o avanço do projeto Windows On ARM, estabelecido com laptops equipados com chips Snapdragon.

Independente disso, as novas promessas reforçam que o próximo chipset da Qualcomm tem potencial para trazer ao menos uma amostra das capacidades dos MacBooks aos usuários Windows, restando apenas saber se os desenvolvedores e a Microsoft irão investir mais no ecossistema ARM. A situação deve ser melhor esclarecida quando os primeiros aparelhos com Snapdragon X Elite chegarem às lojas em meados de 2024 e, com sorte, é possível que tenhamos novidades já em janeiro, durante a CES.

Fonte: Digital Trends