Publicidade

Intel x86S: nova arquitetura 100% 64-bit promete acelerar seu PC

Por| Editado por Wallace Moté | 25 de Maio de 2023 às 16h00

Link copiado!

Brian Kostiuk/Unsplash
Brian Kostiuk/Unsplash
Tudo sobre Intel

A Intel propôs recentemente a x86S, uma revisão da arquitetura x86 usada pela maioria dos processadores para computador — incluindo CPUs da AMD — que traria exclusivamente instruções de 64-bit, abandonando código antigo em 16-bit e 32-bit. Ainda em fase de estudos, o conjunto de mudanças propostas não apenas simplificaria o desenvolvimento de chips e software, como ainda traria benefícios ao usuário por teoricamente ampliar a velocidade dos PCs.

Uma arquitetura, ou Instruction Set Architecture (ISA, Arquitetura de Conjunto de Instruções em tradução livre), concentra todas as instruções que um chip precisa para realizar os cálculos que permitem ao seu computador, celular e outros dispositivos acessar a internet, rodar um game e executar as milhares de tarefas que fazemos todos os dias.

Ela pode ser categorizada de acordo com o tamanho, sendo, por exemplo, uma RISC (Reduced Instruction Set Computer, ou Computador de Conjunto de Instruções Reduzidas) por trazer um número mais limitado de instruções, ou uma CISC (Complex Instruction Set Computer, ou Computador de Conjunto de Instruções Complexas), com uma variedade mais completa de instruções.

Continua após a publicidade

Atualmente, temos duas principais ISAs no mercado: a ARM, uma RISC, que se beneficia de seu tamanho reduzido para entregar boa eficiência em dispositivos que dependem de bateria, como celulares e até notebooks; e a x86, uma CISC, bastante robusta e presente em todos os computadores equipados com processadores AMD e Intel.

Especialmente nos últimos anos, entusiastas e especialistas têm discutido o potencial da ARM de dividir o espaço em computadores de alta performance e servidores com a x86, antes a escolha óbvia nesses segmentos. A questão da eficiência energética e até de desempenho também figuram nessas discussões, com o número excessivo de instruções integradas à x86 sendo um ponto de crítica comum.

Ciente disso, a Intel — que propôs a x86 originalmente — publicou um estudo para o desenvolvimento da x86S (em que S vem de "simplificação"). Na nova proposta feita pela gigante, todas as instruções mais antigas de 16-bit e 32-bit seriam retiradas, fazendo com que a arquitetura se tornasse exclusivamente 64-bit.

Continua após a publicidade

Os leitores mais antenados devem lembrar que boa parte dos sistemas operacionais modernos, como o Windows e o macOS, já funcionam em 64-bit (necessário para que um PC tenha mais de 4 GB de RAM, em virtude do tamanho das instruções). A questão é que, apesar dos enormes saltos que a tecnologia dá anualmente, por muito tempo ainda houve demanda por soluções mais antigas, que dependem de instruções em 32-bit ou até em 16-bit.

Assim sendo, a x86 manteve muitas dessas instruções mais antigas. Como revisar uma arquitetura não é uma tarefa simples, os códigos permanecem nas CPUs mais recentes. Conforme aponta a própria Intel em seu estudo, isso tem um preço: iniciar um sistema leva mais tempo do que deveria, por ter de passar pelo carregamento das instruções antigas. Desenvolver hardware e até software compatível também se torna mais complexo.

Com a x86S funcionando exclusivamente em 64-bit, tais desafios seriam amenizados ou até eliminados de vez, beneficiando não apenas fabricantes e desenvolvedores, mas também os usuários que, ao menos em teoria, veriam seus PCs carregar e processar dados mais rapidamente. Para lidar com eventuais programas e sistemas que requerem as instruções removidas pela x86S, o time azul propõe o uso da virtualização, emulando-as via software.

Continua após a publicidade

Por se tratar de uma mudança de grande impacto, especialmente considerando o alcance da x86, a x86S ainda deve demorar um bom tempo até começar a ser utilizada, podendo sofrer modificações ou até nem sair do papel.

A Intel está solicitando o feedback de todo o ecossistema (que inclui a Microsoft e a própria rival AMD) para garantir que o processo de desenvolvimento e implementação da nova arquitetura seja feito da melhor maneira possível. Complexas, as mudanças da nova arquitetura simplificada estão em um PDF no site da Intel.

Fonte: Intel, via VideoCardz