Funcionários acusam Activision Blizzard de reprimir união sindical

Funcionários acusam Activision Blizzard de reprimir união sindical

Por Felipe Goldenboy | Editado por Bruna Penilhas | 15 de Setembro de 2021 às 11h15
Divulgação/Activision Blizzard

A Activision Blizzard foi processada mais uma vez: agora, por um grupo de funcionários autointitulado ABetterABK (Uma Melhor Activision Blizzard King, em tradução livre). A empresa é acusada de intimidar trabalhadores para que eles não se reúnam em uniões sindicais, após o processo de discriminação e de assédio sexual aberto em julho.

As queixas relatam que, nos últimos seis meses, funcionários foram orientados a não discutirem com outros colegas sobre salários, horas e condições de trabalho, e também para não conversarem sobre os processos em andamento. A companhia também estaria vasculhando as redes sociais dos trabalhadores, aumentando a "vigilância" e os "interrogatórios".

Funcionários da Activision Blizzard realizaram uma greve em frente no dia 28 de julho (Foto: Reprodução/Redes sociais/Jonny Peltz)

“A administração da Activision Blizzard está usando táticas coercitivas para tentar impedir que seus funcionários exerçam seus direitos de se unirem e exigir um local de trabalho mais justo, sustentável e diversificado”, disse em comunicado a CODE-CWA (Campanha para Organizar Funcionários Digitais, em tradução livre), uma espécie de sindicato que abriu o processo com a ABetterABK.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

A Activision Blizzard não se pronunciou sobre o caso. A empresa foi processada em julho pelo DFEH (Departamento de Emprego e Habitação Justos da Califórnia, em tradução livre) por manter uma cultura tóxica de fraternidade universitária, e pelos próprios investidores por esconder esses escândalos. Segundo relatos, essas denúncias foram escondidas por 20 anos, e a empresa também teria destruído algumas das provas.

Fonte: EurogamerKotaku

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.